Esxi virtualizado no Xen

Embora seja um conceito antigo (bem antigo!), ainda me surpreendo navegando por aí e vendo como ainda há muita gente com dúvida sobre este conceito tão importante no mercado de TI atual, onde as novas possibilidades de serviços baseados em computação em nuvem estão apoiadas fortemente na sólida base que consiste a tecnologia de virtualização.

Fornecedores de Solução para Virtualização de Servidores

Nos próximos minutos você vai entender melhor a tecnologia de virtualização, suas vantagens e desvantagens, conhecer alguns dos principais fornecedores (VMware, Microsoft, Citrix, etc) e suas soluções (VMware vSphere, Hyperv, Xen, KVM).

Fornecedores de Solução para Virtualização de Servidores

Você vai descobrir porque a virtualização é tão importante, como utilizá-la a seu favor, conhecendo suas características, tipos, técnicas, ferramentas, e tudo que precisa estar atento para fazer o melhor uso desta que é, certamente, uma das tecnologias que o profissional de infraestrutura de TI precisa dominar.

É muito comum ver profissionais PERDIDOS diante de tantos conceitos, técnicas e ferramentas.

Talvez você esteja se sentindo CONFUSO…

Precisando de ajuda pra encontrar um caminho…

Pra saber por onde começar…

Neste caso uma conversa pode ajudar…

Conversar com alguém mais experiente ajuda…

A ter mais CLAREZA dos seus objetivos…

A identificar os maiores DESAFIOS que vocẽ terá pela frente…

A traçar um PLANO pra superar esses desafios…

Parece interessante?

Ótimo!

Você pode agendar sua CONVERSA GRATUITA clicando aqui.

Neste Conteúdo Você Vai Saber...

História da Virtualização

 

A base teórica da arquitetura de virtualização começou a ser modelada em 1972, pelo cientista americano Robert P. Goldberg. Porém, ainda na década de 60, a IBM foi a responsável por lançar um mainframe capaz de executar simultaneamente diferentes sistemas operacionais sob a supervisão de um programa de controle chamado hypervisor.Podemos dizer, portanto, que o conceito de virtualização de sistemas operacionais foi criado há mais de 50 anos!

Atualmente a virtualização é realidade em todo mundo, ajudando a TI a aumentar a produtividade, economizar recursos de servidores e melhorar a gerência do ambiente corporativo.
O conceito de virtualização pode ser definido como a criação de um ambiente virtual que simula um ambiente real, propiciando a utilização de diversos sistemas e aplicativos sem a necessidade de acesso físico à máquina na qual estão hospedados. Esse ambiente virtual pode ser um sistema operacional, um servidor, um dispositivo de armazenamento como um storage, um recurso de rede ou até mesmo um desktop.
A necessidade de redução de custos sem perder a disponibilidade dos serviços, fez com que a IBM fosse a pioneira na utilização da tecnologia. Na década de 60, super computadores já atingiam grande poder de processamento, mas o gerenciamento dos processos não era automatizado, e resultava em perda de tempo e aumento de ociosidade dos processadores. O grande investimento destinado ao desenvolvimento de computadores de grande porte e a otimização do tempo em que o sistema estava ocupado, resultou no surgimento de uma nova ideia, de execução de processos em paralelo, que posteriormente, levou à virtualização.
A virtualização pode ser vista como método para a instalação e execução de vários sistemas operacionais e aplicações em uma mesma máquina. Um dos benefícios diretos dessa abordagem é a melhor utilização dos recursos de hardware, dos servidores físicos.

A virtualização proporciona enormes ganhos no ambiente de TI. Por isso, se você ainda não adotou a virtualização no ambiente da empresa, deve se apressar, pois os benefícios são significativos, trazendo resultados não apenas para a empresa, mas também para você, aumentando produtividade e eficiência.

Vantagens da Virtualização

Redução de TCO

Total Cost of Ownership, ou Custo Total de Propriedade, refere-se a todos os gastos de uma empresa envolvendo aquisição de hardware, licenciamento de software, instalação, treinamento, atualização e manutenção de sua infraestrutura.

O TCO pode ser reduzido com o uso da técnica de virtualização, pois a virtualização diminui os custos relacionados a instalação, atualização e manutenção de servidores, por exemplo. É muito mais fácil, rápido e simples criar uma máquina virtual que instalar um servidor físico.

Alguns fabricantes até disponibilizam ferramentas que facilitam o cálculo do TCO considerando a comparação de uma infraestrutura de T.I com e sem virtualização, tornando muito mais simples justificar um projeto de virtualização.

Redução do uso do espaço físico

A virtualização oferece uma redução considerável das necessidades de espaço físico, em razão da utilização de menor quantidade de equipamentos (servidores, storage, rede, etc).

Isto ocorre porque, ao virtualizar os servidores, a relação 1:1 passa a ser de 1:n, ou seja, um único servidor físico agora pode abrigar vários servidores virtuais, e isso se reflete no espaço físico necessário para os servidores, e também ativos de rede, dispositivos de armazenamento, cabos e demais componentes físicos, cuja quantidade é significativamente reduzida.

Há estudos que comprovam este benefício, como neste exemplo da Fujistu, onde a redução de uso do espaço físico foi de 66%.

Redução do consumo de energia

Com a consolidação física, especialmente dos servidores, a virtualização reduz o consumo de energia.

Servidores são responsáveis pelo maior consumo de energia entre os equipamentos de TI, e este consumo é objeto de muitos estudos nos últimos anos, resultando em diversos ganhos de eficiência.

A virtualização dos servidores ajuda a otimizar o consumo de energia da TI, essencial em tempos de crescimento exponencial do volume de dados nas empresas.

Isolamento dos ambientes de testes

A construção de ambientes que envolvem hardware físico é muito mais complexa em relação aos ambientes virtuais, de forma que a virtualização facilita a criação de ambientes de teste e homologação.

Ainda que virtuais, estes ambientes podem ser criados com isolamento, mesmo que compartilhem o mesmo hardware, graças aos mecanismos de particionamento, encapsulamento e isolamento lógico, que garantem a não interferência entre os sistemas virtualizados.

Com isso, fica muito mais fácil, rápido e barato criar “laboratórios virtuais”, seja para verificar o comportamento de uma estação de usuário com a última atualização do Windows, ou testar uma nova versão do software de autenticação da rede.

Flexibilidade no aprovisionamento de recursos

Novas máquinas virtuais podem ser criadas de forma simples (até automática!) utilizando recursos como templates, clones e imagens ISO.

O processo de aprovisionamento de um novo servidor físico é absurdamente mais complexo e burocrático quando comparado à criação de um novo sistema virtual.

Além disso, é possível redistribuir as máquinas virtuais entre servidores físicos, o que permite adequar as necessidades de recursos pelas aplicações com o hardware disponível, algo impensável antes da virtualização.

Se uma aplicação precisa de mais memória, processamento ou espaço em disco, desde que exista recurso disponível em algum lugar na infraestrutura, é possível entregar este recurso ao servidor virtual que hospeda a aplicação. Num servidor físico, isso seria impossível.

Hypervisor - Virtualização de Servidores

Padronização das plataformas e gerenciamento centralizado

O hypervisor é a camada de software que está localizada entre o sistema operacional e o hardware do servidor físico. Sua principal função é realizar a comunicação e “abstração” entre sistemas heterogêneos, permitindo, por exemplo, executar sistemas operacionais diversos, ao mesmo tempo, compartilhando o mesmo hardware.

O resultado é que passamos a gerenciar os recursos das máquinas virtuais através de uma única ferramenta, de forma mais simples e eficiente.

Um aspecto extremamente importante a destacar é a utilização do conceito de “hardware virtual” por algumas soluções. Isto significa que o sistema virtualizado enxerga um hardware diferente do hardware real, não estando sujeito às suas limitações.

Em geral, o hardware virtual é concebido para ser o mais genérico possível, facilitando a virtualização de sistemas antigos (legado) e preservando os investimentos da organização.

Imagine, por exemplo, que a versão do ERP da empresa não foi atualizada por ter um custo muito elevado, e agora você precisa usar uma versão também antiga de sistema operacional para esta solução.

Graças ao hardware virtual, você poderá continuar usando o sistema operacional e a aplicação antiga pelo tempo que quiser, pois o sistema operacional antigo reconhecerá este hardware genérico, e o hypervisor se encarregará de compatibilizar as operações com o hardware moderno do servidor físico (host).

Tipos de Virtualização

Muitas pessoas consideram que a tecnologia de virtualização consiste em utilizar ferramentas para criar máquinas virtuais, porém a verdade é que há muito mais aplicações possíveis para a tecnologia, conforme podemos observar nos exemplos a seguir.

Virtualização de Servidores

Virtualização de Servidores

Técnica de execução de um ou mais servidores virtuais sobre um servidor físico. Permite maior densidade de utilização de recursos, enquanto permite que isolamento e segurança sejam mantidos.

Diferente da época dos mainframes, a virtualização dos servidores agora acontece em servidores x86, graças aos avanços no desenvolvimento dos processadores e outros componentes de hardware.

Virtualizaçao de Desktops

Virtualização de Desktops

Trata-se da configuração dos desktops dos usuários finais em uma infraestrutura centralizada virtual.

Isso significa que as aplicações do usuário passam a executar em máquinas virtuais personalizadas, armazenadas num Data Center e disponíveis a qualquer tempo, em qualquer dispositivo.

Isto permite a configuração dinâmica de estações de trabalho virtuais, oferecendo maior flexibilidade, segurança e otimização do uso de recursos da TI.

Virtualização de Armazenamento

Virtualização do Armazenamento

A ideia aqui é centralizar o armazenamento de dados através de um ou mais componentes de hardware robustos, geralmente capazes de permitir que várias unidades heterogêneas de armazenamento sejam vistas como um conjunto homogêneo de recursos.

Assim, uma rede de armazenamento (SAN – Storage Area Network) é implementada, e todos os sistemas (físicos e virtuais) acessam este armazenamento compartilhado, centralizado e robusto, garantindo maior segurança e desempenho no acesso aos dados.

Virtualizaçao de Aplicações

Virtualização de Aplicações

Trata do conceito de execução de aplicações “encapsuladas”, permitindo a sua configuração e atualização de forma centralizada, melhorando seu gerenciamento e facilitando o tratamento de problemas de compatibilidade com sistemas operacionais e bibliotecas.

Um exemplo deste tipo de virtualização muito utilizado atualmente é a JVM (Java Virtual Machine), que permite a instalação e utilização de uma aplicação independente do sistema operacional instalado na máquina.

Virtualização de Redes

Virtualização de Redes

Proporciona a criação de redes lógicas sobre uma única infraestrutura compartilhada de rede física.

Cada rede lógica fornece ao grupo de usuários correspondente serviços plenos de rede, semelhantes aos utilizados por uma rede tradicional não virtualizada.

A experiência da perspectiva do usuário final é a de ter acesso a uma rede própria, com recursos dedicados e políticas de segurança independentes.

Hypervisor tipo 1 e 2

Tipos de Hypervisor

Os tipos de virtualização também podem ser definidos quanto à arquitetura e técnicas utilizada para virtualização.

Há dois tipos principais de arquitetura que podem ser adotados para virtualização de sistemas: Hypervisor Tipo 1 e o Hypervisor Tipo 2.
O hypervisor nada mais é que o monitor de maquina virtual, responsável por gerenciar os recursos necessários para os sistemas virtualizados.

O hypervisor Tipo 1 permite que o software de virtualização seja o próprio sistema operacional. O software instalado diretamente sobre o hardware fica responsável sobre a disponibilização e monitoramento das maquinas virtuais aos recursos de hardware.Já o hypervisor Tipo 2 funciona como uma aplicação do sistema operacional, e a aplicação de virtualização funciona como um processo de usuário.

Exemplos de hypervisor do tipo 1: ESXi, Hyperv, KVM.

Exemplos de hypervisor do tipo 2: Virtualbox, VMware Player.

Técnicas para Virtualização

Existem duas técnicas principais de virtualização que são mais conhecidas: Virtualização Completa e Para-Virtualização.

A virtualização completa, conhecida também como emulada, oferece ao sistema visitante, uma versão virtual do hardware em que o sistema nativo esta instalado, de forma que o sistema visitante e suas aplicações possam ser executadas como estivessem em uma maquina física.

Ao emular os recursos de hardware, neste tipo de aplicação, todo e qualquer processo da maquina virtual, terá que ser executada ou testada primeiramente pelo VMM (Virtual Machine Monitor), para que posteriormente seja executada  pelo hardware.Além disso, levando em consideração que os sistemas operacionais não foram desenvolvidos para compartilhamento de recursos com outros sistemas de forma nativa, a virtualização total, tem que lidar com alguns inconvenientes, como compartilhamento de memoria, o que gera paginação e também a adaptação de cada dispositivo para diferentes sistemas o que consequentemente  gera um aumento na demanda de processamento e atividade de disco.

O outro tipo de virtualização é a para-virtualização. Neste modelo a abordagem é diferente da virtualização completa e o código do sistema operacional é modificado para que somente os processos que possam fazer alguma alteração no sistema, ou seja, instruções sensíveis,  sejam executados pelo VMM, otimizando o desempenho.

Ferramentas para Virtualização

No mercado atual, existem diversas alternativas para virtualização de servidores, desktops e outros tipos de virtualização. As aplicações para virtualização podem funcionar como sistemas de virtualização Tipo 1 ou Tipo 2.Você pode usar as informações a seguir para avaliar as alternativas de solução para virtualizar o ambiente da empresa, e escolher a que lhe parecer mais adequada.

Se precisar de ajuda, deixe um comentário que terei o maior prazer em responder.

VMware

VMware

Solução líder de mercado, a suite de virtualização da VMware suporte diferentes sistemas operacionais, incluindo Windows, Linux, Solaris e MAC OS X, dentre outros. Há até uma piada sobre a VMware suportar mais versões de Windows que a própria Microsoft com o Hyperv :)A VMware oferece diferentes soluções para virtualização.

Há o VMware Workstation, utilizado em desktops para fins acadêmicos e de testes, sendo mais indicado para uso individual, para usuários domésticos que desejem criar laboratórios virtuais para experimentar sistemas operacionais, aplicações ou mesmo simular redes completas.

O ESXi, desenvolvido especialmente para uso corporativo, é um sistema operacional dedicado exclusivamente para virtualização de sistemas. Por funcionar como um sistema operacional, temos um aumento considerável de desempenho devido a proximidade software/hardware.
VMware Fusion, versão desenvolvida exclusivamente para sistemas MAC. Funciona basicamente como a Workstation, mas voltada para a virtualização de sistemas da Apple.
VMware Converter é uma ferramenta que possibilita a migração de máquinas físicas para um ambiente virtual, num processo chamado P2V (Physical 2 Virtual). Além disso, oferece a possibilidade de converter uma maquina virtual no formato XenServer, Hyper-V e outros, para uma infraestrutura virtual da VMware.
Xen Server

XenServer

O Xen nasceu de um projeto da Universidade de Cambridge, e é uma ferramenta de código aberto.Esta solução utiliza o conceito de paravirtualização. Neste tipo de abordagem,  o Xen é instalado diretamente sobre o hardware e organiza todas as requisições feitas pela maquina virtual, repassando ao processador, sem a necessidade de interpretá-las.

Em outras palavras, não há aqui o conceito de “hardware virtual”, ou seja, o sistema virtual está sujeito às características (boas e ruins) dos componentes físicos do servidor.

A Citrix fornece, além do hypervisor XenServer, o XenCenter, aplicativo que tem como função disponibilizar o gerenciamento das maquinas virtuais através de uma interface gráfica.
Microsoft Hyper-V

Hyperv

Hyperv é a solução para virtualização de sistemas desenvolvida pela Microsoft.Utilizando o hypervisor do tipo 1, esta solução oferece recursos semelhantes ao da VMware, tais como suporte a VLAN, migração de VMs em tempo real, armazenamento dinâmico, dentre outros recursos.

A solução da Microsoft, embora tenha chegado ao mercado “atrasada”, ganhou bastante espaço pela conveniência de adotar uma solução de virtualização que consiste num serviço (role – pra usar a nomenclatura mais recente) para sistemas Windows Server.

A solução tem evoluído rapidamente, e penso que hoje podemos dizer, sem medo de errar, que o hypervisor não importa mais.

KVM, OpenVZ, Proxmox

Outras Soluções de Virtualização

Poderia descrever aqui inúmeras outras soluções de virtualização que vale a pena conhecer: KVM, OpenVZ (o “pai” dos containers!), Proxmox, etc.O fato é que hoje a tecnologia está disseminada de tal forma, que qualquer solução vai atender às necessidades da empresa, com uma limitação aqui ou ali, mas o “basicão” todo mundo faz, e faz bem.

O importante é entender a sua necessidade e escolher com sabedoria.

Dicas para Virtualização de Servidores

Vale a pena fazer algumas recomendações, quando se trata de virtualizar os servidores e a infraestrutura da empresa.Eu gosto muito do termo Virtualização de Datacenter, pois ele deixa claro que devemos pensar a virtualização da infraestrutura como um todo e não apenas como “criação de máquinas virtuais”. Pense no “quarteto fantástico”: processamento, memória, armazenamento e rede.

Para cada um destes elementos, identifique como a virtualização pode auxiliar na otimização dos recursos, seja distribuindo melhor o uso dos processadores, reduzindo o uso de memória ou facilitando o armazenamento dos dados.

O uso de armazenamento centralizado (SAN) é altamente recomendado, e há muitas opções disponíveis, desde uma solução caseira baseada em Linux até uma solução de última geração (as chamadas All-Flash).

Fique atento ao licenciamento da solução que escolher, caso ela seja paga. É comum a cobrança por processador, e um descuido pode custar caro.Lembre-se que, como diz o velho ditado, “Quem tem um não tem nenhum”. Portanto, virtualizar servidores usando um único equipamento físico é loucura!

Se possível, você deve adquirir servidores para virtualização em pares ou até em maior quantidade (3 ou 4 – conforme a necessidade de recursos). Pode até ser mais interessante adquirir vários servidores menores que apenas um “gigante”.

Atente também para o backup e opte por soluções que sejam mais integradas, com funcionalidades específicas para ambientes virtualizados.

Não é recomendado adotar a abordagem tradicional, baseada em agentes, para o backup das máquinas virtuais. Faça isso somente se não tiver outra opção.

O que quero dizer com isso?

Que não faz sentido instalar agentes em todas as máquinas virtuais pra fazer backup dos arquivos do sistema, quando você pode adotar soluções que fazem backups mais inteligentes do seu ambiente virtual.

E nunca, jamais, em tempo algum, cometa este erro ao fazer o backup das suas VMs.

VMware Certified Associate - Certificação VCA

Certificações em Virtualização

Se você quer se especializar em virtualização, há varios caminhos.Uma das opções mais interessante é buscar uma certificação, e a minha recomendação é que busque uma certificação que seja, ao mesmo tempo, reconhecida, e tenha exigências razoáveis para se obter.

Uma certificação que atende a estes requisitos é a VMware Certified Associate – Data Center Virtualization (VCA-DCV), que não exige treinamento oficial da VMware, e demonstra que você domina os fundamentos da virtualização.

Outras certificações interessantes na área incluem Citrix Certified Professional – Virtualization (CCP-V), Cisco Data Center Unified Computing Design Specialist, Cisco Data Center Unified Computing Support Specialist, MCSE: Private Cloud, RHCVA, VCP5-DCV e VCP6-DCV.Aqui você tem um quadro que mostra a distribuição de vagas em 2017 que exigem certificações em virtualização para alguns sites internacionais.

 

Conclusão

Espero que este texto tenha sido útil para esclarecer o quanto esta tecnologia é importante para o profissional de TI (infraestrutura), e como você pode se beneficiar do seu uso.
A tecnologia de virtualização me possibilitou criar mecanismos para ter mais tranquilidade e segurança de que o ambiente de TI vai continuar a funcionar, mesmo em situações adversas.
Graças à evolução da tecnologia, é possível lidar com falhas automaticamente, fazer balanceamento de carga, otimizar a distribuição de recursos, identificar e resolver gargalos com facilidade, ter mais segurança, eficiência e muitos outros benefícios.

Sou entusiasta da tecnologia de virtualização e peço que, caso tenha dúvidas, não deixe de postar seu comentário abaixo. Vou ficar muito feliz em responder. Mesmo!

Até a próxima!

Quer saber quais as certificações mais desejadas do mercado?
Há algumas que você deve estar atento, além dcertificação VMware, como a certificação ITIL, em Segurança da Informação e Big Data.

 

Como posso ativar a virtualização no meu PC?

1
Certifique-se de selecioná-lo no BIOS. Baixe e instale o software da VM, eu uso o Oracle VirtualBox em um computador com Windows 10. Baixe o sistema operacional que você deseja executar na máquina virtual. Abra o software da VM e configure a nova máquina. Certifique-se de atribuir recursos suficientes. Lembre-se de que, quando você estiver executando a máquina, esses recursos não poderão ser usados pelo sistema operacional host. Eu tenho o Ubuntu LTS em execução no VirtualBox. Atribuo-lhe 4 GB de memória e funciona bem. Tenho 16 GB de memória total. Se você escolheu o VirtualBox, baixe e instale os utilitários para ele.

2
Para PC: faça o download do software VM ou compre-o. Ao criar uma nova VM, você precisará instalar um sistema operacional nela; a Microsoft não permite copiar ou de alguma forma usar o sistema operacional da máquina host, o que significa que, é claro, você não pode inicializar a partir dela / com ela. Você precisa decidir o nível de recursos que você alocará para sua VM.

3
Depois que você deseja executar uma máquina virtual no seu PC, é necessário ativar a virtualização no BIOS. As etapas serão diferentes nas diferentes placas-mãe da marca. Portanto, você precisa saber qual placa-mãe usa. Por exemplo, é fácil na placa-mãe ASUS: Passos: 1. Pressione F2 enquanto reinicia o computador para abrir a configuração do BIOS. Pressione a seta para a direita para localizar a guia Avançado, escolha a Tecnologia de virtualização e pressione Enter.3. Selecione Ativar e pressione Enter novamente. Pressione F10 para salvar as alterações e sair. Como habilitar a virtualização (VT) no BIOS para Hyper-V Windows 10

Como a virtualização funciona?

1
A virtualização é a criação de uma versão virtual (e não a real) de algo, como um sistema operacional, um servidor, um dispositivo de armazenamento ou recursos de rede E agora é o campo de TI que mais cresce. As soluções de virtualização estão sendo implementadas para usar menos hardware através da automação, construa novos servidores em minutos. A virtualização está em todo lugar agora. Se você não estiver a bordo, você perderá o trem. O Curso MindMajix VMware ajuda você no seu caminho com um tutorial abrangente para aprender o VMware.https: //www.engadget.com/2016/09 …

2
A virtualização de servidores é a maneira de criar uma plataforma virtual, não real, incluindo dispositivos de armazenamento, recursos de rede de computadores e plataformas de hardware de computadores virtuais, mas o trabalho será melhor e mais rápido que o servidor físico, além de reduzir a carga de trabalho, o tempo de inatividade, a eletricidade e os espaços, etc. da empresa que ajuda no trabalho ou melhora a qualidade.Para mais informações, visite esta referência.O que é Server VirtualizationObrigado!

3
Existem vários exemplos de virtualização: BoxedApp SDKÉ necessário esclarecer a pergunta para obter uma resposta mais precisa. Que tipo de virtualização você quer dizer? Arquivo, registro, sistema operacional?

Quais são os riscos de ativar a virtualização de hardware x86?

1
Sem o pacote apropriado de AntiVirus ou Internet Security (talvez com análise comportamental como o EmsiSoft), você pode ser infectado com o rootkit, que pode prender seu sistema operacional na máquina virtual e viver fora dela, tendo acesso invisível, mas completo ao seu hardware (discos, rede, teclado, etc. ) Uma vez infectado, como você pode verificar se está em uma matriz? Ao ver valores estranhos em alguns registros de CPU: ‘Red Pill … Ou como detectar o VMM usando (quase) uma instrução de CPU’ – SecuriTeam

O que é rede privada virtual?

1
Rede privada pela rede pública. Isso significa que você pode criar uma rede privada pela Internet (rede pública), a VPN é usada para proteger a transferência de dados. Como a Internet não é uma rede segura, você não pode transferir seus dados confidenciais abertamente na Internet. Aqui a VPN entra em cena. Ele cria túneis virtuais entre os dois hosts usando vários tipos de protocolo de criptografia, como SSL, IPSec, PPTP etcetra. Espero que isso ajude.

2
Uma VPN é uma conexão que aparece entre dois ou mais dispositivos. Esses dispositivos normalmente não são imediatamente adjacentes um ao outro, mas a parte virtual da conexão absorve todos os saltos entre os dispositivos e faz parecer que esses pontos finais são adjacentes. Isso é feito através de algo chamado túnel. A parte privada de uma rede vem do fato de que essa conexão pode ser criptografada, protegendo assim o conteúdo e até os pontos finais de olhares indiscretos.

3
Na Internet, nenhum dispositivo pode acessar um dispositivo que esteja em uma LAN ou rede privada específica devido ao NAT.Routers se comunicam em nome de cada dispositivo com servidores Web (sites) .Mas as tecnologias VPN permitem que um dispositivo se comunique com outro dispositivo que está em uma rede privada ou LAN.Na tecnologia VPN, o pacote IP completo é criptografado, incluindo o cabeçalho, e encapsulado em outro pacote que contém o endereço IP de destino do dispositivo VPN.

É possível aprender hackers éticos sem virtualização? (O notebook não suporta virtualização.)

1
Não. O conhecimento sem prática não tem sentido. Você precisa implementar todo o seu conhecimento teórico no ambiente de laboratório para obter o melhor dele. Quando você começar a praticar, encontrará diferentes conjuntos de problemas que o arrastarão mais para esse campo. Eu sou digno.Eu não sou um tipo teórico de cara.Eu acredito em 0 ou 1 (acho que você entendeu.). Até ou a menos que você não esteja praticando, seu conhecimento é 0. Pratique muito para fazê-lo 1. Minha sugestão, Encontre uma maneira de contornar a Virtualização. Estão disponíveis outros laboratórios on-line.

Saiba mais...  5 provas de que o Big Data já afeta seu dia a dia

O que é virtualização no nível do sistema operacional (virtualização baseada em contêiner)?

1
A outra resposta está dando a diferença entre virtualização e containerização. Mas acho que a questão é entre contêineres do sistema e outros (como o docker). Com o docker; foi projetado para colocar um aplicativo (e todas as suas dependências e bibliotecas etc.) em um contêiner. Você separa os binários e os coloca em um contêiner de encaixe e os vincula aos serviços (daí o termo microsserviços). Mas há outro tipo de contêiner por aí: contêineres de sistema (e é o que o LXC originalmente tinha em mente, eu acho). Eu recomendo experimentar o Proxmox, pois ele tem uma ótima interface gráfica LXC e é ótimo para contêineres do sistema. É mais eficiente do que a virtualização, pois você compartilha o kernel do host e não faz emulação alguma de hardware, mas a principal diferença com o docker é que, se você criou um contêiner Ubuntu como contêiner de sistema, ainda estaria executando todo o núcleo do Ubuntu componentes como systemD.Em resumo; você pode usá-lo em 99,9% dos casos de uso nos quais você usaria o KVM / VMware, mas obtém uma densidade significativamente maior do host e com todos os outros benefícios que os contêineres podem trazer (isolamento de outros contêineres, regras complexas de segurança, fáceis de restaurar Se você estiver usando o Proxmox, você pode usar o Proxmox para todas as minhas necessidades de contêiner linux e não virtualizar mais nenhuma carga de trabalho. Posso ajustar quase 5 vezes a quantidade de contêineres no mesmo hardware e manter (se não melhorar) o desempenho dos seus antepassados KVM.

2
Normalmente, quando você cria várias VMs sobre um Hypervisor (geralmente tipo 2), escolhe um sistema operacional diferente para cada uma das VMs. Em vez disso, em uma tecnologia baseada em contêiner, você executa vários Aplicativos (com suas respectivas bibliotecas) em uma única OS. Cada um desses aplicativos é gratuito para personalizar o sistema operacional. Cada camada personalizada é chamada de contêiner. Um exemplo disso seria o Docker. À esquerda, você tem um hyperv típico do Type2 e, à direita, um Docker Engine.

Quem são os principais colaboradores da virtualização além da VMware?

1
O VMare trouxe a virtualização para a plataforma x86 pela primeira vez no final dos anos 90, mas a virtualização de sistemas de computador foi realmente inventada pela IBM na década de 1960. Os sistemas operacionais CP-40 e posterior (mais popular) CP-67 para o mainframe IBM System / 360 foram os primeiros a implementar a virtualização completa.

2
Xen, KVM e Hyper-V são os três que vêm à mente imediatamente. Todas essas são ótimas alternativas ao VMware, especialmente se você estiver consciente dos custos. Confira esta postagem no blog da minha empresa que analisa alguns estudos de caso que falam do valor do Hyper-V como um concorrente da VMware. Vários benefícios dos estudos de caso do Hyper-V e alternativas gratuitas Espero que isso ajude.

3
Como muitos dos nomes já foram mencionados, sei que um dos restantes é Cyberoam. Para obter mais detalhes, consulte o link. Ref: Virtual Firewall Appliance – Cyberoam

Como a computação em nuvem difere da virtualização?

1
A virtualização forma a base da computação em nuvem. O Cloud é possível através da virtualização de computação, rede e armazenamento nos quais vários serviços são fornecidos…

2
Hoje em dia você não pode ter um sem o outro. Na verdade, eles dependem de cada lontra, especialmente com o advento do SDDC ou “Data Center Definido por Software”. A computação em nuvem não seria possível e o CAPEx não seria prático para uma empresa que não pudesse virtualizar a computação, o armazenamento e o armazenamento do data center. agora redes.Empresas como Amazon, Google, Microsoft e muitas outras empresas da lista das 500 maiores fortunas têm infraestrutura de computação de mercadorias virtualizada para fornecer serviços para nós.

3
A computação em nuvem tem tudo a ver com serviços (não apenas tecnologia) que podem ser gerenciados e consumidos de maneira autoatendimento, elástica, multitenante e pagamento por uso. Essa é uma descrição genérica e de alguma forma descritiva da maioria das situações na nuvem. A virtualização é apenas uma tecnologia, fundamental para implementar e hospedar serviços em nuvem. Você não pode implementar serviços de autoatendimento, elásticos e pay-per-use.

Qual sistema de virtualização o Alibaba Cloud usa?

1
O Alibaba Cloud usa uma tecnologia de virtualização baseada em “XEN / KVM” e utiliza o sistema de arquivos distribuído Apsara “Pangu” para armazenamento.

2
A maioria dos produtos Alibaba Cloud é executada no sistema distribuído Apsara, a tecnologia de virtualização é baseada no XEN & KVM e a nuvem Alibaba usa o Pangu para seu armazenamento.Pangu: sistema de armazenamento de arquivos distribuídos Apsara Um amigo o convidou para receber US $ 5 ou US $ 10 em crédito na nuvem

Como a virtualização de rede é usada na computação em nuvem?

1
A virtualização de rede permite que um operador de computação em nuvem reconfigure dinamicamente a topologia e os serviços de rede a partir de um controlador central. Isso complementa a virtualização de armazenamento e computação que torna economicamente viável a computação em nuvem.

2
Um dos maiores pontos da virtualização de rede é a capacidade de “ampliar” sua largura de banda sob demanda. Pense dessa maneira: quantas placas LAN físicas você pode conectar a um servidor físico? Com o servidor virtual, você pode conectar centenas e milhares de cartões virtuais a um servidor virtual, teoricamente, aumentando sua capacidade de largura de banda cem vezes em apenas alguns cliques. É claro que essa teoria é limitada pela conexão física no Data Center e pelas limitações atuais de software, mas pense em todos os benefícios que ela oferece …

3
A flexibilidade / agilidade que ele oferece no que diz respeito ao dimensionamento está diretamente alinhada com o princípio básico da computação em nuvem. A ideia é que sua infraestrutura de TI se ajuste à maneira como é usada, em vez de fornecer um recurso estático e determinado que limita severamente sua capacidade de se adaptar, aumentar ou otimizar. Este é um ótimo vídeo do Rod Stuhlmuller da VMware sobre o tópico : Virtualização de rede e o data center definido por softwarePergunta O que é “virtualização de armazenamento”?

1 A virtualização de armazenamento é a adição de uma camada extra de mapeamento entre os endereços de bloco (ou locais de arquivo) que um usuário vê e os locais físicos reais dos dados [1]. Isso pode ser feito para reunir recursos através de dispositivos ou hosts, como outros apontaram. Isso também pode ser feito para permitir provisionamento thin, desduplicação, classificação em camadas (fortemente análoga à memória virtual, que pode ser suportada pela memória real ou pelo disco) e assim por diante. [1] Observe que mesmo a “localização física” de um bloco em um único disco pode ser enganosa, devido ao remapeamento de blocos defeituosos, etc. 2 A Virtualização de Armazenamento cria uma camada de abstração sobre os recursos de armazenamento disponíveis, com o objetivo de agrupar recursos de armazenamento em várias entidades (hosts / outros dispositivos de armazenamento). Exemplos típicos de virtualização de armazenamento são o VMware VSAN com conjuntos de discos locais nos hosts em um conjunto de blocos de armazenamento, os espaços de armazenamento da Microsoft fazem o mesmo, mas fornecem armazenamento de objetos. 3 É a abstração de meios físicos (discos rígidos ou drives de estado sólido, etc.) dos servidores associados que trata o armazenamento como uma única entidade lógica sem levar em conta a hierarquia de meios físicos que está envolvido. Virtualização de armazenamento significa adicionar uma camada de abstração de software que oculta os dispositivos físicos do usuário e permite que todos os dispositivos sejam gerenciados como um único pool. Ele adiciona uma nova camada de software ou hardware entre os sistemas e servidores de armazenamento, para que os aplicativos não precisem saber em qual unidade lógica, partições ou subsistemas de armazenamento os dados residem. No contexto de um sistema de armazenamento, existem dois tipos primários de virtualização que podem ocorrer: A virtualização de bloco usada neste contexto refere-se à abstração (separação) do armazenamento lógico (partição) do armazenamento físico, para que possa ser acessada sem considerar o armazenamento físico ou a estrutura heterogênea. Essa separação permite aos administradores do sistema de armazenamento maior flexibilidade na maneira como gerenciam o armazenamento para usuários finais. O ato de aplicar a virtualização a um ou mais serviços baseados em bloco (armazenamento) com o objetivo de fornecer um novo serviço de bloqueio agregado, de nível superior, mais rico, mais simples, seguro etc. aos clientes. As funções de virtualização de bloco podem ser aninhadas. A unidade de disco, o sistema RAID ou o gerenciador de volume executam algum tipo de endereço de bloco para (diferente) mapeamento ou agregação de endereço de bloco.A virtualização de arquivos aborda os desafios do NAS, eliminando as dependências entre os dados acessados no nível do arquivo e o local em que os arquivos estão fisicamente armazenado. Isso oferece oportunidades para otimizar o uso do armazenamento e a consolidação do servidor e executar migrações de arquivos sem interrupções. A virtualização de arquivos é a criação de uma camada de abstração entre os servidores de arquivos e os clientes que acessam esses servidores. Uma vez implantada, a camada de virtualização de arquivos gerencia arquivos e sistemas de arquivos entre servidores, permitindo que os administradores apresentem aos clientes um conjunto de arquivos lógicos para todos os servidores.Vantagens da Virtualização de ArmazenamentoGerenciamento de Armazenamento Melhorado em um ambiente de TI migrar dados mantendo o acesso de E / S (migração de dados não disruptiva). Reduza o número de dispositivos SAN. Reduza o consumo de energia. Economize tempo. Facilidade na replicação de dados. Tarefas fáceis de backup, arquivamento e recuperação. Expansão da capacidade de armazenamento. AtualizaçõesHabilidade de aumentar o tamanho do volume de armazenamento em tempo real.Aumento da velocidade de carregamento e backup.Os desafios da virtualização de armazenamentoArquitetura de armazenamento se torna muito mais complicada.Mais complicações podem levar a problemas de solução de problemas.A determinação de problemas e o isolamento de falhas podem se tornar complexos.Existem situações em que o armazenamento físico os recursos são supercomprometidos. Implementação.Interoperabilidade.Gerenciamento de metadados.Mais alta latênciaImplementar a virtualização de armazenamentoPor que precisamos implementar a virtualização de armazenamento? Aumento das demandas de armazenamentoTanto tempo para fazer backup e restauração. Baseado em host: as unidades físicas são tratadas pelo driver de dispositivo tradicional, enquanto uma camada de software acima do driver de dispositivo intercepta solicitações de E / S, pesquisa metadados e redireciona E / S.Pros: Simples de projetar e codificar. Suporta qualquer tipo de armazenamento. sem restrições de provisionamento thin.Cons: replicação e migração de dados somente é possível localmente para esse host.É impossível recuperar dados tradicionais após uma falha no disco do servidor.Utilização de armazenamento otimizada somente por host.Com base na rede: a virtualização de armazenamento é vista como baseada em rede dispositivo usando redes Fibre Channelconectado como SAN. Um comutador Fibre Channel entre o host e o armazenamento virtualizará todas as solicitações. Curiosamente, o sistema operacional no host não sabe o que está acontecendo, pois esse método não depende do sistema operacional.Pros: Interface de gerenciamento simples.Serviços de replicação em dispositivos heterogêneos.Cons: Difícil implementar atualizações rápidas de metadados nos comutadores.Out-of a banda requer software específico baseado em host.In-band adiciona latência à E / S.Implementação de Network basedAppliance Based: um dispositivo residente entre o cliente e a matriz de armazenamento implementa a camada de virtualização de armazenamento e se torna um novo destino de armazenamento. Quando os dados são enviados para o dispositivo por meio de recursos de virtualização de armazenamento do cliente, é possível ativar, como instantâneo, provisionamento dinâmico e replicação de dados.Pros: Baseado em VersatilityCostSwitch: um aplicativo que reside no servidor conectado ao comutador SAN do canal de fibra. Embora fique entre o host e o armazenamento, mas pode usar técnicas diferentes para o mapeamento de metadados.Pros: Velocidade mais rápida.Cons: caro.Tem falta de recursos, como provisionamento dinâmico. fornece serviços de virtualização. Ele fornece serviços de gerenciamento de pool e metadados.Pros: Não requer hardware ou infraestrutura adicional.Fornece a maioria dos benefícios da virtualização de armazenamento.Não adiciona latência a E / S individuais.Cons: Utilização de armazenamento otimizada apenas nos controladores conectadosReplicação e migração de dados só é possível através do tratamento e as mesmas fornecedores ligado dispositivo para longa distância supportArray baseada: camada de virtualização do armazenamento vive inteiramente dentro da matriz de armazenamento.

Qual é a diferença entre computação em nuvem e virtualização?

1
Esses dois termos, por mais usados em conjunto, são totalmente diferentes. Cloud Computing é uma tecnologia usada para fornecer recursos de software / hardware compartilhados via Internet (IaaS, SaaS, PaaS). Considerando que, a virtualização é um processo de simulação de versão virtual de recursos (VMs). Observe que o uso da virtualização junto com a nuvem oferece muitos benefícios.

2
A virtualização nos permite criar recursos lógicos (máquinas, redes, discos, …) que se parecem exatamente com um recurso físico da perspectiva do usuário final. Dessa forma, você pode compartilhar a infraestrutura física entre muitos pequenos projetos, mantendo-os isolados. A computação em nuvem é uma palavra de marketing que significa aproximadamente um sistema no qual você pode criar recursos virtuais e pagá-lo sem possuir ou gerenciar a infraestrutura física.

Como posso ativar a virtualização no Windows 10?

1
Primeiro, verifique se a sua máquina é compatível com virtualização. Abra o Gerenciador de tarefas → Desempenho → CPU e veja se a virtualização está ativada ou não.Se desativado, reinicie o sistema e, durante a inicialização, pressione a tecla F2 / F7 (com base no fabricante, pode variar, google (…) e habilite a virtualização. Espero que isso ajude !!! Siga-me em Jose Praveen para obter meus próximos feeds.

2
Isso pode ser feito através da opção de inicialização pressionando F2, F7, etc. durante a inicialização e varia de acordo com o fabricante do sistema.

3
Para instalar o vitualbox ou o vmware, você precisa habilitar a visualização no BIOS do laptop ou desktop. Reinicie o computador quando for reiniciar novamente, pressione F2 ou a tecla Del depende da placa-mãe para acessar a tela do BIOS. Sob a virtualização de pesquisa do BIOS e ative isso, pressione F10 para salvar e sair. Agora você pode instalar o VMware.

Qual é o papel da virtualização na computação em nuvem?

1
Virtualização na computação em nuvem: -Virtualização é o processo de criação de um ambiente virtual em um servidor existente para executar o programa desejado, sem interferir em nenhum dos outros serviços fornecidos pelo servidor ou pela plataforma host a outros usuários. O ambiente virtual pode ser uma instância única ou uma combinação de várias, como sistemas operacionais, servidores de rede ou de aplicativos, ambientes de computação, dispositivos de armazenamento e outros ambientes.

2
A possibilidade de “dividir” logicamente os recursos físicos de um servidor para usá-lo, pois havia vários computadores isolados (máquinas virtuais). A CPU se torna várias CPUs “Virtuais”, iguais para RAM e discos rígidos. Cada máquina virtual tem seu próprio sistema operacional, sistema de arquivos, etc. O resto, o Google sabe disso.

3
O ponto principal da nuvem é o armazenamento virtual e descentralizado. Em suma, é virtual. A máquina funciona 100% como qualquer outra máquina, exceto que não há hardware. É tudo software. Uma palavra, é virtual. Em outras palavras, a virtualização é o método usado para criar e executar esses servidores.

O Google usa virtualização (vSphere ou Xen) em seus datacenters?

1
Outras respostas sugerem claramente que SIM o Google usa o Xen, mas deixe-me dizer-lhe que o Google Computer Engine (GCE) é baseado no KVM. “Para o nosso sistema de gerenciamento de cluster, o KVM se parece com outra tarefa, como uma tarefa de pesquisa”, diz Hölzle . “É isso que nos permite reutilizar grande parte de nossa infraestrutura existente”. Urs Hölzle é um engenheiro de software e executivo de tecnologia suíço. Ele é vice-presidente sênior de infraestrutura técnica e membro do Google no Google. Como oitavo funcionário do Google e seu primeiro vice-presidente de engenharia, ele moldou grande parte dos processos e infraestrutura de desenvolvimento do Google.

2
Além disso, o Google está investindo fortemente em LXC (por exemplo, veja Qual é a maturidade do projeto Linux Containers (LXC)?)

Qual é a diferença entre virtualização de rede e virtualização de função de rede?

1
1. A virtualização de rede refere-se ao fato de que todas as redes e sub-redes que trafegam dos trânsitos da VM são elas próprias criadas sobre o hardware virtual (os IPs e outros que existem apenas no território da VM). Também inclui funções básicas como routing.2. Serviços de rede virtual são coisas como DNS, DHCP etc. executando em redes virtuais3. Veja a discussão na lista de discussão do PetiteCloud para obter detalhes http: //lists.petitecloudlorg.nyl …

O que é a virtualização de aplicativos na computação em nuvem?

1
É como se você tivesse acesso ao software sem instalar em sua própria máquina onde está. Você pode pensar nisso como um vídeo reproduzido no YouTube. Portanto, o vídeo está no YouTube, mas você pode apreciá-lo com a ajuda da Internet. Da mesma forma, o software será configurado em algum servidor de ponta e será usado por você como um software local e com a ajuda da rede. Portanto, você terá que usar menos espaço no seu próprio disco rígido. Citrix e VMware fornecem ferramentas de virtualização para fazer isso.

2
O Application Virtualization (também conhecido como Process Virtualization) é uma tecnologia de software que encapsula programas de computador do sistema operacional subjacente no qual é executado. Um aplicativo totalmente virtualizado não é instalado no sentido tradicional, embora ainda seja executado como se fosse.

3
É apenas uma tecnologia de software que encapsula programas de computador do sistema operacional subjacente no qual é executado. usamos o OpSmart Cloud Management, que possui uma excelente capacidade de gerenciar máquinas virtuais a um custo acessível.

O que é uma máquina virtual?

1
Em meados dos anos 80, minha empresa me enviou ao MIT para algumas aulas avançadas de TI. Enquanto estava lá, fui exposto à idéia de máquinas virtuais baseadas no mainframe IBM 370. Sem se tornar muito técnica, uma máquina virtual é uma máquina emulada criada em software dentro de outra máquina. Hoje, mesmo os PCs podem criar outro PC com seu próprio sistema operacional e memória. Isso geralmente é feito para tentar um novo software para uma máquina que você talvez não tenha ou por razões de segurança, para que a memória não possa ser corrompida ou devido a problemas de malware.

2
Máquinas virtuais são basicamente máquinas que não estão realmente em um sistema, mas funcionam com a ajuda de algum tipo de software. Um bom exemplo é virtualmente operar o Kali Linux no computador Windows.Aqui, você não usa o sistema real para instalar o sistema operacional, mas usa um sistema operacional para hospedar um sistema operacional alternativo com a ajuda de um softwarePara o Windows, um bom exemplo de software é o Oracle Virtual BoxEu tenho um vídeo do YouTube para o mesmoSinta-se livre para verificá-lo.Gostar, comentar e se inscrever.

3
Nas respostas mais simples, seu software que zomba de qualquer tipo de máquina que você deseja. (Como o Windows 7) sem usar os principais recursos importantes do computador, por exemplo, executar um Trojan em uma máquina virtual não afetará o computador (na maioria das vezes). É basicamente usado para testar coisas para as quais você não deseja usar sua máquina

Como é feita a virtualização x86?

1
A Intel possui Intel-VT (d, x, et al.): Uma interface única que permite que os hipervisores (normalmente do tipo 1) se conectem a ele para permitir a troca muito rápida do sistema operacional, mas ainda há muito trabalho a ser realizado com os drivers de dispositivo, caso precisem ser compartilhados entre os vários SOs … a virtualização do tipo 2 é executada em um SO, portanto, não é necessário fazer muito com o chipset.

Qual é a melhor plataforma de virtualização para Mac OS X?

1
Utilizo o Parallels Desktop desde 2006. Nos primeiros anos de virtualização, o Parallels e o VMWare se destacavam regularmente, mas nenhum deles liderava por muito tempo. Hoje em dia, as duas opções são sólidas e se resumem às preferências pessoais. No início, eram bastante complicadas e você precisava ser técnico para executá-las. Você precisava pesquisar bugs, procurar correções e aplicá-las. Mas nos últimos anos, o Parallels “simplesmente funciona”. Você pode até instalar a versão beta do Windows 10 apenas clicando em um botão.

2
A revisão e os benchmarks devem ajudá-lo a decidir, espero que você esteja familiarizado com a Ars e a Mactech: http: //arstechnica.com/apple/rev…http: //www.mactech.com/2011/01/0. .

Como a virtualização de rede da AWS (VPC) funciona?

1
Como em todo o resto da AWS, até a rede foi abstraída para um serviço (um pouco), pelo menos para algumas tabelas de pesquisa que são grandes demais para armazenar em hardware de rede, independentemente do preço. e a maneira como a rede VPC é gerenciada é provavelmente única no setor, com base na escala massiva em que deve operar. A seguir, é apresentada uma discussão fantástica do re: Invent 2015, de um dos engenheiros de rede originais que projetou as personalizações que permitiam à rede lidar com a VPC em escala quase ilimitada:

Qual é a melhor fonte para aprender virtualização e computação em nuvem?

1
Existem vários níveis de conhecimento sobre isso: Os detalhes de baixo nível de como o X86 (a plataforma mais comum) realiza a virtualizaçãoUsando e administrando ferramentas de virtualização – VMWare, MS HyperV, KVM etc. a maioria das informações de alto nível. Para entender as coisas de baixo nível, você precisa de conhecimento de programação.

2
Antes de aprender com qualquer fonte, tente usar um produto para poder explorar e entender muito mais: Para virtualização, Para começar, instale o Oracle VirtualBox no Windows ou o KVM no Linux. Comece a explorar com o hipervisor e os arquivos associados ao VMs.VMware governam o domínio de virtualização. Leia e use seus produtos para conhecer detalhadamente os conceitos de virtualização. Para obter muitos detalhes sobre virtualização e computação em nuvem, comece a aprender os conceitos Vcloud (um produto da VMware) e sua hierarquia e arquitetura. Provedor de serviços em nuvem como AWS, Azure, eles têm muitos tutoriais em vídeo e tutoriais de aprendizado na web. Crie uma conta em qualquer CSP, ele solicita informações do cartão de crédito, mas todo CSP custa apenas no uso. Para iniciar e conhecer vários serviços da AWS, consulte thisAWS Training | Vídeos e laboratórios de instrução – Treinamento on-line gratuito da AWSTente o opentack, para um entendimento mais profundoSoftware »Software de computação em nuvem OpenStack Open Source

3
Boa pergunta, bem, você precisa ler muito e obter conteúdo e material de treinamento on-line é bastante fácil. O que você provavelmente precisa é de algo estruturado para começar e eu sugeriria algum curso on-line, em um dos muitos MOOC, você encontrará ótimos Pessoalmente, eu tentaria também nossa Cloud Academy: aprenda computação em nuvem, teste suas habilidades e obtenha uma certificação. Isso é particularmente útil para aprender a usar a computação em nuvem, está estruturada e os cursos estão chegando em poucas semanas.

Qual é o melhor livro para aprender conceitos de virtualização facilmente?

1
A VMware é pioneira em virtualização. Então você começa a partir daqui http: //www.vmware.com/in/virtual … e escolhe estudar especificamente sobre virtualização de servidor / armazenamento / rede.

2
Capa comum: 304 páginasPublisher: Sybex; O livro é um dos mais importantes da literatura brasileira e, por isso, é um dos livros mais importantes da literatura brasileira.

3
eu mesmo estudando virtualização em uma universidade e também tive dificuldade em encontrar os melhores livros para aprender livros sobre virtuilização, mas este livro é o melhor para mim. Guia de Instalação e Configuração do Windows Server 2012 Hyper-V

Por que o Facebook acha que a virtualização não é escalável?

1
Cada aplicativo que usa o Amazon AWS usa significativamente menos servidores que o Facebook como um todo. Com dezenas de milhares de servidores, cada 1% de ineficiência devido à virtualização resultaria em centenas adicionais de servidores no Facebook. Outro problema é que várias VMs no mesmo servidor físico podem estar executando diferentes tipos de funcionalidade. Como resultado, cada falha de um servidor físico agora exige um gerenciamento de falhas mais complexo, que abrange vários tipos de funcionalidade.

Quais são os principais casos de uso da virtualização?

1
Os principais benefícios incluem: expandir a receita melhorando a eficiência dos funcionários remotos e permitindo a aquisição de talentos, independentemente da região geográfica; reduzir o risco protegendo informações confidenciais em um datacenter, em vez de nos dispositivos do usuário final; reduzir os custos operacionais, reduzindo os custos de licenciamento e simplificando a sobrecarga administrativa de TI; incluem: Recuperação de desastresAcesso remoto seguro para equipes distribuídasAmbientes de treinamento segurosAplicativos Linux e Windows em qualquer dispositivoEntrega segura de aplicativos sem reescritas caras

2
Antes, quando não há virtualização, temos um dispositivo para um trabalho específico. Embora um dispositivo tenha recursos suficientes para realizar mais de um trabalho, ele é usado apenas para uma única finalidade. Aqui não estamos utilizando nossos recursos com eficiência. Portanto, pela virtualização, podemos obter eficiência fazendo com que um único dispositivo físico execute todas as tarefas, dedicando-se virtualmente a várias máquinas virtuais.

Quais são os problemas com a rede no ambiente de virtualização?

1
Os principais problemas que surgem na virtualização e no ambiente de computação em nuvem são: 1. Alta densidade de energia 2. Efeitos na eficácia do uso de energia (PUE) devido à menor carga de TI 3. Carga dinâmica de TI com toda essa flexibilidade muito maior para atender à demanda de energia de computação altamente dinâmica. Enquanto eu estava incomodando com esse tipo de problema na virtualização, a Nordisk Systems me fornece todas as demandas para resolver os problemas da virtualização e também do ambiente de computação em nuvem.

Qual é a melhor maneira de aprender virtualização?

1
A propósito, não é fácil. A maneira mais fácil de aprender a virtualização é começar a trabalhar no campo de TI em um trabalho de virtualização de nível básico. Você também pode encontrar recursos gratuitos no VMware Hands-On Labs. Você pode obter uma cartilha agradável lá. Você também pode criar um laboratório doméstico para obter algumas experiências práticas. Estou no meio da obtenção da minha certificação VCP5.5 a baixo custo – você pode ler sobre isso aqui: Tornando-se VCP: Guia de certificação VMware não autorizado Boa sorte! Sei que você tem o que é preciso! Confira meu blog de carreiras de TI em CareerLevelUp.com.

Qual é a melhor solução de virtualização de desktop atualmente?

1
O Bhyve no FreeBSD executa círculos em torno do QEMU / KVM e VirtualBox. A melhor solução envolve instalar o FreeBSD como o sistema operacional host e, em seguida, executar suas VMs nesse sistema. O sistema inclui suporte experimental para Windows, mas o VirtualBox também roda muito bem no FreeBSD. Com o QEMU / KVM no Linux, existem muitos problemas de segurança, a maioria dos quais é culpa do Linux, tornando essa opção menos viável.

2
O CorePLUS fornece uma área de trabalho virtual que pode ser acessada a partir de qualquer dispositivo. CoreDesk é o nome do produto e é um produto de modelo de assinatura. (Um serviço gerenciado) Acesso o CoreDesk nos seguintes dispositivos: – Android Samsung Galaxy Note 4 – iPhone da Apple 4s, 5c – Apple iPad – Chromebook Asus – Tablet Android LG Tab 7.0 – Lenovo ThinkPad T520 (Windows 7 Pro 64 Bit) I assim o CorePLUS CoreDesk é versátil e estável. Baixa latência para que a velocidade da conexão não seja um problema. Você pode fazer o pedido com sua escolha de capacidade de processamento e memória, dependendo de suas necessidades. Você também pode escolher vários sistemas operacionais para sua área de trabalho virtual. Você pode conectar-se a dispositivos locais (por exemplo, HDD externo, USB, impressoras, etc.). Consulte coreplusworld.com para obter mais informações. Eu ainda sou um grande fã da empresa e do produto. Eu ainda uso o CoreDesk todos os dias.

Saiba mais...  Melhores #Smartphones 2010

3
Depende do que você classifica como uma solução ideal, pois a VDI pode ser um desafio para montar, sem a estratégia certa. Em qualquer caso, isso depende do seu modelo de negócios, casos de uso e objetivos individuais. Geralmente, você pode receber a solução perfeita de um fornecedor bem informado, com conhecimento completo dos principais componentes da VDI e dos produtos disponíveis. Comece encontrando comparações de preços e desempenho e desenvolva seus critérios para selecionar software e hardware de virtualização. Selecione um plano que corresponda da melhor maneira aos tipos e às necessidades dos usuários e ofereça altos retornos. Dito isso, o ClearCube fornece uma ampla variedade de soluções Thin Clients, Zero Clients, Blade Clients e PCs da tecnologia PCoIP para oferecer suporte a implantações de VDI. Nossas soluções de próxima geração e alto desempenho são otimizadas para atender aos requisitos de segurança, capacidade de gerenciamento e desempenho da empresa moderna. Nossas histórias de sucesso de clientes em diferentes setores refletem sobre como nossa equipe os ajudou a alcançar os resultados de negócios desejados por meio de recomendações personalizadas. Visite nosso site e entre em contato conosco para obter mais informações sobre a melhor implementação possível para seus negócios.

Como a virtualização ajuda nos testes de software?

1
Veja se alguém pensa que coisas virtuais podem funcionar como reais, isso não será possível. Então, de certa forma, podemos dizer que é apenas uma confirmação ou satisfação. Quando você fala sobre AR e VR, o caso é totalmente diferente. O teste nesses dois possui parâmetros e lógica diferentes para definir o escopo. Para conteúdo específico, pesquise.

Por que a virtualização de desktops e aplicativos virtuais não se torna padrão?

1
Imagino que um dos desafios da virtualização de desktops seja que o custo é maior que o desktop tradicional de uma empresa. Os benefícios em termos de segurança, facilidade de gerenciamento etc. são os fatores determinantes para as empresas adotarem o HVD, mas hoje não é considerada uma opção mais barata. A tecnologia de ponta de empresas como Gridcentric e Piston pode mudar isso algum dia.

2
A virtualização de desktops não é adequada para todas as empresas, mesmo para todos os departamentos da empresa, mas a adoção está explodindo; a principal razão é que as questões tradicionais de custo e inflexibilidade com desktops virtuais baseados em Citrix são superadas pelo lançamento do DaaS da VMware, que realmente está mudando o jogo, alex.hobbs@backbone.uk.com

A virtualização do data center é a próxima grande novidade na virtualização?

1
isso é coisa de céu azul para a maioria das organizações, mas se você pode realmente virtualizar servidores, armazenamento, rede, ao ponto de poder mover aplicativos e componentes de DC para DC, sem problemas, você virtualizou os dados centro, certo? Você pode considerar o datacenter como uma construção abstrata. Esse é o objetivo final ou a computação em nuvem (privada ou pública). Um dos maiores obstáculos aos aplicativos de hoje é que eles não são suficientemente compostos para realmente serem móveis.

2
Se isso for verdade, os blocos de dados e informações podem ser transferidos usando a tecnologia em nuvem, como visto hoje em dia? Bem, se isso for possível em uma plataforma móvel, é realmente uma grande conquista.

3
Na minha opinião, vejo a virtualização de clientes de desktop (ou VDI) como a próxima grande novidade na virtualização. Mais pessoas estão trabalhando fora do local, e as linhas entre negócios e pessoal estão ficando borradas. Os departamentos de TI também sabem que precisam migrar para o Windows 7, mas não têm orçamento para fazer um projeto de atualização da área de trabalho, pois provavelmente estão executando o XP nos últimos 10 anos. Somente esses dois fatores me fazem acreditar que a virtualização de desktop será a próxima grande novidade.

Como você habilita a virtualização de hardware no Windows 7?

1
A virtualização de hardware é um serviço / recurso do BIOS e não possui conexões com o sistema operacional (por exemplo, Win7 / 8/10). Para usar esse recurso, execute as seguintes etapas: Inicialize no menu BIOS pressionando DEl / F12. A tecnologia seleciona e o habilita. Inicialize normalmente no sistema operacional e pronto.

2
Você ativa a virtualização em uma CPU suportada no BIOS. Para a maioria dos computadores, você pode acessar o BIOS pressionando a tecla Esc ou a tecla F2 logo após pressionar o botão liga / desliga enquanto liga o computador.

3
A configuração está no BIOS, mas pode ser encontrada em vários locais diferentes, dependendo do fornecedor do BIOS. Abaixo está um exemplo.

Como as máquinas virtuais funcionam?

1
Recentemente, assisti a um vídeo bastante simples de seguir.

2
Oi. Máquina virtual é uma máquina de software. Ele funciona com a ajuda da CPU virtual da RAM virtual Nic virtual e do disco rígido virtual. Você pode baixar a caixa virtual da Oracle ou o pc virtual da Microsoft para entender melhor. Estes são os softwares que podem criar um ambiente de PC de 32 bits de 64 bits no qual você pode instalar sistemas operacionais.

3
você pode fabricar máquinas virtuais com softwares de terceiros diferentes, como “VMWARE”, habilitando a virtualização em seu sistema e funciona como seu sistema original; máquina virtual e faça várias tarefas que você normalmente faz no seu sistema.

Os assistentes virtuais são bons ou ruins para os negócios?

1
Em geral, eu diria sem rodeios “Não”! Por que, porque um VA potencial pode ser sua mão direita e parceiro de sucesso nos seus negócios? Contratar o VA certo é o seu primeiro passo e, em seguida, delegar as tarefas certas de acordo com as habilidades e conhecimentos do VA é uma decisão sua. Eu vi vários postos de trabalho e principalmente pessoas procurando ter várias habilidades em um assistente virtual como: um empresário quer ter escritor, designer gráfico, gerente de mídia social, desenvolvedor, etc. tudo em um! Minha sugestão é que você contrate a pessoa certa para o trabalho certo.

Virtualização: como o Openstack está afetando o VMware?

1
Não é. Essas são duas tecnologias diferentes fornecidas por dois fornecedores / organizações diferentes.

2
Site da HomeCheck para cursos on-line de software de TI para obter o melhor preço.

O que é virtualização no BIOS?

1
Você quer dizer as configurações para ativar / desativar o VT-x e o VT-d no BIOS (ou a tecnologia AMD correspondente)? As CPUs modernas possuem tecnologia que pode ser usada para acelerar a virtualização. Não há realmente nenhuma boa razão para desativá-lo, exceto se você estiver vendendo computadores e não quiser se incomodar em dar suporte aos casos estranhos da virtualização. Obviamente, também não há boas razões para habilitá-lo, a menos que você planeje usar máquinas virtuais (Hyper-V ou caixa virtual ou algo parecido).

A virtualização é uma alternativa ao software multilocatário?

1
Seus instintos estão corretos – virtualização e multilocação são duas coisas diferentes e as empresas de SaaS mais bem-sucedidas fazem as duas coisas. As definições de multilocação são variadas (jvm compartilhada? Servidor db compartilhado? Esquema db compartilhado?). A principal coisa a se pensar é como você dimensiona e quão doloroso isso será – a virtualização pode ajudá-lo a copiar as camadas da web, do aplicativo e do db de um inquilino para criar um novo inquilino facilmente, mas quando você tem 10 deles e faz upgrades de qualquer coisa ou fazer alterações, torna-se super doloroso e retarda o desenvolvimento do produto.

2
SIM, o Parallels possui um produto chamado Virtuozzo, que permite criar modelos de aplicativos que são executados em um servidor virtualizado mutli-tenant (farm). Isso permite que você tenha uma base de código em todos os clientes e, de fato, oferece uma camada adicional de flexibilidade, pois você pode atualizar todos os clientes de uma só vez, mas ainda tem a opção de executar determinados serviços como personalizados por cliente (mas, é claro, tente eliminar esta opção durante os ciclos de vendas).

3
Sim, a virtualização é uma opção que vale a pena investigar. Quando o software já é executado em uma base de código não multitenial existente, as economias no esforço de desenvolvimento e no tempo de lançamento no mercado podem ser consideráveis. O cenário de implantação seria menos radical (leia-menos arriscado ) para CIOs existentes, em comparação com a migração para um multitenant em que um lançamento de software exige altos níveis de personalização, a multitenancy pode não ser prática; muitas empresas preferem que as cargas de trabalho intermitentes de outras empresas não tenham impacto no ambiente. A multilocação é incapaz de evitar isso.

O que é virtualização de desktop?

1
Qualquer tecnologia que separa o sistema operacional da área de trabalho (como o Windows 7) do hardware físico subjacente. O benefício é que agora a carga de trabalho e as informações não estão mais vinculadas a uma única máquina, mas podem ser movidas de máquina para máquina (fornecendo alta disponibilidade) ou colocadas com outros desktops (proporcionando economia de custos em hardware físico). Um recurso comum e um enorme benefício das soluções de virtualização de desktops são o acesso remoto em vários tipos de dispositivos, permitindo acessar a área de trabalho a partir de um laptop, thin client, telefone celular ou tablet como um iPad.

2
Em palavras simples, é dito que a virtualização de desktop é alcançada quando um sistema operacional funciona como uma máquina virtual no servidor físico junto com outras VMs. Essa virtualização de desktop nos permite acessar nosso dispositivo remotamente a partir de qualquer servidor físico. A principal vantagem da virtualização de desktops é que ela reduz o custo do servidor físico, a manutenção do dispositivo.

3
A virtualização de desktop é uma tecnologia de software implementada pela maioria das empresas com o objetivo de separar o ambiente de desktop e o software de aplicativo associado do acesso aos dispositivos físicos usados pelo cliente. As empresas que operam no setor de TI e telecomunicações estão adotando significativamente soluções de virtualização de desktops, a fim de minimizar os custos excessivos da infraestrutura de TI e melhorar a velocidade de implantação. Além disso, a adoção da virtualização de desktops em empresas de processamento de negócios e data centers está crescendo em ritmo acelerado.

Quais são os principais players do setor de virtualização?

1
De acordo com a comunidade de usuários da IT Central Station, as principais soluções para o Virtualization Management são atualmente o VMware vRealize Operations (vROps), Turbnomic e Densify. Você pode visualizar a lista completa de soluções classificadas pelos usuários aqui: Leia as análises mais recentes dos principais fornecedores de ferramentas de gerenciamento de virtualização A seguir, é apresentado um gráfico de comparação com base em análises das duas principais soluções desta categoria, vROps e Turbonomic: operações Turbonomic vs. VMware vRealize ( vROps) Comparação

Como a VMWare passou a dominar o mercado de virtualização?

1
A avaliação da VMware – quando a VMware estava atravessando o abismo para o mainstream, eles tinham essa ferramenta excelente e gratuita que eles podiam executar nos ambientes do cliente que expeliam este relatório após algumas semanas dizendo “Você pode deixar de ter 200 servidores no datacenter para 20”. e você economizará $ XXX, XXX. Se você virtualizar seus servidores com o VMware, terá um ROI de 12 meses ou menos “. A maioria dos CIOs disse onde posso assinar e o ROI era real.

O que é virtualização de função de rede?

1
Os principais objetivos do Grupo de Trabalho de Virtualização de Funções de Rede ETSI – NFV – Grupo são: – Reduzir custos de equipamentos e consumo de energia – Melhorar o tempo de colocação no mercado – Ativar a disponibilidade de vários aplicativos em um único dispositivo de rede com a versão multi e multi • Incentive um ecossistema mais dinâmico por meio do desenvolvimento e uso de soluções somente de software.Todos esses benefícios podem ser derivados do uso de hardware comercial pronto para uso (COTS), que pode ser proposto e reaproveitado para vários serviços relacionados a telecomunicações que atualmente usam hardware proprietário. A NFV está adotando o conceito de rede definida por software (SDN) do movimento de virtualização e adaptando-o para beneficiar a infraestrutura de aplicativos de telecomunicações.

2
Aumentar os investimentos dos fornecedores em avanços tecnológicos, juntamente com os avanços na tecnologia de rede 5G, aceleraria o crescimento do mercado de virtualização de funções de rede do mercado de virtualização de funções de rede durante o período de previsão. Obter amostra de PDF: https://bit.ly/2Bt3BQP

Quais são os benefícios da virtualização?

1
Para adicionar o que Palani disse, a virtualização traz benefícios aos negócios. A Amazon AWS é baseada na virtualização de uma maneira ou de outra. A virtualização introduziu novas idéias de computação da era como Cloud Computing e SaaS. Você pode ter coisas como alocação dinâmica de recursos usando técnicas de virtualização.

2
Vantagens da virtualizaçãoDiminuição de capital e despesas de trabalho.Limite ou limpe o tempo pessoal.Expandiu a lucratividade, a produtividade, a destreza e a capacidade de resposta.Provisionamento mais rápido de usos e ativos.Mais coerência nos negócios e recuperação de desastres.Ferramentas reorganizadas de servidores.

3
Principais benefícios da virtualização – Esses são todos os benefícios fornecidos pela virtualização?

Quais são os principais casos de uso para virtualização de dados?

1
Finalidade de teste de aplicativo que envolve vários cenários de negócios. Para reverter o banco de dados para um determinado ponto no tempo, a virtualização de dados funciona mais rapidamente do que restaurar os dados.

Quais são as mais recentes técnicas de virtualização?

1
Os principais tipos de técnicas de virtualização que você encontrará no dia-a-dia incluem: Virtualização de Rede Virtualização de Armazenamento Virtualização de Servidores Virtualização de DadosDesktop VirtualizationApplication VirtualizationFonte da resposta: O que acontece quando você usa a virtualização no teste de software?

Quais são os pré-requisitos para aprender a rede definida por software e a virtualização de funções de rede?

1
Noções básicas sobre como as redes funcionam e noções básicas sobre algoritmos e programação.Se você é bom nisso, tudo o que você precisa fazer é entender os conceitos de SDN e NFV.Inicie com SDN. Siga as especificações de fluxo aberto e você tem muitos recursos e cursos … Basta procurá-los no google! Boa sorte!

2
Para aprender sobre SDN e NFV, veja aqui o que você deve aprender primeiro. Redes tradicionais, VRFs, GNS, roteamento entre VRFs, VDOMs de FW, PROXMOX e ESX que devem dar os primeiros passos. faça com que o CCNP comece a desenvolver habilidades generalistas de TI. Uma maneira de obter habilidades generalistas de TI é descobrir e aprender a influenciar as pessoas. Pessoas como CIOs, diretores de TI e qualquer pessoa com quem você acabe trabalhando, incluindo grandes clientes…. Uma maneira de descobrir como influenciar as pessoas é descobrir como ajudar as pessoas, ajudando-se dentro de limites aceitáveis, mergulhando fundo em um campo e saindo dele quando sua bússola interna diz para você fazer A armação secreta a que me refiro aqui é chamada “A arte de girar” A resposta de Rome Wells a Quais são algumas dicas para uma personalidade influente? Confira o link acima: “A arte de girar” é o que me ajudou a entender O campo completo da SDN é uma coleção de soluções reunidas por um único fornecedor para satisfazer um problema específico da indústria no que diz respeito a SDN. conectividade à nuvem ou internamente em escritórios globais ou regionais. Muitas vezes, encontro alunos que se recusam a ouvir a resposta filosófica dos meus pensamentos e tentam desviar-me da resposta int o sua própria zona de conforto, mas a realidade da SDN é poder pular fora da sua zona de conforto para que você possa se adaptar rapidamente. Alguns engenheiros costumam olhar para minhas respostas e dizem que não estou aqui para me tornar uma pessoa influente e nem me preocupo com isso. nada disso e eu simplesmente quero saber sobre SDN. Esse tipo de pessoa que chamo de … “gente da bolha” ainda não percebeu completamente que está na bolha. A razão pela qual estou respondendo a essa pergunta em um primeiro lugar é dizer para você não pensar apenas nos pré-requisitos no contexto da lista de verificação técnica para o que você precisa aprender para SDN, mas pensar além da lista de verificação.Pense no contexto de você se tornar um futuro CIO ou diretor de TI e usar o comando poder e conhecimento do SDN para chegar lá, aprendendo a “arte de girar” e descobrindo como mergulhar na mentalidade de outras pessoas, ao mesmo tempo em que descobre como multiplicar o poder do seu cérebro para entender e aprender novas habilidades como o SDN.SDN. uma boa maneira de conectar os pontos. Aprenda os pré-requisitos técnicos e você aprenderá melhor o SDN. Entretanto, se você acabou de aprender os pré-requisitos técnicos e talvez também seja certificado no CCNP the. De maneira alguma significará que você aprenderá a entender rapidamente novas habilidades…. e é isso que o SDN exigirá…. de você … apreendendo novas habilidades mais rapidamente …. Lembre-se de que está convergindo sua mente da rede tradicional para a rede definida por software …. e colocando-se em um pouco de estado mental de incerteza…. Felizmente, talvez isso possa ajudar na transição de sua carreira para a nuvem, IoT e SDN Caminho de estudo para engenheiros de rede.Também considere verificar minha resposta a uma das respostas Como me tornar um TI Diretor ou CIO? (Certifique-se de rolar para lá para ver a minha resposta) Leia a combinação dos links de referência que forneci e você entenderá melhor como expandir seu cérebro e ser mais influente para poder aprender novas habilidades em torno do SDN mais rapidamente (The Art of Pivoting), por que você É preciso expandi-lo (para se tornar CIO) e por onde começar a aprender SDN (guia de estudo / SDN). Ou sua alternativa é apenas aprender que os pré-requisitos do SDN estão no ciclo contínuo de estar constantemente preso…. de expandir sua mente … espero que você tenha gostado da minha resposta do ponto de vista técnico, filosófico de alto nível e baixo nível de resposta.Rome Wells21 advogado educacional do século XX

3
Para SDN, recomendo que você visite Habilitando a inovação em sua rede. As habilidades necessárias para o SDN são conceitos sólidos de rede e a programação também é uma vantagem. Para NFV, se você entender VLANs, VRF e MPLS, fará sentido. Os conceitos de ata center e de computação em nuvem também não prejudicariam. Eu recomendaria as Sobreposições de virtualização de rede (nvo3) para entender a virtualização de rede. Protocolos: NVGREVXLANSTTOpenFlowHá muitos mais, esses são os que eu conheço.Produtos: FloodlightOpenDaylightVMware NSXOpenFlowCisco Nexus 1000vAgain, deve haver muitos outros produtos.

Quais são os bons livros sobre Xen e Virtualização?

1
Em nenhuma ordem específica: 1. Livro do Xen – Sem Amido Pressione http://nostarch.com/xen.htm2. O Guia Definitivo do Xen Hypervisor – Prentice Hall http://www.pearsonhighered.com/e…3. Executando o Xen: um guia prático da arte da virtualização – Prentice Hall http://www.pearsonhighered.com/e…4. Virtualização profissional Xen Wrox http://www.wrox.com/WileyCDA/Wro…5. Soluções práticas de virtualização: virtualização a partir das trincheiras – Prentice Hall http: //www.pearsonhighered.com/e …

2
Além dos livros sugeridos por Vladimir, você também deve ler artigos sobre as atualizações atuais no mundo da virtualização nos seguintes blogs. Eles têm um conteúdo muito útil. Imagem cortesia: BrianMaddenBrianMadden (meu favorito) Sala de virtualização (segundo favorito) VirtualizationAdmindotinfonews.comVirtualizationReviewVirtuallyGhettoVirtualizeTipsCormacHogan.com – Storage and VirtualizationFrank Denneman

3
Editora: Prentice Hall; Edição: 1 (1 de janeiro de 2016) O livro é um dos mais importantes da literatura brasileira, e é um dos livros mais importantes da literatura brasileira, e é um dos mais populares da literatura brasileira.

Existem alternativas de código aberto para virtualização de serviço?

1
Veja esta comparação de ferramentas de vitualização de serviço e simulação de API. Ele inclui 4 comparações detalhadas de ferramentas de código aberto populares, uma gratuita para uso comercial e mais de 40 de código aberto menos populares na parte inferior da página.Ferramentas de código aberto mencionadas aqui: Hoverfly, Mountebank, Wiremock.Ferramentas gratuitas mencionadas aqui: Tráfego Papagaio.

2
Você pode encontrar críticas reais de usuários sobre todas as principais ferramentas de virtualização de serviços da IT Central Station. Os usuários interessados em virtualização de serviço também leem comentários sobre o HPE Service Virtualization. Esse usuário escreve: “Eu juntei o ROI da obtenção de uma ferramenta, comecei a brincar com todas as várias ferramentas, ferramentas de código aberto e outros grandes fornecedores, e acabou que este funcionou melhor em nosso ambiente”. Você pode ler o restante da resenha aqui: Revisão da HP Service Virtualization por um usuário real

3
O Mountebank é uma tecnologia de virtualização de serviço de código aberto, bastante programável, possui um modo de gravação / reprodução e lida com mais do que apenas HTTP.

Por que a virtualização é importante?

1
A virtualização permite otimizar o uso dos recursos de computação disponíveis (E / S, CPU, Armazenamento, Memória, SO, etc.). Às vezes, o termo Hypervisor (Tipo 1 ou Tipo 2) é usado. Basicamente, uma camada de software é usada para abstrair recursos de computação. A virtualização não é nova. Existe desde os dias do computador mainframe.

2
A virtualização vem com vários benefícios, incluindo: Economize energiaReduza a pegada do datacenterQA / Lab provisioning de servidorReduza o aprisionamento de fornecedores de hardwareAumente o tempo de atividadeMelhore a recuperação de desastre

Virtualização: Quais são os melhores recursos para aprender tudo sobre virtualização?

1
Ei, tente ler o Livro da Liberdade Virtual de Chris Ducker – VirtualFreedomBook.com. Além disso, é importante ressaltar que, em caso de dúvidas, entre em contato com a nossa equipe através do e-mail: contato@mecanica.com.br, informando o número do pedido, número do pedido, número do pedido, número do pedido e número do pedido. treinador, blogueiro e podcaster! Espero que seus livros / recursos ajudem você a ter sucesso!

Quais são os KPI (principais indicadores de desempenho) de uma solução de virtualização de desktop?

1
Todas as respostas acima perdem o tempo de resposta da métrica mais importante – conforme a experiência do usuário final em seu dispositivo de usuário final. É claro que o ICA / HDX / RDP / PCoIP torna isso impossível de medir a partir da perspectiva do dispositivo do usuário final, motivo pelo qual ninguém o trouxe à tona.

2
Existem quatro KPIs para VDI, e eles são desempenho, capacidade de gerenciamento, escalabilidade e custo total de propriedade. A V3 Systems é a única empresa a colocar a solução total em um aplicativo, que é 2x a 8x mais rápido do que um desktop real, seja você executando VMware, Citrix, Microsoft ou qualquer outra plataforma de virtualização. Pergunte-me como iniciar um POC hoje! http://www.v3sys.com

3
De longe, os KPIs mais importantes da perspectiva do usuário são: -Acessibilidade-Desempenho-Confiabilidade.Algumas métricas importantes para o gerente de TI são: -Gerenciamento (facilidade de) -Escalabilidade (velocidade de) -Auditoria (como para conformidade com HIPAA ou PCI) É claro que o CTO e o CFO estarão interessados no custo total de propriedade e em como eles podem diminuir isso.Cloud My Office é a solução líder em VDI que fornece ótimos resultados contra todos esses KPIs!

Como você vê o futuro do mercado de servidores de nuvem e virtualização?

1
Li um artigo interessante sobre a nuvem em 2019. “Primeiro, tudo será multicloud. Segundo, a computação sem servidor se tornará sistêmica para a maioria dos serviços de desenvolvimento em nuvem, incluindo bancos de dados. Terceiro, à medida que os contêineres crescerem, o Kubernetes também crescerá. ”Observação: se você é um fã do Kubernetes, recomendo conferir o Kubelist – foi onde encontrei este artigo e eles também têm muitas outras ótimas informações.

Quais são as desvantagens da virtualização?

1
Algumas das desvantagens são: ele pode ter um alto custo de implementação; ainda possui limitações; cria um risco de segurança; cria um problema de disponibilidade; cria um problema de escalabilidade; requer vários links em uma cadeia que devem trabalhar juntos de forma coesa; leva tempo;

Qual é a diferença entre máquinas virtuais e contêineres na virtualização (virtualização de computação em nuvem)?

1
Para mim, programa aplicativo e sistema operacional são duas considerações importantes quando se trata da diferença entre contêiner de software e máquina virtual. Docker (software) – Wikipedia – máquina virtual – Wikipedia

2
Isso explica muito bem e em termos simples: qual é a diferença entre contêineres e máquinas virtuais?

Qual é a diferença entre virtualização de rede e rede definida por software (SDN)?

1
Para obter uma visão geral das diferenças entre SDN e virtualização de rede, consulte o artigo “O caminho para o SDN: um histórico intelectual de redes programáveis” na fila do ACM.O caminho para o SDN – fila do ACM

Por que a virtualização de banco de dados é difícil?

1
A virtualização de banco de dados por si só não é difícil. É tão fácil quanto virtualizar qualquer outro aplicativo. A principal diferença, e a razão pela qual é necessária uma consideração intensa para fazer isso, são as E / S físicas envolvidas. Os bancos de dados são extremamente intensivos em recursos e requerem acesso rápido e confiável ao armazenamento de dados. Mover o armazenamento para um ambiente SAN e virtualizar apenas as cabeças seria a melhor opção.

2
A virtualização de banco de dados relacional é muito mais difícil em um ambiente operacional do que em um ambiente analítico. Isso ocorre principalmente devido à necessidade de implementar mecanismos de consistência entre transações simultâneas por meio de memória compartilhada ou mensagens rápidas de rede (em vez de apenas disco virtual). Não é trivial obter consistência e desempenho ao mesmo tempo.o exemplo, area é uma função virtual. Isso significa simplesmente que a definição não é fixa. O triângulo da classe modificou a área de acordo com ela mesma, assim como também o retângulo. Assim, a função virtual é simplesmente a implementação do polimorfismo em tempo de execução. O tipo de objeto (neste caso, triângulo ou retângulo) decide qual método area () será chamado.Espero que você entenda !!!!! Ignore todos os erros de digitação e sintaxe. 🙂

O que é virtualização de E / S?

1
Virtualização de E / S (IOV) revisitada A Virtualização de E / S (IOV) é um tópico de servidor, de rede ou de armazenamento? Como a virtualização de servidores, o IOV envolve servidores, armazenamento, rede, sistemas operacionais e outras áreas e disciplinas de gerenciamento de recursos de infraestrutura. A proposta de valor de negócios e tecnologia ou os benefícios das redes de E / S convergente e da virtualização de E / S são semelhantes aos da virtualização de servidor e armazenamento. Os benefícios adicionais do IOV incluem: fazer mais com quais recursos (pessoas e tecnologia) já existem ou reduzir custos; interconexão única (ou emparelhar para alta disponibilidade) para rede e armazenamento; E / S; redução de energia, refrigeração, espaço físico e outros benefícios de eficiência verde; Além disso, é importante ressaltar que, além de oferecer um serviço de alta qualidade, a empresa conta com uma equipe de profissionais qualificados para o serviço, além de investir em equipamentos modernos, que se ajustão a sua necessidade. As necessidades de aplicativos em cluster e em cluster Aproveitando a infraestrutura de cabeamento comum e os recursos de rede física Antes de ir mais longe, vamos dar um passo atrás por alguns momentos. A quantidade de dados gerados, copiados e retidos por longos períodos de tempo está elevando a importância da função de armazenamento de dados e gerenciamento de recursos de infraestrutura (IRM). As tecnologias de conectividade de rede e entrada / saída (E / S) vinculam instalações, servidores, ferramentas de armazenamento para medição e gerenciamento e práticas recomendadas em uma área local e ampla para permitir um data center ambiental e economicamente amigável. pós-construção mais longa, além do que outros mencionaram. http: //www.storageio.com/blog/? p … Saúde gs

2
Estou com Greg, acho que realmente você está olhando aqui para várias perguntas. Em primeiro lugar, o que você está virtualizando? Rede? Disco? Memória? Tudo acima? Segundo, em que camada você está virtualizando? É a virtualização de software que fornece recursos para um sistema operacional convidado (por exemplo, VMware) ou é virtualização de hardware intercedendo por outros dispositivos (por exemplo, IBM SAN Volume Controller)? Obviamente, cada um deles tem uma resposta diferente também. Por exemplo, os convidados do VMware compartilham recursos enquanto o SVC agrupa para criar recursos dedicados (VDisks.)

3
A virtualização de E / S geralmente se refere ao uso de um driver especial para acelerar os discos rígidos virtualizados. Em vez de emular um controlador ATA ou SCSI, o hipervisor expõe diretamente o disco virtual subjacente. Isso permite um acesso mais rápido à unidade. Geralmente é recomendado em situações em que você usa moderadamente a disco pesado.

Saiba mais...  VCA-Cloud - Esta certificação vai fazer diferença pra você!

Por que um processador AMD é mais fraco em virtualização do que a Intel?

1
Não há nenhuma evidência que me leve a dizer que a AMD é mais fraca. Pessoalmente, uso a virtualização com minha Ryzen 2700x. Tenho 4 núcleos dedicados ao uso normal da área de trabalho e outro dedicado ao meu Htc Vive. Eu tenho o meu GTX 1070 lidar com ambos ao mesmo tempo sem problemas e ele divide meu sistema Ram (16b) entre os dois, além de compartilhar meus discos rígidos. funciona perfeitamente.

Qual é o melhor laptop para virtualização?

1
O notebook Acer Aspire A6-A8, com processador Intel Core i3, processador Intel Core i3, processador Intel Core i3, 8GB de RAM, HD de 1TB, placa de vídeo GeForce GTX 1050, memória RAM de 4GB, HD 1TB, placa de vídeo GeForce GTX 1050 e GPU Adreno 505 e15 com i3-7100u, à venda por cerca de 380 $ us com 4gb ram. Você pode comprar outros 4 GB de RAM por cerca de 20 $ e instalá-lo você mesmo. A Acer geralmente fornece uma boa qualidade de construção, por isso pode durar pelo menos 4 anos.

Qual é a tecnologia por trás da virtualização de desktop?

1
Existem dois líderes de mercado em virtualização de desktops: Citrix e VMware. A Citrix oferece seu produto XenDesktop e a VMware tem o produto View. Na verdade, ambos são uma coleção de componentes que, como um todo, compõem a oferta de virtualização de desktop de cada fornecedor. Por exemplo, o XenDesktop consiste em um controlador de entrega de desktops, serviços de provisionamento virtual, o agente de desktop virtual e o protocolo ICA.

2
A virtualização de desktops é basicamente baseada na tecnologia de computação em nuvem. No entanto, a tecnologia fundamental por trás da virtualização de desktop é semelhante à virtualização de servidor: Um administrador cria um arquivo de imagem de VM (Máquina Virtual) que contém o sistema operacional, drivers, aplicativos, arquivos e configurações de um computador. Um mecanismo de virtualização executa a VM, que se comporta como se fosse um computador normal e não virtualizado. O computador físico que está executando a VM, chamado host, pode ser o computador do usuário ou um servidor centralizado.

Quais são as três diferenças importantes entre redes definidas por software (SDN), virtualização de rede (NV) e virtualização de funções de rede (NFV)?

1
Em termos muito simples. Trata-se de separar o plano de controle do plano de dados. NV. Trata-se de separar o hardware do software usando um hipervisor de rede. NFV. Trata-se de separar as funções de rede (NAT, DPI etc.) do hardware.

2
O SDN desacopla o plano de controle e o plano de dados. O plano de controle fornecerá gerenciamento de vidro em painel único e dará visibilidade às cargas de trabalho. O SDN oferecerá suporte à integração de múltiplos hipervisores, integração de serviços L4-L7 e multilocação. O NVF abstrai as funções de rede como DHCP, DNS e NAT do hardware. Ele pode ser executado em servidores VM ou bare metal. O gerente do VNF controlará as funções da NFV. O NFV será executado na infraestrutura do NFVI.

O que é virtualização de dados?

1
A virtualização de dados refere-se a manter uma cópia ou fonte diferente dos dados com melhor desempenho do que acessar o repositório de dados original em uma arquitetura corporativa específica. Os dados podem ser complementados para serem utilizados em um contexto diferente do estado original e / ou podem envolver modelagem com base nos requisitos de resposta para otimização em casos de uso de baixa latência.

O que é virtualização completa?

1
Virtualização completa é a virtualização na qual o sistema operacional convidado não sabe que está em um ambiente virtualizado e, portanto, o hardware é virtualizado pelo sistema operacional host, para que o convidado possa emitir comandos para o que considera ser hardware real, mas na verdade são apenas simulados dispositivos de hardware criados pelo host.

Quais são as startups mais quentes de virtualização de aplicativos?

1
Você quer dizer virtualização de dispositivos e / ou streaming de aplicativos (virtualização de aplicativos na nuvem como o VNC)? Na virtualização de dispositivos, consulte VirtuaLogix (recentemente adquirido por Red Bend), Trango (parte do VMWare) e Open Kernel Labs. Tenho certeza de que existem outros … Na virtualização de aplicativos móveis (streaming de aplicativos), vi algumas abordagens verticais interessantes (por exemplo, Vollee, que trouxe o Second Life para o telefone), mas não vi nada genérico?

2
A Yubitech é disruptiva nesse espaço, tornando os aplicativos corporativos gordos leves nos smartphones por meio de virtualização inteligente.

O que é a tecnologia de virtualização?

1
O que é virtualização? A virtualização é uma combinação de engenharia de software e hardware que cria Máquinas Virtuais (VMs) – uma abstração do hardware do computador que permite que uma única máquina atue como se estivesse em muitas máquinas. Sem VMs: um único sistema operacional possui todo o hardware recursosCom VMs: vários sistemas operacionais, cada um executando sua própria máquina virtual, compartilha recursos de hardware A virtualização permite que vários sistemas operacionais sejam executados na mesma plataforma física

2
A forma mais comum de virtualização é a virtualização no nível do sistema operacional. Na virtualização no nível do sistema operacional, é possível executar vários sistemas operacionais em uma única peça de hardware. A tecnologia de virtualização envolve a separação do hardware e do software físicos, emulando o hardware usando o software. Quando um sistema operacional diferente está operando no topo do sistema operacional primário por meio da virtualização, ele é chamado de máquina virtual. Uma máquina virtual nada mais é do que um arquivo de dados em um computador físico que pode ser movido e copiado para outro computador, apenas como um arquivo de dados normal. Os computadores no ambiente virtual usam dois tipos de estruturas de arquivos: uma que define o hardware e a outra que define o disco rígido. O software de virtualização, ou o hipervisor, oferece tecnologia de armazenamento em cache que pode ser usada para armazenar em cache alterações no hardware virtual ou no disco rígido virtual para gravação posterior.

3
O processo de reunir recursos e funcionalidades de rede de hardware e software em uma única rede virtual é conhecido como Virtualização de Rede. A virtualização de rede refere-se ao gerenciamento e monitoramento de uma rede de computadores inteira como uma única entidade administrativa a partir de um único console de administrador baseado em software.A virtualização de rede foi projetada para permitir · Virtualização de armazenamento – gerenciando todo o armazenamento como um único recurso · Otimização de rede para transferência de dados taxas · Flexibilidade · Escalabilidade · Confiabilidade · Segurança · Automação de tarefas administrativas de rede · Servidores e serviços de rede são considerados um pool de recursos · Acesso a recursos de roteamento e fluxos de dados que podem fornecer soluções resilientes mais novas e sensíveis a serviços · Suporte a usuários sensíveis controle de política para gerenciamento de tráfego ponto a ponto · Controle de sessão em tempo real, com reconhecimento de aplicativo e aplicativos de voz e vídeo convergidos com largura de banda garantida sob demanda A virtualização de rede divide a largura de banda disponível em canais independentes, atribuídos ou reatribuídos em tempo real separar servidores ou dispositivos de rede. Os fornecedores de software e hardware podem combinar componentes para oferecer virtualização de rede externa ou interna. A virtualização externa combina redes locais ou as subdivide em redes virtuais, enquanto a virtualização interna configura sistemas únicos com contêineres, criando uma rede em uma caixa.

O que são idéias de projetos de graduação em uma virtualização de rede (NFV)?

1
Quais são alguns bons projetos que um aluno de pós-graduação pode fazer em redes definidas por software e virtualização de funções de rede?

2
Uma coisa que você pode tentar é escrever uma plataforma de orquestração de rede que primeiro implante uma VM em um provedor de nuvem escolhido (você pode usar o AWS / GCE / SFL / AZURE / OpenStack) e implemente algumas funções básicas de rede, como firewall, DNS, NAT e faça-os passar pelas suas VMs implantadas como executando um script usando algumas plataformas de software de gerenciamento como ANSIBLE / PUPPET. Ping-me em particular mais sobre isso: P

Agora, o que significa virtualização de rede?

1
Um bom caso de uso seria permitir que um administrador do datacenter vá até um console e crie mais um comutador virtual (como ele faz com a VM). Ele então configura essas VMs como faz seus comutadores físicos. Esses comutadores gerenciam uma rede virtual; multiplicidade existente na rede física subjacente. O problema é que a interação entre esses comutadores virtuais e a rede física subjacente ainda é TBD (os padrões estão trabalhando nisso) e o console ainda não existe.

Virtualização de dados: diferença entre VDI e vmware?

1
VDI é o acrônimo de uma tecnologia de virtualização chamada Virtual Desktop Infrastructure. Com essa tecnologia, é possível ter um desktop virtual baseado em nuvem em execução em um sistema operacional existente e em um desktop. Por outro lado, a VMware é a organização que oferece soluções de VDI ..

2
Basicamente, o VDI (Virtual Desktop Infrastructure) é uma solução VMware. Envolve o uso da virtualização para fornecer áreas de trabalho virtuais aos seus usuários. Todos nós estamos familiarizados com o conceito de uso do VMware Server ou VMware ESX para virtualizar seus aplicativos de servidor (como servidor SQL, servidores de impressão ou outros servidores dedicados). A VDI leva isso um passo adiante.http: //www.onthenetoffice.com/vd …

Qual solução de virtualização de desktop tem o melhor desempenho gráfico?

1
O que você espera realizar, jogos, design gráfico, edição de vídeo ou apenas uso geral? Eu recomendaria que você analisasse a passagem GPU dedicada, mas parece que ela está disponível apenas para hipervisores tipo 1 (não para Windows). usou o VMWare Workstation e o VirtualBox e nunca teve problemas reais com o desempenho gráfico. Se você estiver enfrentando problemas de desempenho, pode ser porque a máquina host não é suficientemente poderosa; isso pode ser outra coisa para analisar.

2
VMWare. Eles compraram uma empresa há alguns anos para oferecer melhor capacidade gráfica para VMs. AFAIK, KVM não é tão bom com gráficos, mas as coisas estão mudando rapidamente. Por todos os outros motivos, a KVM é provavelmente o melhor hipervisor existente.

Quais são as startups mais interessantes em virtualização / virtualização de desktop?

1
Dê uma olhada no Kaviza (http://www.kaviza.com/). Eles reuniram uma infraestrutura interessante que é bastante leve. Eles também foram capazes de licenciar alguns dos componentes Citrix HDX, para que eles pudessem fornecer uma experiência bastante decente ao usuário. Além disso, embora não sejam uma startup, o pessoal da Virtual Bridges (http://vbridges.com/home.php) ) também desenvolveram uma solução interessante de VDI para aqueles que estão além dos três grandes (Citrix, VMware, Quest).

2
Computador virtual www.virtualcomputer.com

3
Dois revisores recentes publicados em nosso site sobre o Operations Manager da VMTurbo. Um revisor escreve: “Com os relatórios, sou capaz de ‘dimensionar corretamente’ meu ambiente a partir da quantidade de núcleos e memória que uma VM realmente precisa para quantos hosts eu preciso executar esse ambiente. Com a automação, minhas máquinas são movidas para o ambiente host mais eficiente com base nos dados que o VMTurbo coleta, isso é mais eficiente que o DRS e o WAY mais eficiente do que fazer isso manualmente. ” Leia a revisão completa aqui: Revisão do VMTurbo Operations Manager Outro revisor escreve da mesma forma: “Ajudou no ambiente do servidor de produção de ‘tamanho certo’. VCOPS usado anteriormente pelo vmware. Alternado porque o Vmturbo foi capaz de nos fornecer relatórios, planejamento e migrações com mais facilidade e com uma economia enorme. Agora podemos fazer mais com menos. Teste o produto por alguns dias e experimente. Você verá que vale a pena o investimento “. Leia a análise completa aqui: Análise da VMTurbo Nosso site, IT Central Station, é uma plataforma de crowdsourcing para análises de usuários reais. Espero que ajude a responder sua pergunta!

Qual é a diferença entre hypervisor e virtualização bare metal?

1
O metal básico é apenas um tipo de hipervisor usado para virtualização. No Bare Metal, não existe sistema operacional host no hardware. Aqui vemos o hypervisor diretamente acima do hardware e o próprio hypervisor (Bare Metal) atua como uma interface entre o hardware e as VMs.

O que é um bom tópico de projeto em virtualização?

Nenhuma resposta disponível para esta perguntaPergunta Como funciona a memória virtual?

1 Boas respostas até agora, mas elas não contam a história completa. Implementar memória virtual é na verdade uma dança cooperativa bem orquestrada que envolve recursos do hardware e do sistema operacional. É realmente muito bonito. Vou lidar com os dois lados, começando com as funções de hardware. Isso vai demorar, porque vou tentar responder totalmente à sua pergunta do início ao fim, portanto, seja paciente e continue lendo. As funções de hardware que fazem a memória virtual possível começa com o que chamarei de transação de endereço dinâmico, ou DAT, para abreviar. O hardware possui um ‘switch’ (geralmente um mecanismo de controle de hardware) que determina se a função DAT foi ou não ativada. Quando o DAT está desativado, a memória é a memória, a RAM é a RAM e, quando o processador acessa um endereço de memória, está referenciando o endereço correspondente na RAM real real do hardware – não há surpresas lá. No entanto, quando o DAT (tradução dinâmica de endereços) é ativado, sempre que qualquer instrução de hardware começa a referenciar um endereço de memória, esse endereço é primeiro submetido a uma série de traduções (pesquisas de tabela) para chegar ao endereço real da RAM real. Para que tudo isso funcione corretamente, “algo” (o sistema operacional) deve primeiro ter inicializado alguma coisa para configurar tudo. Em muitos sistemas, a maneira como tudo isso funciona é através de uma pesquisa de tabela em vários níveis. A tabela de pesquisa de primeiro nível deve ser criada (você adivinhou) pelo sistema operacional. A tabela em si é uma lista de endereços de memória real, cada endereço sendo o local de uma tabela de pesquisa “secundária” (cada uma das quais também deve ter sido criada e inicializada pelo sistema operacional). O endereço de memória real da tabela de pesquisa de primeiro nível deve ter sido armazenado em um registro de controle de hardware (novamente pelo sistema operacional) para que o hardware saiba onde encontrá-lo. Depois que as tabelas são criadas e o hardware “informado” onde estão, o DAT funciona assim: sempre que o hardware está prestes a referenciar um endereço de memória, são necessários os primeiros bits desse endereço de memória (agora corretamente chamado de “endereço virtual” ”) E usa-o como um índice / deslocamento na primeira tabela de pesquisa. A partir daí, ele obtém o endereço de memória real da próxima tabela de níveis. Depois, ele pega os próximos bits do “endereço virtual” original e os usa para (novamente, você adivinhou) para indexar na tabela de segundo nível para encontrar o endereço de memória real de um “pedaço” da RAM do hardware. Por fim, ele usa os bits restantes do “endereço virtual” original como um índice / deslocamento nesse pedaço de RAM para chegar ao local efetivo da memória referenciado por qualquer instrução da máquina que esteja em processo de execução. Portanto, espero que até agora o que expliquei seja o mecanismo pelo qual um “endereço virtual” seja traduzido para um “endereço real” e usado para fazer referência à memória de hardware. Algumas coisas devem ficar evidentes para você neste momento: 1) Qualquer endereço “virtual” pode ser feito para apontar para um local de memória “real” diferente, simplesmente alterando o conteúdo das tabelas de pesquisa. O endereço virtual em si não precisa ser alterado – apenas o conteúdo das tabelas de pesquisa usadas para convertê-lo. 2) Esse processo de conversão é todo feito pelo hardware da máquina, mas para fazê-lo funcionar, o sistema operacional precisa inicializar todas as tabelas e informar à máquina onde encontrá-las. 3) Um intervalo de endereços de memória virtual logicamente contíguos pode, de fato, fazer referência a locais de armazenamento reais em vários “blocos” de RAM (vamos chamá-los de quadros de página agora) que são tudo menos contíguos. Na verdade, eles podem estar fragmentados em todo o hardware. O que importa é que as várias tabelas de conversão que convertem os vários endereços virtuais em endereços reais foram configuradas corretamente.Ok até agora? Vamos continuar até o modo como a memória virtual funciona. Cada “pedaço” de memória real (quadro da página) associou a ele alguns bits indicadores que revelam algo sobre ele. Há um pouco que informa se o quadro de página foi ou não referenciado (visto) desde a última vez em que o “bit de referência” foi redefinido (sempre que foi) e também se o quadro de página foi ou não alterado desde a última vez que o “Mudar bit” foi redefinido (novamente sempre que era). Há instruções especiais que o sistema operacional usa sempre que quiser redefinir esses dois bits. O sistema operacional os desativa, o hardware os ativa novamente sempre que um quadro de página é examinado ou alterado. O SO usa essas informações quando está com pouca memória disponível e precisa “roubar” algumas de alguém. Prefere escolher os quadros de página que não foram referenciados ou alterados, porque isso é menos trabalhoso para o sistema operacional. (Voltaremos a essa idéia mais tarde, por enquanto preciso seguir em frente.) O sistema operacional sempre gosta de manter um inventário de quadros de página gratuitos / não atribuídos à mão, que podem ser usados para o que vou descrever a seguir: Então o que acontecesempre que o hardware passar pelo processo de conversão de endereços usando as tabelas de pesquisa, e as informações necessárias para concluir a conversão não estiverem nas tabelas – isso significa que atualmente não há NENHUM local de memória real correspondente que foi atribuído ao endereço virtual atual. Quando isso acontece, o hardware levanta as mãos e sai. Isso gera uma interrupção que diz, essencialmente, “Cara, eu não posso lidar com isso. Estou fora daqui.” Ah, mas o que controla sempre que há uma interrupção de hardware? O sistema operacional, é claro. E, nesse caso, o sistema operacional examina o código de interrupção e pode dizer que aconteceu porque o hardware não conseguiu traduzir um endereço. Assim, o sistema operacional “salvará” o estado de execução do que estava em execução quando essa “falha de página” ocorreu, para que possa ser tentada novamente mais tarde, pegue um dos quadros de página do seu esconderijo não utilizado / reservado, redefina seus bits de referência / alteração, vá atualize as tabelas de pesquisa para que agora resolvam o endereço virtual para esse quadro de página e depois despachem “algum trabalho” (que pode ser o processo que acabou de falhar na página ou alguma outra tarefa em execução). Em qualquer um dos casos, na próxima vez que o processo original que estava sendo executado quando a interrupção da falha da página acontecer for despachado, ele continuará exatamente onde parou e não será mais sábio do que qualquer coisa incomum aconteceu. Se o sistema ficar MUITO ocupado com muitas coisas em execução, o que pode acontecer é que o “estoque privado” de frames de página gratuitos do sistema operacional pode ficar esgotado mais do que gosta. Quando isso acontece, ele começa a roubar quadros de páginas de outros processos aos quais eles foram alocados. Ele primeiro escolhe os quadros que não foram referenciados e inalterados (verificando os bits de referência e alteração mencionados anteriormente), depois passa para aqueles que foram referenciados, mas não foram alterados, e finalmente considerará os quadros de página que foram referenciados E alterado (geralmente em ordem pela respectiva prioridade dos processos que os possuem). Quando rouba um quadro de página que foi referenciado e alterado, antes que ele possa permitir com segurança que o quadro seja usado por algum outro processo, ele deve primeiro salvar seu conteúdo. É aqui que entram os “arquivos de paginação” no disco. Esses arquivos são onde o sistema operacional armazena o conteúdo dos quadros de página “roubados” antes de poder usá-los para satisfazer a demanda por memória. Eventualmente, o processo que originalmente possuía essa memória e os dados nela quererá de volta – ele irá gerar outra condição de “falha de página” quando isso acontecer. Quando isso acontece, o sistema operacional terá que 1) alocar um quadro a partir do seu esconderijo gratuito (e, devido à magia do DAT, não importa qual é o endereço de RAM real desse quadro, porque o sistema operacional irá atualizar o Tabelas de pesquisa DAT para que o endereço virtual anterior agora aponte para esse novo quadro) e 2) restaure o conteúdo anterior desse quadro a partir da cópia que ele salvou no arquivo de paginação. De vez em quando, o sistema operacional “anda na ponta dos pés pela memória real”, redefinindo os bits de referência e de alteração em todos os quadros de página cujo conteúdo foi salvo no arquivo de paginação. Isso é feito para que da próxima vez que seja roubado dos quadros, ele possa dizer quais candidatos são os “bons”. Portanto, você deve ter a ideia agora de que há muita coisa acontecendo nos bastidores para fazer tudo funcionar . O sistema operacional precisa criar e manter as tabelas de pesquisa do DAT, acompanhar como todos os quadros de página estão sendo usados (os bits de referência e alteração), satisfazer as interrupções de “falha de página” que acontecem e também acompanhar todo o conteúdo da memória que ele armazenou temporariamente em seu arquivo de paginação quando “roubou” o quadro de página que o continha para satisfazer outras “falhas de página”. É assim que a dança cooperativa entre hardware e software é realizada para fazer com que a máquina pareça ter muito mais memória do que realmente tem. A quantidade de “memória virtual” disponível na máquina é limitada apenas pelo número de bits usados para formar um endereço, porque cada endereço virtual é usado como entrada no processo de pesquisa de tabela (DAT) para convertê-lo em um endereço real. Quanto mais memória real houver na máquina, mais endereços virtuais serão “traduzíveis” ao mesmo tempo. Aqueles que não são “traduzíveis”, se referenciados, causarão uma interrupção de “falha de página” que aciona todas as atividades mencionadas no SO para lidar com isso. Isso funciona porque tira proveito da tendência de que, em um dado momento, um programa esteja realmente usando apenas uma pequena fração da memória que “definiu” – o resto está sentado ali essencialmente desperdiçado. Esse mecanismo permite que o sistema operacional e o hardware façam uso eficiente de toda a RAM, mantendo-a ocupada. É um equilíbrio. Há uma sobrecarga adicional envolvida em manter tudo isso funcionando, e quando as coisas chegam ao ponto de que todos os ciclos do processador estão sendo usados pelo sistema operacional para gerenciar tudo isso, não há muita capacidade para processar um trabalho útil – é assim que se chama “Debulhar” – passar o tempo todoexecutando o gerenciamento de memória em vez de fazer as coisas. Quando isso acontecer, é hora de adicionar mais memória real à máquina. Espero que isso tenha sido útil. 2 Há um ‘How Stuff Works’ bastante decente, que até apresenta um adorável gráfico animado. A resposta curta é: A memória virtual usa uma parte do seu armazenamento secundário (disco rígido) para agir como armazenamento primário (RAM.) Faz com que o computador aja como se tivesse mais memória RAM, mas, em geral, o armazenamento secundário não tem quase nada de desempenho. também (os SSDs estão fechando a brecha), para que você tenha um impacto no desempenho para depender muito do armazenamento secundário. Resposta longa e gráficos animados podem ser encontrados aqui: HowStuffWorks – Como funciona a memória virtual 3: É necessário um livro inteiro para responder sua pergunta. Antes de lê-lo, você precisa ler algo sobre arquitetura de computadores (você encontrará livros sobre esse tópico). Leia Sistemas operacionais: Three Easy Pieces (um livro disponível gratuitamente para SOs). Se você estiver usando Linux (que eu recomendo) e conheça a linguagem de programação C que você pode começar lendo Programação Avançada do Linux, que fornece uma perspectiva do usuário do Linux sobre a programação do sistema.

Quais são os tipos de virtualização?

1
Resp: O termo virtualização significa criar recursos virtuais, como máquina virtual, aplicativo virtual, rede virtual, armazenamento virtual. A tecnologia de virtualização usa um software para criar recursos virtuais. Geralmente, o software é conhecido como hypervisor. Virtualização de Armazenamento: Existem diferentes tipos de armazenamento suportados por servidores físicos, como SCSI, NFS, Fibre Channel (FC), Fibre Channel Over Ethernet (FCOE). Na virtualização, a camada de armazenamento físico é oculta pelo disco virtual do sistema operacional da máquina virtual. Portanto, se o hypervisor suportar o tipo de armazenamento, a máquina virtual poderá acessá-lo. Portanto, é permitido executar sistemas operacionais que não são certificados para equipamentos de armazenamento específicos, como SAN (Storage Area Network) encontrados na máquina virtual. O SAN é uma rede de área de armazenamento e a sub-rede é uma rede de alta velocidade. Uma solicitação de acesso baseada em bloco para o dispositivo de armazenamento é enviada quando um host deseja acessar um dispositivo de armazenamento na SAN.I / O Virtualization: A virtualização de E / S é uma tecnologia que permite o compartilhamento dos dispositivos de E / S entre vários servidores virtuais. máquinas e servidor físico, o que leva ao gerenciamento simplificado e à melhoria do desempenho dos servidores. A arquitetura de virtualização de E / S compreende: a) Dispositivo virtual b) Driver convidado c) O mecanismo de comunicação entre o dispositivo virtual e a pilha de virtualização. d) Dispositivo real e) Driver de dispositivo físico f) Pilha de E / S de virtualização Virtualização de rede: a arquitetura de rede contém um conjunto de software, hardware, meio de transmissão (com ou sem fio) e protocolos de comunicação. Assim, refere-se ao layout de uma rede. A arquitetura de rede define os tipos de redes de acordo com a faixa de área, topologias de rede e protocolos de comunicação na tecnologia de rede. A virtualização de rede é um método de mesclar os recursos disponíveis em uma rede, dividindo a largura de banda disponível em diferentes canais, cada canal permanece independente de outros e cada um dos quais pode ser alocado (ou reatribuído) para um servidor específico ou para um dispositivo em tempo real. Cada canal diferente é protegido de forma independente. Todo assinante tem acesso compartilhado aos recursos da rede e esse processo é realizado em um único computador.Desktop / Client Virtualization: As soluções de virtualização de desktop ajudam as empresas a simplificar e melhorar a maneira como gerenciam os computadores de seus usuários (clientes). Os PCs e estações de trabalho tradicionais são trocados por máquinas virtuais centrais localizadas em sistemas centrais e acessadas pela rede. Dessa forma, cada usuário deixou de gerenciar o computador como uma máquina física. Assim, o gerenciamento e o suporte a todos os usuários de computador se tornam mais eficientes. Os usuários desfrutam da confiabilidade, proteção de dados e fácil acesso de qualquer lugar (mesmo de diferentes locais e dispositivos, como laptops, computadores de mão, etc.). A equipe de TI agora conseguiu uma infraestrutura estável com alta segurança e segurança de dados.

2
Virtualização tornou-se um termo geral agora. Não há segmento no mundo de TI que não seja virtualizado. Desde o data center até os aplicativos, você pode virtualizar tudo. Alguns deles incluem: Virtualização de área de trabalho: as áreas de trabalho virtuais são entregues aos usuários; Virtualização de aplicativos: aplicativos virtuais podem ser publicados em qualquer dispositivo; Virtualização de servidor: vários SOs são executados no mesmo servidor; virtualização: Pooling unidades de armazenamento físico em virtualização oneHardware:

3
Existem 6 tipos de virtualização na computação: OSOS Virtualization – também conhecido como Virtual Machines.Server Virtualization.Application Virtualization.Network Virtualization.Storage Virtualization.Hardware Virtualization.