Você conhece o Markdown ?Se você é blogueiro, editor, designer web ou escreve bastante e precisa publicar seus textos na web, devia conhecer.O Markdown é uma linguagem de marcação (markup language) que permite escrever texto puro com marcações (dã) de formatação.E o que tem demais nisso ? Só o fato de que o Markdown é muito, muito simples, mais simples que o HTML (tsc), principalmente porque não é baseado em tags. Quem já teve que escrever HTML pra publicar na web já teve raiva das tags. É certo. Uma tag não fechada é a certeza de horas, talvez dias, de agonia em busca do erro ridículo, mas que custa a ser encontrado.Tive contato com Markdown recentemente, mas ele existe pelo menos desde 2004. E resiste até hoje, inclusive com defensores ferrenhos e comparativos entre ele e a sintaxe da Wikipedia, o wiki text.E já que falamos da Wikipedia, o Markdown segue a mesma linha do wikitext, ou seja, uma maneira de usar texto puro para expressar conteúdo formatação, sem as famigeradas tags (já disse que odeio tags ? :P).Existe até uma iniciativa chamada Creole, que tenta padronizar as “versões” de wikitext adotadas em várias soluções de wiki. O que achei estranho é que o mediawiki (da Wikipedia) não adotou o padrão (ainda ?).Outra coisa legal do Markdown é a existência de editores online, inclusive sem a exigência de cadastro. Basta acessar, escrever e depois exportar em HTML, markdown ou outros formatos. Show! Os dois mais legais que encontrei são o Dillinger e o Markable. Notei que o Markable entende a sintaxe de tabelas e o Dillinger não. O Scribefire, editor que uso pra blogar, também suporta Markdown!O texto deste post foi todo feito no bloco de notas, e validado no Dillinger e Markable. Confira abaixo o “código fonte”. Outra coisa que merece destaque é o fato de que a forma de representar os links é bem elegante, sugere um artigo em txt, com as referências no final. Gostei muito.

Você conhece o _[Markdown][1]_ ?Se você é blogueiro, editor, designer web ou escreve bastante e precisa publicar seus textos na web, devia conhecer.O Markdown é uma linguagem de marcação (_markup language_) que permite escrever texto puro com marcações (dã) de formatação.E o que tem demais nisso ? Só o fato de que o _Markdown_ é muito, muito simples, mais simples que o HTML (tsc), principalmente porque não é baseado em tags. Quem já teve que escrever HTML pra publicar na web já teve raiva das tags. É certo. Uma tag não fechada é a certeza de horas, talvez dias, de agonia em busca do erro ridículo, mas que custa a ser encontrado.Tive contato com _Markdown_ recentemente, mas ele existe pelo menos desde 2004. E resiste até hoje, inclusive com defensores ferrenhos e comparativos entre ele e a sintaxe da Wikipedia, o [wiki text][2].E já que falamos da Wikipedia, o Markdown segue a mesma linha do wikitext, ou seja, uma maneira de usar texto puro para expressar conteúdo *e* formatação, sem as famigeradas tags (já disse que odeio tags ? :P).Existe até uma iniciativa chamada Creole, que tenta padronizar as “versões” de wikitext adotadas em várias soluções de wiki. O que achei estranho é que o mediawiki (da Wikipedia) não adotou o padrão (ainda ?).Outra coisa legal do Markdown é a existência de editores online, inclusive sem a exigência de cadastro. Basta acessar, escrever e depois exportar em HTML, markdown ou outros formatos. Show! Os dois mais legais que encontrei são o [Dillinger][3] e o [Markable][4]. Notei que o Markable entende a sintaxe de tabelas e o Dillinger não. O Scribefire, editor que uso pra blogar, também suporta Markdown!O texto deste post foi todo feito no bloco de notas, e validado no Dillinger e Markable. Confira abaixo o “código fonte”. Outra coisa que merece destaque é o fato de que a forma de representar os links é bem elegante, sugere um artigo em txt, com as referências no final. Gostei muito.[1]: http://daringfireball.net/projects/markdown/syntax[2]: http://stackoverflow.com/questions/4656298/which-wiki-text-syntax-or-markdown-to-use[3]: http://dillinger.io[4]: http://markable.in

RSSE-MailIconIcon