O futuro dos bancos de dados, por Michael Stonebraker

/, Business Intelligence, noticias-tecnologia/O futuro dos bancos de dados, por Michael Stonebraker

O futuro dos bancos de dados, por Michael Stonebraker


O Gigaom traz um artigo interessantíssimo sobre o futuro dos bancos de dados. O especialista Michael Stonebraker, um dos pioneiros em bancos de dados relacionais, e que atualmente aposta em soluções alternativas, ajudou a criar bancos de dados como Ingres (avô do SQL Server) e Postgres (Post Ingres). Acho que o rapaz sabe o que fala, né ? Ele foi um dos primeiros a indicar que uma solução baseada apenas em MySQL não seria capaz de atender às demandas do Facebook.

Bom, vamos ao que interessa, ou seja, o que ele prevê (ou vê) para o mercado de banco de dados ?

“Em qualquer mercado que possa pensar, há um caminho melhor para resolver um problema que usar bancos de dados relacionais legados”. Esta é uma afirmação forte, que deixa claro o quanto é importante olhar atentamente além do mundo tradicional dos bancos de dados. Portanto, se você não sabe o que é NoSQL, NewSQL e afins, é hora de correr, pois deste conhecimento depende a qualidade das soluções que as empresas vão adotar para armazenamento de dados no “futuro presente”, diria eu, sejam dados estruturados ou não.

O próprio Michael está envolvido num projeto denominado VoltDB, que ele aponta como duas ordens de magnitude mais rápido que os bancos de dados convencionais. Não é à toa que a Microsoft está correndo para implementar recursos presentes em outras soluções, como armazenamento em colunas (2012) e utilização de tabelas em memória (2014). Me arrisco a dizer que os bancos de dados relacionais que conhecemos (MySQL, SQL Server, Postgres e outros) estão migrando para uma arquitetura híbrida que comporte a utilização de recursos típicos de bancos de dados NoSQL.

Outro ponto destacado no artigo é que cada necessidade demanda um tipo de solução, e a idéia de que uma única solução de banco de dados vai atender a todas as necessidades da organização pode não funcionar de agora em diante. Michael cita como exemplo o Obamacare, que adotou uma solução NoSQL. Isto só reforça minha impressão de que as soluções que quiserem se manter relevantes no mercado deverão adotar uma abordagem híbrida, ou focar num mercado cuja demanda seja muito alta, como redes sociais, onde bases de dados baseadas em grafos têm espaço garantido.

Michael acredita que entre três e cinco tipos de bancos de dados da “geração NoSQL” vão vingar (colunas, grafos, chave/valor, etc), e que em cada tipo haverá espaço para dois ou três “vencedores”. Ele também acha que durante a próxima década o mercado de bancos de dados relacionais vai reduzir.

Ele aponta também para uma tendência no sentido de ajustar o mundo NoSQL ao mundo SQL, com iniciativas visando propor o SQL dos bancos não relacionais, e adoção do ACID. Acrescento que o MongoDB, por exemplo, está investindo bastante nessa linha e se tornando uma alternativa recomendada para quem quer começar no mundo NoSQL com o mínimo de esforço.

O especialista vê no futuro próximo um duelo SAP x Oracle, indicando que os clientes SAP são os maiores clientes da Oracle, e que a chegada do HANA pode levar a SAP a tentar convencer seus clientes a migrar.

Por fim, Michael relata que os esforços do Facebook com o MySQL, embora louváveis, não endossam o banco de dados como a melhor solução, mas apenas indica que atualmente não há solução para os desafios da rede social.

E conclui indicando que é hora de aposentar a tecnologia relacional, pois lá se vão mais de 25 anos.
Me vejo cada vez mais interessado pelo tema banco de dados (Big Data, NoSQL e afins). É fascinante ver as possibilidades de armazenamento, organização, busca, otimização e análises de dados que as novas tecnologias permitem.

E vocês ? Concordam com o Michael ? Compartilhem aqui suas opiniões! Vamos discutir mais sobre este tema tão interessante!

Para saber mais

  1. Baixe o ebook sobre soluções para Big Data que escrevi;
  2. Se inscreva na lista que criei para discutir o tema no Google Groups;
  3. Confira minha palestra virtual apresentando os conceitos básicos da tecnologia, depois venha trocar idéias!
By |2018-08-29T10:17:11+00:00dezembro 17th, 2013|Big Data, Business Intelligence, noticias-tecnologia|5 Comments

About the Author:

5 Comments

  1. Leo web 20 de dezembro de 2013 at 15:15 - Reply

    Caramba, até o banco de dados está evoluindo desse jeito agente não pode nem piscar mais mesmo nesse mundo da tecnologia! Mas é claro que ser for pra otimizar a acelerar o processamento tudo vale a pena! Então bora estudar mais e mais!

  2. Anônimo 20 de dezembro de 2013 at 15:43 - Reply

    Pois é Léo, a tecnologia não para! Estudar sempre!

    Christian.

  3. Anônimo 28 de dezembro de 2013 at 14:54 - Reply

    Obrigado pelo comentário, Carlos!
    Infelizmente tive que remover a sua assinatura.
    O conteúdo do seu comentário está transcrito abaixo.

    Christian.


    Carlos Eduardo R.Maltez
    Concordo plenamente, banco de dados também deve evoluir, senão teremos tecnologia de ponta e motores de busca jurássicos.

    Parabéns pela matéria!

  4. Marcelo Gonçalves 3 de fevereiro de 2014 at 19:32 - Reply

    É como eu já tinha comentado com vc antes, Christian. Acho algumas dessas afirmações fortes demais, mas é o papel dele. Futurólogos e entusiastas dependem dessas afirmações para aquecer a discussão e chamar os interessados ao debate. E essa onda de "hibridização" dos bancos mais independentes, como Postgres, adotando features de sucesso dos bancos não relacionais, está fundamentando mais uma transição suave para NoSQL (não-SQL) passando antes por NOSQL (Not Only SQL).

    Em tempo, parabéns pelo resumo! Abração

  5. Christian Guerreiro 3 de fevereiro de 2014 at 21:01 - Reply

    Obrigado Marcelo!

    Como sou fã de futurólogos e afins, posso me empolgar e embarcar na onda, mas seu comentário foi muito sensato e complementa de forma muito interessante o texto.

Deixe uma resposta