Segredos do Aprendizado - Princípios Cognitivos que vão te ajudar a Aprender mais e melhor! - Parte 2

Segredos do Aprendizado - Princípios Cognitivos que vão te ajudar a Aprender mais e melhor!

Dando continuidade à série de artigos sobre aprendizado que começamos na semana passada, hoje veremos mais dois princípios cognitivos que é importante compreender para otimizar seu processo de aprendizado.

3 Entendemos coisas novas no contexto do que já sabemos.

Temas abstratos como matemática, física, finanças ou direito, muitas vezes se tornam assuntos difíceis de aprender. A razão para isso é que nós aprendemos coisas através da sua relação com outras coisas que já sabemos. Por isso, Willingham sugere em seu livro o uso de muitos exemplos para fundamentar uma abstração particular, em termos concretos, antes de prosseguir.

As pessoas superestimam sua capacidade de aprender coisas abstratas. Dizemos a nós mesmos que é possível compreender uma idéia sem antes ancorá-la em inúmeros exemplos ou analogias. Alunos inteligentes compreendem corretamente a fraqueza do cérebro quando se trata de abstrações, e constróem andaimes para apoiar as novas idéias antes de definí-las totalmente.

A tentativa de usar metáforas ou analogias para aprender um assunto comumente resulta no famoso "branco". Realmente, pode ser uma técnica complicada. Mas parte da dificuldade vem do fato de que ele aponta quando você realmente não entende um conceito. Pois se você entende um conceito, mas não pode expressá-lo através de um único exemplo ou analogia, você realmente não entendeu nada.

Então, da próxima vez que estiver estudando, tente fazer analogias com os conceitos envolvidos, pois esta é uma excelente maneira de verificar seu nível de entendimento do assunto. Isto me lembra as analogias que costumo fazer com os alunos quando um assunto é chato ou complexo, de maneira a chamar sua atenção e facilitar o aprendizado, como no caso da comparação entre os processos do ITIL e uma banda de Rock (!).

Por mais estranho que pareça, comparar um catálogo de serviços com o repertório de uma banda ou a criação de um novo serviço com a gravação de um novo álbum funciona muito bem :)

4. Proficiência requer prática.

A única maneira de se tornar bom em habilidades é praticá-las.

Além disso, algumas habilidades básicas requerem muita prática, a fim de que seja possível desenvolver habilidades mais complexas.

Matemática é um excelente exemplo: você pode ter uma compreensão conceitual do cálculo, mas se não está totalmente fluente com a álgebra, levará horas para resolver um simples problema. A única maneira de lidar com álgebra de maneira "automática" é praticar uma série de problemas.

É simplesmente impossível desenvolver habilidades complexas sem investir bastante tempo praticando as ferramentas básicas para cada assunto relacionado.Compreender apenas não é suficiente.

Willinham sugere uma alternativa para a prática repetitiva que pode ser dolorosamente sem graça: aprender assuntos mais difíceis que exigem que se pratique material anterior.

Um estudo mostrou que aqueles que tomaram uma aula de álgebra mostraram declínio rápido e previsível de suas habilidades. O único grupo em que isso não ocorreu? Aquele das pessoas que estudaram cálculo ao mesmo tempo.

Por hoje é só. E aí, o que achou dos princípios 3 e 4 ?

Christian Guerreiro

Professor por vocação, blogueiro e servidor público por opção, amante da tecnologia e viciado em informação.


Ensino a distância em Tecnologia da Informação: Virtualização com VMware, Big Data com Hadoop, Certificação ITIL 2011 Foundations e muito mais.


Suporte o Tecnologia que Interessa!

Você acha que as informações compartilhadas aqui são úteis?
Então me ajude a produzir ainda mais e melhores conteúdos!


É muito fácil. Basta divulgar nossos treinamentos pra alguém que conheça!


E se for de Salvador, podemos estruturar um curso presencial para sua empresa!

Eu vou ficar muito grato (e quem fizer os curso também :)!