A apresentação do Cláudio F. Filho foi muito interessante, pois ele apresentou a maneira correta de realizar a migração para software livre. Isso é uma das coisas mais importantes quando se trata de software livre, já que é muito comum vermos processos de migração falharem por situações que poderiam ser evitadas. No blog do Cláudio há um Guia de Migração que vale muito a pena conferir. Vamos à palestra.

  • O que migrar – usuários corporativos (servidor, desktop e notebook), usuários em geral (desktop e notebook);
  • Quando o que o usuário utiliza em casa é o que ele utiliza no trabalho, facilita muito;
  • Não focar no aspecto tecnológico (melhor x pior), mas na funcionalidade. Ele usou uma analogia muito interessante: não importa o carro em que você aprendeu a dirigir, você dirige qualquer um;
  • Migrar em camadas – hardware, sistema operacional, aplicativos (internet, escritório, específicos – negócio);
  • Entre 75 e 95% das necessidades do usuário são relacionadas a aplicativos de internet e escritório (aplicativos críticos, frequentemente tratados de forma inadequada);
  • Atentar para a interdependência entre as camadas e aplicativos. Exemplo: software de abertura de demandas baseado em ActiveX, só funciona no IE;
  • Trabalhar de cima pra baixo, a partir dos aplicativos, eliminando dependências;
  • Migrar para a nuvem é o melhor caminho, pois reduz a necessidade de aplicativos a um único: o navegador;
  • Ainda assim, não é fácil deixar de adotar o Internet Explorer, por exemplo, por conta da interdependência;
  • Aumenta a preocupação com a “maçã”, por conta do aumento do uso de Mac OS X e iOS;
  • Principais aspectos: cultura, comunicação, capacitação, multiplicadores;
  • 50% dos esforços estão ligados a pessoas, 33% a aplicativos e sistemas, 17% desktops e servidores;
  • Migração tem que ser feita de cima pra baixo. Primeiro passo tem que ser convencer a alta direção, mostrar ROI, CTO, etc;
  • Classificar itens a serem migrados em fácil, moderado e difícil e projetar cronograma com base nisso – sugestão 24 meses;
  • Ferramenta: WPKG – instalação e remoção de programas em Windows;