Ubuntu Vivid Vervet - voltado para DevOps e mais preparado que nunca para cloud e IoT

Ubuntu Vivid Verver - voltado para DevOps e mais preparado que nunca para cloud e IoT

A mais recente versão do melhor Linux de todos os tempos (eleito por mim :) chega com bastante novidades, embora não afetem tanto assim a vida do chamado 'usuário médio' (se bem que nem existe usuário médio de Linux, correto ?).

Mas vamos ao que interessa, como sempre.

Macaquinho Vívido

Vervet é uma espécie de macaco da África que muito ajuda a entender o comportamento e a genética das pessoas em razão de suas semelhanças (o bichinho pode sofrer de ansiedade e até hipertensão).

DevOps

Esta versão do Ubuntu traz uma "pegada DevOps" notada pelo suporte ampliado a IDEs, dentre elas o Android Studio, Android NDK, IDEA, pycharm, webstorm, rubymine, phpstorm e Eclipse, além de uma 'edição Firefox dev' e suporte à plataforma de desenvolvimento de games withStencil.

Openstack Kilo

O Ubuntu 15.04 traz suporte à mais recente versão da plataforma de nuvem privada que assustou até a VMware.

Ubuntu Phone

Parece que a integração entre as plataformas desktop e mobile começa a ganhar maturidade, o que deve deixar os proprietários do BQ Aquaris e Meizu MX4 (especificações top!) bem felizes.

Internet das Coisas

A primeira versão estável do "Snappy" Ubuntu Core é parte desta versão do Ubuntu, trazendo uma alternativa mais eficiente para dispositivos IoT e para a nuvem, fornecendo uma plataforma interessante para uso da tecnologia de containers, incluindo integração com Docker.

Outras novidades

A edição chinesa do Ubuntu, Kylin, que é compatível com as exigências do governo de lá, também foi atualizada.

Os 'menus locais' voltam a ser padrão, ou seja, os menus vão junto com a janela da aplicação, e não ficam mais na barra superior, provavelmente por queixas de usuários (eu mesmo não curtia essa idéia!). Agora passa a ser possível pesquisar opções do menu da aplicação com o HUD.

Seguindo a tendência das demais distribuições, o sistema init passa a ser o odiado systemd (segundo dizem...), embora Linux não tenha nenhum 'big issue' contra o projeto.

Versões mais recentes do Kernel (3.19), LibreOffice, suporte ao OneDrive e Sharepoint completam as mudanças mais relevantes IMHO.

Conclusão

Penso que essa idéia de integração desktop mobile talvez seja um pouco de megalomania do Shuttleworth, a Microsoft já mostrou que isso não dá muito certo, a Apple não conta e o android domina o mercado mobile sem a necessidade de uma contrapartida no desktop.

A troca do upstart pelo systemd me parece correta pois, pelo que pesquisei, é um software mais robusto, funcional e moderno em relação ao obsoleto SysV. Além disso, a tentativa da Canonical de emplacar o Upstart não funcionou.

De resto, gosto da forma como o sistema está evoluindo a passos largos, e apesar de muitas controvérsias, continua sendo minha distribuição preferida pra desktop e servidor.

E você, o que acha ? Algum recurso chamou a atenção, ou acha que o melhor a fazer é manter a versão LTS atual ? Fala aí!

Christian Guerreiro

Professor por vocação, blogueiro e servidor público por opção, amante da tecnologia e viciado em informação.


Ensino a distância em Tecnologia da Informação: Virtualização com VMware, Big Data com Hadoop, Certificação ITIL 2011 Foundations e muito mais.


Suporte o Tecnologia que Interessa!

Você acha que as informações compartilhadas aqui são úteis?
Então me ajude a produzir ainda mais e melhores conteúdos!


É muito fácil. Basta divulgar nossos treinamentos pra alguém que conheça!


E se for de Salvador, podemos estruturar um curso presencial para sua empresa!

Eu vou ficar muito grato (e quem fizer os curso também :)!