Viva à concorrência! Graças à Microsoft com seu hyperv e a estratégia sempre agressiva no mercado, a VMware foi obrigada a:
  1. Disponibilizar uma versão gratuita do seu hypervisor, que acabou se mostrando melhor, e atualmente é a única opção;
  2. Rever sua estratégia de licenciamento;
  3. Correr pra dar um novo salto tecnológico, sobre o qual falaremos mais detalhadamente em outro texto;
O fato de que a computação em nuvem foi construída sobre uma plataforma livre também contribuiu para este novo cenário, onde o hypervisor não importa, na medida em que as alternativas (ESXi, HyperV, XenServer, KVM, OpenVZ, etc) oferecem recursos equivalentes, com diferenças que já não fazem diferença na prática.

Só pra reforçar a idéia que defendo aqui, parte dos criadores do KVM já está envolvida num projeto denominado Ravello, que é basicamente um “hypervisor de hypervisors” pensado para ambientes de computação em nuvem, e sobre o qual pretendo falar mais em breve.

Em suma, quando pensar a virtualização do ambiente de TI da empresa, não se prenda aos detalhes do hypervisor. Pense além, e busque uma solução que ofereça não apenas uma base confiável para executar as máquinas virtuais, mas ferramentas de gestão, segurança e automação que possam trazer ainda mais benefícios que a simples consolidação de cargas de trabalho.

Quer saber quais as certificações mais desejadas do mercado?
Há algumas que você deve estar atento, além dcertificação VMware, como a certificação ITIL, em Segurança da Informação e Big Data.