[Entrevista] Como ter sucesso e viajar o mundo estudando software livre

Tecnologia que Interessa Entrevista

Tenho acompanhado há algum tempo congressos online, webinars e outros eventos online sobre tendências tecnológica, especialmente Big Data.

E num desses eventos, o TDC, assisti uma palestra sobre Big Data do Bruno "Javaman" com participação do Otávio Santana. Quando o Otávio começou a falar, lembrei dos emails da lista Java Bahia, que acompanho há muitos anos e onde o Otávio divulga regularmente eventos interessantes para a comunidade de TI do nosso estado.

Pensei então que não poderia perder a oportunidade de entrevistar um profissional baiano que estava alcançando o sucesso, como forma de estimular a comunidade de TI daqui e mostrar um possível caminho pra conquistar seus objetivos, ao invés de apenas lamentar os inúmeros problemas que enfrentamos na região.

Então vamos ao que interessa!

Confira como a trajetória do Otávio pode te inspirar e ajudar a encontrar um caminho pra superar as dificuldades do mercado local.

Otávio Santana é especialista Java e considero ele um exemplo para os profissionais da região, você já vai entender porque.

A entrevista foi feita via Hangouts, quando o Otávio estava num evento em Madrid palestrando sobre Big Data (nada mal hein? Ele até me mostrou a vista do local onde estava - fantástica!).

Sem mais enrolação, vamos à entrevista em si.

Como você começou no mundo Java? Foi uma escolha, foi por inércia, o que te motivou?

Otávio - "Eu tinha uma vontade louca de aprender a programar, e o Java pareceu uma escolha bacana, pelas pessoas envolvidas (inclusive na Bahia, como o Serge do JavaBahia) e, principalmente, pela farta documentação em comparação com outras comunidades (C, C++, etc). O Java me escolheu, com seu suporte e sua comunidade ativa."

"O profissional de TI não deve subestimar a importância de ter acesso e estudar o código fonte dos softwares complexos de hoje."

Vale a pena estudar Java?


Otávio - "Java está ainda mais forte hoje. Na apresentação feita na Espanha, falei sobre ferramentas para Big Data como Cassandra (projeto que contribuo, e que é feito em Java), num ambiente que usava a tecnologia de containers Docker."

Java é lento?


Otávio - "Há estudos que mostram que Java pode ser bem mais rápido que C e C++. O problema é que as pessoas não escolhem a linguagem da forma correta, ou seja, de acordo com o tipo de aplicação que a linguagem se adequa melhor."

Quais tecnologias você acha que o profissional deve estudar hoje?


Otávio - "Eu diria que as principais são Cloud, Containers, NoSQL, Big Data e a ciência da busca de Informação (relevância)."

Como é a experiência de contribuir com um projeto de software livre? Como isso afetou a sua carreira?


Otávio - "É uma experiência super válida, não somente pelos aspectos técnicos, mas pela necessidade de desenvolver outras habilidades, como networking, inglês, escrita de artigos, apresentações em eventos.

Sem falar das oportunidades que surgem em grandes empresas, a depender do projeto que você esteja envolvido. Há ainda a oportunidade de estudar códigos de alguns dos melhores profissionais do mundo.

Importante lembrar que aprender a programar é meio como aprender música, precisa praticar, e praticar com os maiores especialistas do mundo é muito legal."

Qual a sua experiência e impressão sobre eventos online como o TDC?


Otávio - "O cara de TI sem inglês é um excluído. Inglês é a linguagem oficial, e no mundo online isso fica muito claro. Facilita a comunicação, participação em eventos em todo o mundo, facilita o contado com palestrantes internacionais, enfim. É uma tendência que veio pra ficar, e estamos preparando eventos online (além do TDC) fora do Brasil, como o Code for Life."

Que conselho você dá pra profissionais de TI, sejam desenvolvedores ou de infra, em relação aos conhecimentos exigidos pelo mercado?


Otávio - "Primeira coisa é gostar muito da área, porque muita gente se frustra por achar que basta concluir a faculdade pra obter o emprego dos sonhos, e isso não é verdade. Por isso é importante gostar muito da área, pra ter motivação pra estudar sempre, lidar com as mudanças frequentes do mercado.

Além disso, tem que ter inglês, pois as coisas nascem em inglês, e o profissional pioneiro é mais valorizado, então o inglês permite o acesso mais cedo às novas tecnologias.

E falando em pioneirismo, software open source é um ótimo caminho pela facilidade de obter informações detalhadas e, principalmente, acesso ao código. É importante também escrever código e artigos, até pra ser "achado" na web, seja pelo seu código publicado ou pelos seus artigos.

Pra devs, é importante ser poliglota, e principalmente saber quando não usar uma determinada tecnologia (SQL, NoSQL, e mesmo Java).

Pro cara de infra, é importante conhecer as plataformas de cloud como Amazon e Azure, Containers como Docker, conceito de DevOps, e ser um especialista-generalista, tendo uma noção básica de tudo que está ao seu redor, mas se aprofundar em alguma coisa.

Assim como um dev frontend deve conhecer um pouco do backend, o mesmo vale para o profissional de infra."

Conclusão

Eu fico muito feliz quando tenho a oportunidade de trazer informações que possam acrescentar não apenas tecnicamente, mas também motivar as pessoas a tomarem as atitudes certas.

E acredito muito que as colocações que o Otávio fez apresentam claramente um caminho pra superar o desafio que é o mercado de TI na Bahia.

Por isso, sugiro que você arregace as mangas comece a agir. AGORA!

Eu resumiria tudo que o Otávio falou numa única atitude: COMPARTILHE!

Não perca mais tempo. Identifique um projeto de software livre do seu interesse, seja o Docker, o Cassandra ou qualquer outro, estude e, principalmente, compartilhe publicamente o que aprender, pois assim fica muito mais fácil ser localizado.

E lembre-se que você não precisa de um blog pra isso, pode compartilhar nas redes sociais mesmo, grupos do Facebook e LinkedIn, Whatsapp, Twitter, etc.

O importante é que você seja lembrado, e a melhor forma de garantir isso é tendo uma atitude mais ativa, ou seja, mostrando o que você sabe para o maior número de pessoas possível.

E se precisar de ajuda pra identificar projetos interessantes de acordo com o seu perfil, basta deixar um comentário aqui que te ajudo a encontrar o software livre ideal.

Então é isso, espero que você se sinta tão motivado quanto eu com a entrevista do Otávio.

Sucesso a todos!

Christian Guerreiro

Professor por vocação, blogueiro e servidor público por opção, amante da tecnologia e viciado em informação.


Ensino a distância em Tecnologia da Informação: Virtualização com VMware, Big Data com Hadoop, Certificação ITIL 2011 Foundations e muito mais.


Suporte o Tecnologia que Interessa!

Você acha que as informações compartilhadas aqui são úteis?
Então me ajude a produzir ainda mais e melhores conteúdos!


É muito fácil. Basta divulgar nossos treinamentos pra alguém que conheça!


E se for de Salvador, podemos estruturar um curso presencial para sua empresa!

Eu vou ficar muito grato (e quem fizer os curso também :)!