Análise de Dados da Wiipedia com Qlik Sense Gratuito

Com quantos cliques se faz um Dashboard como este acima?

Você sabe?

Não?

Então vamos descobrir agora, pois nunca foi tão fácil obter e exibir dados em gráficos, visualizações, painéis, dashboards, indicadores e todo tipo de formato de exibição imaginável.

Mas tem um detalhe.

Sem o devido cuidado, a visualização pode acabar representando apenas o resultado de um péssimo trabalho de análise de dados.

Isso porque, como qualquer cientista de dados com alguma experiência sabe, a parte mais complexa do processo é sempre o tratamento dos dados.

Mas este artigo não vai focar neste aspecto, pelo menos por enquanto, focando na demonstração de algumas facilidades que as ferramentas do mercado vêm incorporando nos últimos anos, e que impressionam pelo nível de simplicidade que estão alcançando, ao facilitar tarefas anteriormente complexas como Web Scraping.

Verdade seja dita, mesmo com estas facilidades todas, há limitações, como a “importação” restrita a tabelas HTML a partir de fontes web, no caso do Qlik Sense.

Ainda assim, não deixa de ser um enorme avanço, levando em conta que há tanto, mas tanto conteúdo na web, que quase sempre é possível encontrar uma página com as informações que precisa num formato adequado para o uso pela ferramenta.

Neste exemplo específico que trago pra você, fiz a importação de uma página da Wikipedia com informações sobre o  regime de governo de dezenas de países. Minha intenção é comparar estas informações com outras, em especial indicadores de qualidade de vida dos cidadãos, para obter algumas respostas relevantes, dentro do que estou chamando de “Análise de Dados Cidadã”.

Tenho uma preocupação muito grande em aproveitar este momento de maior envolvimento da sociedade brasileira nas discussões sobre política e o futuro do país, para apoiar e fomentar discussões relevantes, baseadas em dados científicos e não somente achismos.

Saiba mais...  SSD+SATA substituirão FC/SAS em 2 anos

Mas chega de conversa fiada, e vamos ao que interessa!

Pra este primeiro artigo, fiz um cadastro no site da Qlik, que permite o acesso e uso gratuito do Qlik Sense Cloud para até 5 usuários compartilhados, se entendi direito.

Uma vez cadastrado, o processo de gerar o dashboard que ilustra este post foi ridiculamente simples:

  • Acessar o portal do Qlik Sense Cloud com usuário e senha registrados (após validar o cadastro por um link enviado por email);
  • Clicar em Criar Aplicativo;
  • Clicar em Adicionar Dados – Arquivo da Web;
  • Informar a URL “https://pt.wikipedia.org/wiki/Lista_de_pa%C3%ADses_por_sistema_de_governo”;
  • Selecionar as tabelas que desejava importar (neste caso apenas a primeira, com os dados dos regimes de governo por país);
  • Escolher a codificação Unicode (UTF-8 também deve funcionar);
  • Confirmar a importação dos dados;
  • Clicar em Gerar Insights na tela seguinte.

Ou seja, o painel que você vê na imagem que ilustra este post foi construído sem que precisasse escrever uma linha de código sequer, nem escolher objetos, parâmetros, colunas, muito menos criar fórmulas e expressões.

As relações entre os dados, seus tipos, melhor formato de exibição, combinações que fariam sentido e até mesmo o tipo de gráfico mais adequado para exibição foi determinado automaticamente pela ferramenta, neste caso o Qlik Sense Cloud.

Incrível, não é mesmo?

Conclusão

Neste primeiro post da série, quis apenas dar uma ideia pra você do nível de facilidade para obter e visualizar dados automagicamente, usando algumas das ferramentas mais modernas que temos à disposição atualmente.

Ainda falta muito para ter uma aplicação realmente funcional, com informações tratadas, combinadas de forma consistente, e que respondam perguntas relevantes para o negócio.

Mas o que as ferramentas já avançaram no sentido de facilitar este trabalho é realmente impressionante!

Saiba mais...  Sincronize Outlook e Google Calendar

E sabe qual a parte mais legal disso? Estas facilidades estão permitindo que mais pessoas possam se debruçar sobre dados e realizar análises cada vez mais úteis para as empresas (e para a sociedade!), reduzindo a barreira da complexidade tecnológica que costuma atrapalhar em muitos casos, criando uma dependência desnecessária de profissionais de TI em casos onde a análise a ser feita depende mais do especialista do negócio.

E para os casos mais complexos, aí sim o especialista de TI, em parceria com o negócio, pode apoiar na construção de análises mais sofisticadas que potencializem o que há de melhor nas tecnologias como Inteligência Artificial com Machine Learning e Deep Learning, por exemplo.

Fique ligado que essa é mais uma série do Tecnologia que Interessa! que promete, e muito!

Você não vai perder, né?

Até o próximo post! 😀