Produtividade

#FISL 13: Agilidade e software livre na globo.com

Assim como no ano passado, o pessoal da Globo.com fez uma ótima palestra. O Demetrius Arraes Nunes mostrou como migraram das soluções proprietárias para livres, comentando ainda sobre o processo de adoção de métodos ágeis para a gestão das equipes e seus resultados. Vamos aos detalhes.

  • Até 2002, utilizavam software proprietário, desde o hardware de balanceamento de carga até o servidor web e de banco de dados;
    • Servidores Sun com Solaris, Oracle Weblogic, Vignette e Java (antes de ser open source);
  • Atualmente, a maior parte da estrutura é baseada em software livre, restando ainda o banco de dados, onde a Oracle ainda mantém “uma perninha”;
    • Linux nos servidores (HP, Dell e IBM), Apache e NGINX, MySQL, MongoDB, REDIS, Virtuozzo, Ruby, PHP, Python, Django, WordPress, GloboCMS, Varnish;
    • Destaque para o appliance com Varnish que eles montaram, que escalou melhor que soluções proprietárias, e rendeu um prêmio no Cisco Networkers de 2010;
  • É esta estrutura baseada em software livre que suporta  os 5 bilhões de pageviews/mês e 220 milhões de vídeos vistos;
  • O Demetrius fez questão de comentar que a Globo.com usa software livre porque é melhor;
  • Assim como no ano passado, fizeram questão de comentar sobre a transmissão da copa de 2010, que registrou pico de 302 mil transmissões simultâneas e chegou a ser responsável por 15% da banda no país;
  • São mais de 300 profissionais envolvidos;
  • O vídeo das empreguetes teve 7 milhões de visualizações somente na 1ª semana, e o BBB é o maior site da internet brasileira, com 380 milhões de visitas e 220 milhões de vídeos visualizados por mês (triste isso…);
  • Eles têm uma preocupação muito grande com a experiência do usuário (UX – User Experience);
  • São mais de 15 milhões de linhas de código, mais de 2000 servidores;
  • Utilizam métodos ágeis (SCRUM com ciclo de 2 semanas), o que permitiu desfazer a separação entre criação e tecnologia que havia antes, de forma que hoje as equipes trabalham com maior interação. Mostraram um time lapse de um dia de trabalho da equipe;
  • Buscam transparência nas equipes;
  • Todos têm notebooks (mobilidade);
  • O “Espaço Lounge” oferece jogos, integração, etc;
  • O RH promove atividades de integração, que incluem um dia para ser o que quiser na empresa, ocupar o cargo que desejar e fazer o trabalho “pra valer”, numa técnica chamada FedEx Day que visa promover inovação, e incentivam qualificação (MBA, Mestrado, participação em eventos, etc);
  • Agile e Software Livre: tudo a ver!
    • Princípios ágeis
      • Software funcionando;
      • Mudanças são bem vindas;
      • Releases frequentes;
      • Colaboração com cliente;
      • Auto-organização;
      • Auto-motivação;
      • Excelência técnica (aspecto destacado pelo Demetrius sobre os profissionais que trabalham com software livre);
  • 3 lições
    • Money Talks – 50% de redução nos custos;
    • Open Source é menos arriscado;
    • Open Source significa mais qualidade – péssima experiência com suporte da Oracle, ótima experiência com comunidades;
  • Retribuindo
    • Mais de 30 projetos ativos;
    • Thumbor – processamento de imagens para portais;
    • Splinter – testes de interface;
    • Stewie – monitoramento de anomalias;
    • Tsuru – computação em nuvem;
    • Bootstrap – front-end accelerator;
    • nginx-push-stream – HTTP streaming;
    • http://github.com/globocom

Sem querer chover no molhado, mas penso que podemos inferir pela experiência da Globo.com que não é necessário ser xiita ou lunático pra perceber as vantagens do software livre. Parabéns pra eles!

#FISL 13: #Scrum com #Kanban – pequenos ajustes, grandes melhorias

O Paulo  Caroli (@paulocaroli) fez uma palestra interessante, “Scrum com Kanban – pequenos ajustes, grandes melhorias“, onde mostrou como as duas técnicas podem ser aplicadas em conjunto com ótimos resultados. Vamos às observações.

  • A idéia do KANBAN é garantir uma experiência mais visual do fluxo de trabalho (workflow);
  • Limitar trabalho em andamento (WIP – Work in Progress) é interessante pois melhora os resultados, aumentando as entregas, uma vez que a equipe não inicia mais tarefas do que consegue concluir;
  • A idéia do SCRUM é estabelecer um processo de desenvolvimento iterativo e incremental, com ciclos ou sprints (2 semanas é comum), e tem origem com Frederick Taylor, cujas idéias influenciaram Henry Ford e definiram uma maneira de administrar empresas aplicada até hoje, que inclui a idéia de linha de produção/montagem e workflow (sequência de passos executada por uma pessoa ou time para atingir um objetivo);
  • User stories – conceito que se refere aos requisitos gerais de projeto, quebrados em partes menores visando facilitar a entrega;
  • Workflow visível – exibir num quadro branco uma tabela com as fases do workflow, onde cada coluna é populada com post-its relativos a cada user story, ou seja, ficam visíveis as tarefas “não iniciadas”, “em andamento”, “em teste”, etc;
  • O modelo tradicional de desenvolvimento segue a lógica “Push the Work“, em que alguém “atribui” as tarefas, “empurrando” o trabalho para os profissionais;
  • O modelo recomendado, segundo o Paulo, é o “Pull don’t Push“, em que o profissional decide o que quer fazer depois que termina cada tarefa;
  • Algumas estatísticas interessantes obtidas usando Scrum com Kanban:
    • Lead Time – tempo para terminar um trabalho;
    • Cycle time – intervalo entre duas entregas consecutivas;
    • WIP – controlar número máximo de tarefas em andamento;
    • Quanto maior o Lead Time, pior a qualidade, e quanto menor (mais rápido), mais qualidade (curioso, não ?);
    • WIP é proporcional ao Lead Time médio, e limitar o WIP permite equilibrar o workflow, pois alguém de uma “coluna da tabela” pode ajudar na outra. Exemplo: um desenvolvedor (coluna “em andamento”) pode ajudar um testador (“em teste”) caso haja muitas entregas a testar, aumentando a quantidade de entregas prontas;
    • Filosofia: “Stop starting, start stopping

Como completo ignorante em SCRUM, a palestra foi bem instrutiva pra mim, e achei bem interessante a idéia de usar SCRUM com KANBAN.

O que Aprendi em 15 Consultas SQL pra Hackear o WordPress (sem precisar de plugins)!

Wordpress

Como você obviamente sabe, eu tenho um blog 🙂

Na busca por otimizar o blog, no final do ano passado, finalmente consegui migrar da plataforma da Google (Blogger) pro WordPress, algo que levei anos pra realizar e que hoje lamento não ter feito antes. Simplesmente não há comparação em termos de funcionalidade, facilidades, recursos, enfim.

Não é à toa que a plataforma domina nada menos que um terço da Internet!

Uma das coisas mais legais, senão a mais legal, do WordPress, são os plugins.

Eles permitem fazer coisas incríveis com seu site, de templates para textos a melhorias de segurança pro site, de otimização de imagens a compactação de páginas para acelerar o desempenho, de exibição automática de propagandas a sugestões de textos relacionados, tudo isso e muito mais é possível fazer com esses pedacinhos mágicos de código.

Isso é uma mão na roda muito, mas muito útil mesmo, especialmente para empreendedores que não dispõem de recursos financeiros para delegar a profissionais especializados a manutenção do site ou blog.

E é este o ponto que quero explorar neste texto.

Mas, antes, deixe eu apresentar a vocês os 27 “hacks” pro WordPress que descobri meio sem querer, enquanto pesquisava plugins pra tratar questões específicas deste blog.

WordPress e LAMP

A combinação do WordPress com a famosa sigla LAMP (Linux, Apache, MySQL e PHP) é uma opção muito interessante e facilmente encontrada em qualquer provedor de serviços de hospedagem de sites que se preze.

Por isso mesmo, vale a pena conhecer um pouco melhor algumas das informações disponíveis no banco de dados do WordPress, pois elas podem ser muito úteis em algumas situações.

Pra citar somente dois exemplos: 1) você pode não querer instalar muitos plugins no seu site por razões de desempenho e segurança, e neste caso algumas operações que um plugin facilitaria podem ser realizadas diretamente no banco, como vou exemplificar mais adiante; 2) você pode não encontrar um plugin que faça exatamente o que precisa, e neste caso a solução pode estar na execução de um script SQL diretamente no banco de dados do WordPress. Embora seja uma operação de risco, com os devidos cuidados (e, principalmente, um backup recente à mão 🙂 é possível resolver mesmo as situações mais complicadas.

Explorando o banco de dados MySQL do WordPress

Você pode começar sua aventura pelo banco de dados do WordPress com uma simples consulta.

connect wordpress;

SELECT * from wp_options limit 10;

Observe que incluí a opção “limit 10”. Isto porque, neste blog, a consulta sem esta cláusula resultou em uma listinha de ~5500 registros.

Para o objetivo didático deste texto, as primeiras 10 linhas já são suficientes para revelar informações importantes sobre o site como nome, URL, contato do administrador e descrição. Esta tabelinha pode ser muito útil em situações de migração, por exemplo, em que pode ser necessário mudar a URL do site.

Agora que você já se familiarizou um pouco com o banco de dados do WordPress, vamos aos hacks propriamente ditos!

1 – Mudar a URL do site

Hoje em dia não faltam motivos para ter um site, e por isso mesmo há pessoas que vivem de registrar domínios pra vender depois. Em outros casos, nomes ofensivos ou relacionados a marcas podem ser obrigados a mudar por decisões judiciais.

Por isso é importante saber o que fazer caso seja necessário mudar a URL do seu site. Vai que…

UPDATE wp_options SET option_value = replace(option_value, ‘http://www.enderecoantigo.com’, ‘http://www.endereconovo.com’) WHERE option_name = ‘home’ OR option_name = ‘siteurl’;

2. Atualizar o GUID (Globally Unique Identifier)

Além de atualizar as opções relativas à URL propriamente dita, pode ser necessário atualizar o GUID também.

UPDATE wp_posts SET guid = REPLACE (guid, ‘http://www.enderecoantigo.com’, ‘http://www.endereconovo.com’);

3. Atualizar URL nos conteúdos

Ainda tratando de mudança de URL, você pode alterar as referências ao endereço anterior em todo o conteúdo do site.

UPDATE wp_posts SET post_content = REPLACE (post_content, ‘http://www.enderecoantigo.com’, ‘http://www.endereconovo.com’);

4. Alterar o caminho das imagens

A utilização de Content Delivery Networks (CDN) é cada vez mais comum para distribuir melhor as informações de forma que estejam mais próximas dos usuários, melhorando o desempeno no acesso ao site.

Assim, o script abaixo permite ajustar o caminho das imagens para que apontem para o endereço do CDN ao invés do endereço do site.

UPDATE wp_posts SET post_content = REPLACE (post_content, ‘src=”http://www.enderecoantigo.com’, ‘src=”http://cdn.endereconovo.com’);
UPDATE wp_posts SET guid = REPLACE (guid, ‘http://www.enderecoantigo.com’, ‘http://cdn.enderecoantigo.com’) WHERE post_type = ‘attachment’;

5. Adicionar um campo aos posts

É possível acrescentar campos aos posts do WordPress para qualquer uso que deseje, como colocar uma observação sobre o conteúdo, por exemplo.

INSERT INTO wp_postmeta (post_id, meta_key, meta_value)
SELECT ID AS post_id, ‘UniversalCustomField’
AS meta_key ‘MeuCampoPersonalizado’ AS meta_value
FROM wp_posts WHERE ID NOT IN
(SELECT post_id FROM wp_postmeta WHERE meta_key = ‘UniversalCustomField’)
” AND post_type = ‘post’;

Para fazer o mesmo com as páginas, basta alterar o filtro “post_type = ‘post'” para “post_type = ‘page'”.

6. Encontrar todos os posts com um certo campo

Depois de criar o novo campo, você pode localizar todos os posts que o contém.

SELECT wp_posts.ID, wp_postmeta.meta_key

FROM wp_posts

JOIN wp_postmeta ON wp_posts.ID = wp_postmeta.post_id

AND wp_postmeta.meta_key = ‘FIELD_NAME’

WHERE wp_posts.post_type = ‘post’

order by wp_posts.ID asc

7. Apatar post meta

Plugins podem deixar lixo no seu site. Este script ajuda a limpar a bagunça. Basta identificar o campo “meta” que o plugin criou e removê-lo.

DELETE FROM wp_postmeta WHERE meta_key = ‘LixoMetadoPlugin’;

8. Alterar o usuário padrão admin

Embora este tipo de medida não seja tão eficaz como muitos pensam, pois aplica a segurança por obscuridade, renomear o usuário admin pode ser uma medida interessante pra, ao menos, reduzir os ataques dos chamados script kiddies.

UPDATE wp_users SET user_login = ‘Awesome Boss’ WHERE user_login = ‘Admin’;

9. Identificar tags não usadas

Se você resolve apagar posts antigos ou mudar as tags associadas, pode ser que fiquem algumas tags “órfãs” no banco de dados do WordPress.

Para identificá-las use a consulta abaixo.

SELECT * From wp_terms wt
INNER JOIN wp_term_taxonomy wtt ON wt.term_id=wtt.term_id WHERE wtt.taxonomy=’post_tag’ AND wtt.count=0;

10. Apagando SPAM

Este foi um dos comandos mais úteis pra mim até agora, pois o blog está sofrendo um “mini-ataque de SPAM” nos comentários, e apagar todos os comentários na unha é completamente inviável.

DELETE FROM wp_comments WHERE wp_comments.comment_approved = ‘spam’;

Na verdade a operação acima apaga os comentários marcados como SPAM. Para verificar os comentários que são SPAM mas ainda não foram marcados como SPAM, é necessário verificar os comentários pendentes, através dessa consulta:

SELECT * FROM wp_comments WHERE comment_approved <> 1;

11. Resetar senha

Essa é clássica, hein? #quemnunca

Quando precisar redefinir a senha de algum usuário, o comando SQL abaixo vai ser muito, muito

UPDATE wp_users SET user_pass = MD5( ‘nova_senha’ ) WHERE user_login = ‘logindousuario’;

12. Reatribuir artigos

Caso o site tenha vários colaboradores e um deles saia, é possível transferir para outro autor os textos. Pelo menos em termos de banco de dados 🙂

UPDATE wp_posts SET post_author = ‘id-novo-autor’ WHERE post_author = ‘id-autor-antigo’;

13. Apagar revisões

Eu costumo editar os posts várias vezes até chegar a uma versão final e publicar.

Nestes casos, as revisões podem ocupar um espaço precioso.

Não mais 🙂

DELETE a,b,c FROM wp_posts a

LEFT JOIN wp_term_relationships b ON (a.ID = b.object_id)

LEFT JOIN wp_postmeta c ON (a.ID = c.post_id)

WHERE a.post_type = ‘revision’

 

14. Apagar comentários não aprovados

Já mostrei como listar os comentários pendentes, não aprovados. Com a operação abaixo, é possível apagá-los.

DELETE FROM wp_comments WHERE comment_approved = 0

15. Desativar comentários em posts antigos

Aqui outra dica muito valiosa. Pra reduzir o SPAM nos comentários, tive que bloquear este recurso para alguns dos posts mais vizualizados do blog.

UPDATE wp_posts SET comment_status = ‘closed’ WHERE post_date < ‘2016-03-11’ AND post_status = ‘publish’;

 

Conclusão

O que quero chamar a atenção sobre esse texto é algo que muitas vezes vejo profissionais de TI, até experientes, procurando “as mesmas facilidades” que um usuário final.

Muitas vezes isso simplesmente não faz sentido.

Fazendo uma analogia com estes “hacks” do WordPress, é muito mais produtivo para um profissional de TI usar o conhecimento a mais que possui para criar um plugin que não exista, ou automatizar tarefas através de SQL e outros recursos disponíveis, do que se limitar apenas aos plugins disponíveis e o que seus desenvolvedores estão dispostos a oferecer.

Me vi obrigado a adotar uma postura mais “script friendly” e até voltei a programar depois que passei a estudar Ciência de Dados e DevOps, e os primeiros resultados já são bem interessantes. Num outro texto pretendo falar sobre eles.

Métodos de Produtividade Pessoal: Guia Definitivo!

Este texto é uma tradução adaptada do original.


O método de produtividade certo pode fazer uma enorme diferença em seu trabalho. Um fluxo de trabalho sem atritos pode fazer com que você pare de se sentir oprimido, sem foco e improdutivo e comece a se sentir calmo, no controle e preparado para assumir até mesmo os maiores projetos.
 
A boa notícia é que existem novos métodos sendo desenvolvidos, ajustados e compartilhados o tempo todo. Talvez exista um sistema lá fora que se ajuste perfeitamente à sua personalidade e projetos. Mas vaguear através dos milhares artigos sobre diferentes sistemas de produtividade pode tomar muito tempo – o tempo que você poderia usar para realmente fazer as coisas.
 
É por isso que decidimos fazer o trabalho duro por você. Reunimos os métodos e estruturas de produtividade mais poderosos em um único local. Este post vai lhe dar uma breve visão geral dos métodos de produtividade mais populares e úteis, como cada um funciona, e para quais tipos de pessoas esse método vai funcionar melhor. Este post foi projetado para ajudá-lo a se configurar com seu fluxo de trabalho ideal o mais rápido possível para que você possa começar a colher os benefícios da produtividade imediatamente.
Como aproveitar este guia ao máximo
Primeiro, nós dividimos os métodos de acordo com o tempo necessário para começar com cada um deles, avaliando-os como pouco, considerável e muito.
 
Está ansioso para começar um projeto enorme mas se sente perdido sempre que tenta começar? Comece com algum método classificado como considerável ou muito.
 
Está correndo contra um prazo rígido com uma lista de tarefas do tamanho da Califórnia e possui uma tendência a procrastinar sob estresse? Vá direto para os sistemas classificados como ‘’pouco’’.
 
Também indicamos quais métodos são mais visuais, táteis ou abstratos – muitos dos métodos são uma combinação de dois ou mais deles. Se você sabe qual estilo de aprendizagem / trabalho funciona melhor para você,  você pode ir direto para os métodos que combinam melhor com a sua abordagem natural:
 

Visual

Se você é o tipo de pessoa que prefere mapas ao invés de indicações escritas ou verbais, os métodos visuais com certeza serão mais satisfatórios para você.

Táteis

Se você adora o sentimento de riscar fisicamente os itens de uma lista de tarefas ou costuma fazer suas estratégias movendo post-its pela casa, você provavelmente se sentirá mais confortável com os métodos táteis.

Abstratos

Se nenhuma destas abordagens combinam com você – se você organiza seus projetos simplesmente escrevendo-os ou criando estratégias facilmente em sua cabeça sem uma representação física ou visual – os métodos abstratos serão muito mais úteis. O lado positivo dos métodos abstratos é que eles tendem a permitir uma maior complexidade na priorização e categorização de objetivos.
 
À medida que você aprende sobre como seu corpo e mente trabalham melhor, aqui estão algumas coisas para ter em mente:
  • O objetivo é realmente fazer as coisas. Embora seja comum que um novo fluxo de trabalho leve mais tempo, eles devem se tornar cada vez mais fáceis ao longo do tempo. Se você acha que aderir a um determinado método de produtividade está levando uma quantidade significativa de tempo e energia, este provavelmente não é o método certo para você. Isso é totalmente ok. Há muitas outras opções por aí.
  • Você não é casado com um método de produtividade por toda a eternidade. Você vai ver que um determinado método é mais adequado para alguns de seus projetos, e outros não. Um método que costumava funcionar para você pode se tornar um fardo mais tarde. Seja flexível e não tenha medo de mudanças.
  • Emprestando uma frase do Piratas do Caribe, os métodos de produtividade são mais diretrizes do que regras reais. Os métodos descritos abaixo são ótimos pontos de partida, mas eles se tornam infinitamente mais poderosos quando você os molda para se ajustarem ao seu estilo de trabalho específico. Experimente diferentes métodos, misture e combine todos eles para encontrar seu fluxo de trabalho ideal.
Pronto para encontrar o método de produtividade certo para você? Use a visão geral abaixo para saltar para os métodos que parecem mais promissores para você.

Visão Geral dos Métodos de Produtividade

Kanban Pessoal

Tempo necessário para começar: Pouco
Tipo: Visual, Tátil
Perfeito para pessoas que: Têm tendência a começar vários projetos mas não terminam a maioria.

Comendo Aquele Sapo: Comece Pelas Coisas Difíceis

Tempo necessário para começar: Pouco
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que:  Lutam contra a procrastinação.

MoSCoW: Must/Should/Could/Would

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstract, visual
Perfeito para pessoas que:  Precisam priorizar várias tarefas, mas preferem listas ao invés de gráficos

O método SMART

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que:  Estão no começo de um grande projeto e precisam pensar em estratégias antes de começar de verdade.

O Método AÇÃO

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que: Precisam transformar várias ideias em uma lista ações realizáveis.

Tempo em “caixas”

Tempo necessário para começar: Pouco
Tipo: Visual, abstrato
Perfeito para pessoas que:  Acham que tarefas pequenas e interrupções estão tomando quase o dia todo ou aqueles que têm mais de uma área principal de trabalho, especialmente gerentes.

Horário Nobre Biológico

Tempo necessário para começar: Muito
Tipo: Abstrato, Visual
Perfeito para pessoas que: Amam dados e auto-experimentação e querem otimizar seus dias para obter máxima produtividade.

Getting Things Done

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstrato, Visual, Tátil
Perfeito para pessoas que: Sentem-se sobrecarregadas pelo número de coisas que são responsáveis e precisam achar uma maneira de organizar tudo.

Pomodoro/Sprints

Tempo necessário para começar: Pouco
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que:  Sentem-se como se nunca houvesse tempo suficiente no dia, mas têm uma tendência a se distrair.

Não quebre a corrente

Tempo necessário para começar: Pouco
Tipo: Visual
Perfeito para pessoas que: Querem adotar novos hábitos diários.

Matriz de Eisenhower

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Visual
Perfeito para pessoas que: Gostam de gráficos, têm problemas para ver as coisas em preto-e-branco e preferem priorizar algo continuamente do que quebrar as coisas em categorias menores.

Resultados ágeis

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que: São orientadas por objetivos e estão lidando com projetos complexos, além de precisarem manter um cronograma.

Lista de coisas feitas e lista de coisas não feitas

Tempo necessário para começar: Considerável
Tipo: Abstrato
Perfeito para pessoas que: Gastam muito tempo se preocupando com o que não foi feito ontem ou possuem vários maus hábitos que impedem a produtividade.

Kanban Pessoal

Kanban productivity methodCréditos da imagem: lifehacker.com
 
Tempo necessário para começar: Pouco
 
Tipo: Visual, Tátil
 
Perfeito para pessoas que: Têm tendência a começar vários projetos mas não terminam a maioria.
 

O que o método faz: Ajuda a visualizar seu progresso em todos os seus projetos.Ferramentas: Kanbanflow, Trello

 
Personal Kanban é um sistema incrivelmente simples. Isso pode ser uma coisa boa. Às vezes, tudo o que você precisa para fazer progresso é uma maneira de ver o status de seus projetos bem na sua frente.
 
Veja como funciona o Kanban: Usando qualquer mídia que você preferir (notas adesivas ou um quadro branco funcionam), divida seus projetos em três categorias: Fazer, Fazendo e Feitos. É isso aí.
 
Mas este sistema simples é mais poderoso do que parece.
 
Ao usar um espaço finito para “Fazer” e “Fazendo”, você verá o quão rapidamente essas categorias se enchem. Você terá um lembrete físico e constante de quando você precisa se concentrar em terminar seus projetos atuais antes de começar novos. Além disso, ter todo o seu trabalho bem na sua frente pode lhe ajudar a se sentir calmo e no controle do projeto como um todo.
 
Quer aprender mais?
 

Kanban Pessoal: Trabalho de Mapeamento | Navigating Life (livro em inglês)

Coma Aquele Sapo: Comece Pelas Coisas Difíceis

Eat the frog productivity method

Créditos da imagem: hellostripes.blogspot.com
 
Tempo necessário para começar: Pouco
 
Tipo: Abstrato
 
Perfeito para pessoas que:  Lutam contra a procrastinação..
 

O que o método faz: Ajuda a evitar a procrastinação, garantindo que você faça progresso nas coisas certas.Ferramentas: Toodledo

 
Vários sistemas de produtividade e ferramentas se focam apenas no começar. Eles acham que, enquanto você está riscando itens para fora da sua lista de afazeres, você está sendo produtivo. Na realidade, escolher sabiamente a primeira tarefa pode ser muito importante.
 
Se você adiar suas tarefas mais importantes até o último segundo, você não está realmente melhorando sua produtividade nas coisas que importam. E, pior, você pode acabar perdendo prazos ou arruinando sua reputação indo direto para o trabalho mais desafiador.
 
O termo, “comer o sapo primeiro”, vem daquele velho poço de sabedoria (deliciosamente sarcástico), Mark Twain. Ele supostamente disse, “Coma um sapo vivo logo pela manhã e nada pior vai acontecer com você pelo resto do dia.”
 
Para começar, programe suas tarefas diárias da mais difícil até a mais fácil. Você completará suas tarefas mais importantes e intimidadoras (seu sapo) enquanto sua energia ainda está alta e então seu dia vai ficar progressivamente melhor. É provável que a qualidade geral do seu trabalho também melhore.
 
Uma parte importante quando estamos aprendendo a ser verdadeiramente produtivos é aceitar que o impulso de procrastinar é inevitável. Aprender a trabalhar em torno de seus próprios impulsos auto-destrutivos é a chave. Como Brian Tracy coloca em seu livro
 
Coma aquele sapo: 21 Ótimas Maneiras de Parar de Procrastinar e Realizar Mais Coisas em Menos Tempo:
 
Todo mundo procrastina. A diferença entre as pessoas de alto desempenho e as de baixo desempenho é em grande parte determinada pelo que essas pessoas escolhem procrastinar.
 
Quer saber mais?
 

MoSCoW: Must/Should/Could/Would

MoSCoW productivity methodCréditos da imagem: fabiocruz.com
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato, Visual
 
Perfeito para pessoas que:  Precisam priorizar várias tarefas, mas preferem listas ao invés de gráficos.
 

O que o método faz:  Prioriza suas tarefas pela sua urgência, assegura que você esteja realizando as coisas certas.MoSCoW é sobre descobrir o que é crítico hoje e o que pode esperar. Anote tudo o que você tem que fazer e, em seguida, identifique cada um deles como um dever, como algo que você tem que fazer ou como um desejo.

As suas tarefas “Must” (tenho que fazer) não são negociáveis. “Pagar aluguel” – é um dever inegociável, totalmente ligado com o seu bem estar.
 
O “Should” (deveria fazer) é algo que você precisa fazer, mas não necessariamente hoje. Responder a certos e-mails por exemplo. São coisas importantes, mas atrasá-las um ou dois dias não é um problema, especialmente se você tem uma lista de Deveres cruciais.
 
Um “Could” (poderia fazer) é algo que você gostaria de fazer, mas que pode não ser prático ou necessário no momento. Pode ser adiado para o futuro, se necessário. Aprender uma nova língua é um grande objetivo, mas se você precisa escolher entre ter uma rotina de sono saudável ou se tornar fluente em francês, você não deve arriscar sofrer os efeitos a longo prazo da privação de sono apenas para aprender um idioma novo (por mais bonito que ele seja).
 
Uma variação popular deste método cria a categoria “Não” para aqueles itens danados que parecem sempre entulhar as suas listas de tarefas, mas que talvez nem valham o seu tempo.
 
Quer saber mais?
 

Método SMART

SMART productivity method
Crédito da Imagem: gcflearnfree.org
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato, Visual
 
Perfeito para pessoas que:  Precisam priorizar várias tarefas, mas preferem listas ao invés de
gráficos.
 

O que este método faz: Transforma idéias e objetivos grandes e abstratos em planos concretos e realizáveis.Ferramentas: Any.do

 
Houve muitas adaptações e ajustes ao método de produtividade SMART desde que ele foi inventado há três décadas. No seu núcleo, o SMART é uma maneira de pegar suas ideias geniais e descobrir como fazê-las funcionar no mundo real, através de uma série de perguntas. SMART é um acrônimo (em inglês) que significa: específico, mensurável, atribuível, realista, oportuno.
 
Vamos analisar este acrônimo:
 
Específico:
 
Significa o “o que” – o que é este projeto e o que, especificamente, você quer realizar?
 
Mensurável:
 
São as tarefas e etapas individuais que se somam a um projeto completo.
 
Atribuível:
 
Quem vai fazer qual etapa? Sim, este é outro método que serve para trabalhar em equipe, mas não jogue fora este passo se você estiver trabalhando em um projeto sozinho. Se você estiver usando o SMART, você tem um grande projeto em mãos e nada tão grande pode ser realizado 100% por conta própria.
 
Se você tem filhos pequenos, você pode usar este passo para planejar o cuidado dos seus filhos. Se você está começando um negócio, você pode precisar de um advogado ou contador pessoal. Toda grande empresa precisa de  ajuda ao longo do caminho.
 
Ter em mente como você conseguirá essa ajuda facilitará o início do projeto.
 
Realista:
 
Esta é a parte depressiva do método SMART. Ela abrange todos os obstáculos em seu caminho, tudo o que pode ameaçar o seu projeto. Você não pode superar um problema até que você o entenda completamente. Ao considerar cuidadosamente os desafios que rondam seu projeto, você pode começar a pensar nas soluções antes mesmo destes problemas lhe alcançarem.
 
Oportuno:
 
Prazos. Prazos são uma parte importante de quase toda estratégia de produtividade bem sucedida, e com razão. As restrições de tempo nos obrigam a sermos eficientes. Tenha prazos razoáveis ​​para cada tarefa mensurável – dando-lhes, naturalmente, mais tempo do que você acha que vai precisar para que você não seja vítima da falácia do planejamento.
 
Em geral, o método SMART se encaixa perfeitamente em qualquer grande problema ou projeto. No entanto, quando se trata do trabalho do dia-a-dia de uma empresa complexa o SMART não tem muito a oferecer. É um ótimo sistema para quem está sobrecarregado com o tamanho do seu projeto atual e precisa de um plano concreto para avançar.
 
É simples, é fácil de lembrar e não requer muita leitura.
 
Quer saber mais?
 

Método AÇÃO

Action productivity methodCréditos da imagem: levenger.com
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato
 
Perfeito para pessoas que: Precisam transformar várias ideias em uma lista ações realizáveis.
 

O que este método faz: Organiza os aspectos mais confusos do trabalho criativo.Ferramentas: Todoist

 
O Método de Ação foi desenvolvido em 2006 por Behance como uma forma de simplificar as reuniões criativas. O problema com o brainstorming e com o trabalho criativo é que muitas vezes ele precisa ser confuso para ser verdadeiramente inovador. Pensar fora da caixa requer desordem, mas para fazer, de fato, as coisas, pode ser necessário um sistema ordenado.
 
O Método de Ação ajuda você a passar da fase de ideias para etapas realizáveis ​​com prioridades, datas de vencimento e atribuições (se você estiver usando o Método de Ação em equipe). Envolve dividir ideias em três categorias principais: Itens de Ação, Itens de Segundo Plano e Itens de Referência.
 
Itens de ação são os passos que você dá para realizar seu projeto.
 
Itens de Segundo Plano são as ideias interessantes que não se encaixam diretamente em seu plano para este projeto.
 
Itens de Referência são os recursos e informações que você precisa para concluir o projeto. Por exemplo, o guia de estilo visual e logotipo de sua marca pode ser um item de referência para um projeto de rebranding de página inicial.
 
O Método de Ação permite que você integre grandes ideias ao mesmo tempo que permanece fiel à um plano concreto.
 
Embora houvesse uma versão online deste método por um tempo, Behance retirou seu apoio  ano passado. Ainda existem cadernos do Método de Ação sendo vendidos se você estiver realmente interessado, mas você pode usar o método de ação com praticamente qualquer Medium.
 
Quer saber mais?
 

Tempo em “Caixas”

Timeboxing productivity methodCréditos da imagem: Danielle MorrillTempo necessário para começar: Pouco

 
Tipo: Visual, abstrato
Perfeito para pessoas que:  Acham que tarefas pequenas e interrupções estão tomando quase o dia todo ou aqueles que têm mais de uma área principal de trabalho, especialmente gerentes.
 

O que este método faz: Mantém você responsável perante seu plano diário, separando períodos específicos de tempo para tipos específicos de trabalho.

 

Ferramentas: Timebox.io
 
Pesquisadores descobriram que pequenas tarefas e interrupções (“Ei, posso fazer uma pergunta rápida?”) podem interromper a concentração por até meia hora. Se você gasta muito tempo do seu dia lidando com pequenos itens que já reaparecem no dia seguinte (como e-mails) e pouco tempo realizando as coisas realmente importantes, este método é para você.
 
Para iniciar o timeboxing, basta dividir seu dia em blocos de tempo com tarefas específicas atribuídas a cada um deles. Veja um exemplo:
Existem várias abordagens diferentes para o timeboxing, juntamente com uma variedade de métodos timeboxing específicos, como o Inbox Zero para lidar com seu email. O InboxZero usa vários truques para fazê-lo funcionar, mas uma das fundações envolve dedicar pedaços específicos de tempo para ler e responder emails de maneira que eles não ocupem todo o seu dia.
 
Esta é uma ótima maneira de manter-se responsável e evitar que algo tão pequeno ocupe seu dia todo.
 
Um método de timeboxing adicional se chama tema do dia.
 
É exatamente o que parece. Ao invés de alternar entre diferentes tipos de trabalho ou áreas de responsabilidade ao longo do dia, você dedica cada dia da semana a um tema específico. O Tema do Dia é ótimo se você precisa ir mais a fundo e realizar um trabalho mais complexo, ou para as pessoas que trabalham em mais de uma área principal no trabalho.
 
Quer saber mais?
 
Tempo em caixas 101: O quê, Por quê e Como

Horário “Nobre” Biológico

Biological prime time productivity methodCréditos da imagem: alifeofproductivity.com
 
Tempo necessário para começar: Muito
 
Tipo: Abstrato, Visual
 
Perfeito para pessoas que: Amam dados e auto-experimentação e querem otimizar seus dias para obter máxima produtividade.
 

O que este método faz: Acompanha seus ritmos biológicos para encontrar os melhores momentos para diferentes tipos de produtividade.Este é um método deliciosamente nerd. Ele requer muita pesquisa sobre si mesmo e um grande compromisso de tempo e empenho, mas as percepções de produtividade pessoal que você vai extrair deste método com certeza vão valer a pena a longo prazo.

 
A ideia básica aqui é rastrear sua energia, motivação e foco para ter uma ideia de quando, onde e como você é mais produtivo.
 
Para começar, elimine todos os fatores que poderiam mexer com a sua energia – as mudanças na ingestão de cafeína são grande, ficar acordado até tarde também – então registre o que você está realizando uma vez a cada hora, anote tudo o que você está realizando por hora por algumas semanas. Os detalhes exatos que você anote podem variar, mas para obter resultados mais precisos, você precisará ser o mais consistente possível. Rescue Time e Toggl podem lhe ajudar muito neste estágio.
 
Depois de reunir seus dados, você deve estudá-los, procurando padrões. Você pode até transformar os dados em gráficos. Você tem menos motivação nos dias em que pula o café da manhã? Então tenha barras de cereais, frutas e iogurtes sempre acessíveis para um pouco de energia rápida. A sua hora mais produtiva é por volta das 10h? Programe suas tarefas mais importantes para esse horário e empurre as reuniões para mais tarde.
 
A quantidade de informações que você pode reunir sobre si mesmo, fazendo esta pequena versão de um auto-estudo científico irá surpreendê-lo. Você está prestes a descobrir algumas coisas muito interessantes sobre o que impulsiona sua produtividade – basta ter cuidado para não deixar sua auto-quantificação se tornar a sua própria forma de procrastinação.
 
Se você conseguir registrar todas as suas três semanas, você vai sair do outro lado um super-herói da produtividade.
 
Quer saber mais?
 
Seja egoísta com o seu horário nobre

Getting Things Done (GTD)

Getting Things Done productivity method
Créditos da imagem: babblingengineer.com
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato, Visual, Tátil
 
Perfeito para pessoas que: Sentem-se sobrecarregadas pelo número de coisas que são responsáveis e precisam achar uma maneira de organizar tudo
 

O que ele faz: Captura seus pensamentos, preocupações e tarefas pendentes no papel (ou em um aplicativo) e, em seguida, ajuda a organizá-los em pequenas tarefas realizáveis que você pode realizar imediatamente.Ferramentas: Muitas

 
Este é o método de produtividade mais famoso e duradouro do mundo.
 
Criado por David Allen e famoso em seu livro best-seller homônimo, Getting Things Done é um sistema de produtividade abrangente. Ele visa remover o stress frenético de ter ter mais areia do que se pode carregar, colocando essas idéias em um sistema organizado fora de sua própria cabeça.
 
Os estágios básicos do método FAC são:
 
Capturar – Esta parte é um despejo do cérebro. Basta anotar tudo o que você tem que fazer em qualquer ordem com qualquer frase. Não se preocupe com o como e quando, basta tirar essas coisas da sua cabeça de alguma forma. Uma boa regra de ouro: Se você está estressado ou ansioso com algo, adicione à sua lista.
 
Esclarecer – Revire as idéias vagas e preocupações e divida-as em tarefas ou etapas específicas. Se você anotou “Banco”, agora esclareça se você precisa ir ao banco para retirar cheques, ligue para o banco para perguntar sobre um empréstimo, ou apenas verifique o seu saldo online. Se for um grande projeto, como mover todas as suas contas bancárias, por exemplo, talvez seja necessário esclarecer todo o processo e depois dividi-lo em vários pequenos passos. Quanto menor, melhor. Pequenos passos são menos intimidadores, então é mais provável que você os enfrente primeiro.
 
Organizar – Agora que você tem as tarefas bem esclarecidas, você precisa priorizá-las, anexar datas de vencimento onde for possível e talvez categorizá-las em projetos ou tipos de tarefas que você pode resolver todos de uma vez só (por exemplo, e-mails ou ligações).
 
Refletir- Olhe sua lista de afazeres diariamente e semanalmente. Existem alguns passos em seus projetos que ainda são muito vagos? Quebre-os ainda mais. As datas de vencimento não parecem tão razoáveis? Ajuste-as. Algum item da lista não é mais relevante? Livre-se deles.
 
Muito Empenho- Ataque essa lista. Você já está pronto para fazer as coisas.
 
O sistema de etiquetas e filtros do Todoist funciona muito bem com o método FAC.
Taylor Martin compartilhou um pequeno vídeo sobre como ele aplica o Todoist no FAC. E a Becky Kane recentemente compartilhou suas dicas sobre como fazer os sistemas funcionarem ainda melhor para você.
Want to know more?

Pomodoro

Pomodoro productivity methodCréditos da imagem: fractuslearning.com
 
Tempo necessário para começar: Pouco
 
Tipo: Abstrato
 
Perfeito para pessoas que:  Sentem-se como se nunca houvesse tempo suficiente no dia, mas têm uma tendência a se distrair.
 
O que este método faz: Ajuda a manter o foco por mais tempo dividindo seu trabalho em curtas explosões de produtividade.
Se você sente que está adiando muito suas tarefas pelo tempo que elas vão levar para serem feitas, ou você se distrai facilmente, você vai se dar bem com essas ‘’explosões’’.
 
Pomodoro é a variação mais popular, embora haja muitas outras. Com o Pomodoro você trabalha por 25 minutos, faz uma pausa de cinco minutos e depois repete até completar quatro ‘’sprints’’, e depois você faz uma pausa mais longa. É simples assim.
 
Trabalho, 25 minutos
Twitter, 5 minutos
Trabalho, 25 minutos
Instagram, 5 minutos
Trabalho, 25 minutos
Facebook, 5 minutos
Trabalho, 25 minutos
 
Pausa de meia hora – Levante-se e dê uma esticada!
 
Enquanto muitas pessoas juram por esta técnica, outras acham que 25 minutos não é suficiente para se focar completamente em seu trabalho e que a ruptura de cinco minutos interrompe sua concentração. Se esse for o seu caso, você pode ajustar até encontrar o tempo exato que funciona para você.
 
Existem algumas estruturas de tempo que também podem ser úteis, como 52/17 ou 90/20.
Pronto para começar?
 
Marinara (Web)
Pomodone (Windows e Mac)
ClearFocus (Android)

Não Quebre a Corrente

Don't break the chain productivity methodCréditos da imagem: roozecentral.com
 
Tempo necessário para começar: Pouco
 
Tipo: Visual
 
Perfeito para pessoas que: Querem adotar novos hábitos diários.
 
O que este método faz: Encoraja a consistência de hábitos e tarefas diárias.
 
Esta técnica ficou famosa graças à Jerry Seinfeld, que disse que escreve uma piada por dia.
 
Não importa como ele se sente ou se ele tem alguma coisa a dizer, ele escreve pelo menos uma piada todos os dias.
 
E como ele se organiza para manter esse compromisso? Um calendário – meio oldschool, com o ano inteiro em uma página grande. Cada dia que ele escreve, ele coloca um grande X no calendário. Depois de alguns dias, uma encantadora linha de Xs aparece. Se alguma vez ele pular um dia, ele só tem que olhar para o calendário, e ver onde um único dia perdido estragou toda a estética.
 
Esta é obviamente uma ótima técnica para adotar ou abandonar hábitos. Ele não fala muito sobre suas prioridades, prazos ou progresso geral, mas se você está tentando escrever um livro ou treinar para correr uma maratona, se esforçar todos os dias é a única maneira de chegar lá.
 
Pronto para começar?
 

Matriz de Eisenhover

Eisenhower Matrix productivity methodCréditos da imagem: thetemptimes.wordpress.com
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Visual
 
Perfeito para pessoas que: Gostam de gráficos, têm problemas para ver as coisas em preto-e-branco e preferem priorizar algo continuamente do que dividir as coisas em categorias menores.
 
O que este método faz: Identifica quais tarefas são prioridades e quais são apenas distrações.
 
A matriz de Eisenhower é outro método simples que permite que você priorize as coisas em uma maneira deliciosamente visual: um eixo de XY. Uma ótima ferramenta para pessoas visuais.
 
Permite priorizar projetos complexos, mas ele é rápido e fácil de aplicar.
 
Pegue um pedaço de papel e desenhe um grande sinal de mais; O eixo X (também conhecido como: linha horizontal) representa o nível de urgência com o lado esquerdo sendo o mais urgente e o lado direito o menos urgente. Seu eixo Y (linha vertical) representa importância, com as coisas menos importantes na parte inferior, e as mais importantes na parte alta.
 
Você termina com quatro quadrados: Urgente e importante, menos urgente, mas ainda importante, menos importante mas urgente e menos importante mas menos urgente. Você pode colocar todas as suas tarefas continuamente dentro das caixas, dando-lhe uma clara compreensão visual do que realmente precisa ser feito agora e o que pode (e deve) esperar.
 
As instruções são simples, você pode criar uma nova matriz com uma caneta e um pedaço de papel a qualquer momento. Basta começar a desenhar e está feito.
 
Pronto para começar?
 
Pegue uma caneta e um papel!
 
Ou faça o download do Planilha Eisenhower Matrix

Resultados Ágeis

Agile Results productivity methodCréditos da imagem: gettingresults.com
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato
 
Perfeito para pessoas que: São orientadas por objetivos e estão lidando com projetos complexos, além de precisarem manter um cronograma.
 
O que este método faz: centra-se em resultados e prioridades, se mantendo atento sobre o escopo de seus projetos e metas.
 
Resultados ágeis visa alinhar suas atividades do dia-a-dia com seus objetivos maiores. Como muitos outros métodos de produtividade, ele incentiva o trabalho através de blocos, mas ainda é orientado pelo progresso. Ele lhe faz tirar um tempo para refletir sobre o que está funcionando e o que poderia ser melhorado. Enquanto muitos métodos se concentram apenas em avançar, este método tem um olho no passado e o outro no futuro.
 
Para começar a usar o Resultados Ágeis, basta identificar três resultados que você gostaria de ver no ano, no mês, na semana e no dia. Ao definir suas metas diárias, você deve certificar-se de que elas se alinham com seus objetivos da semana. Quando você definir suas metas para a semana, elas devem se alinhar com seus objetivos do mês. E o mesmo com as metas mensais e anuais. No final de cada período de tempo, olhe para trás e veja como você se saiu. O que funcionou? O que você não terminou e por quê? Ajuste as coisas conforme necessário.
 
Um dos aspectos mais inteligentes deste método é a forma como ele usa a visão da etapa finalizada como um motivador. Ao lembrar-se regularmente do seu objetivo final, o método aumenta seu entusiasmo e coloca-o para trabalhar para você. Também é um método indulgente. Se você estragar o seu dia ou mesmo a sua semana, tá tudo bem. O método lhe dá tempo para pensar sobre o que deu errado e fazer melhores escolhas no futuro.
 
Quer ler mais?
 
Visão Geral do Sistema de Produtividade: “Atingindo resultados de maneira ágil”

Lista de Coisas Feitas e Não Feitas

To-Done List productivity methodCréditos da imagem: cleanmama.net
 
Tempo necessário para começar: Considerável
 
Tipo: Abstrato
 
Perfeito para pessoas que: Gastam muito tempo se preocupando com o que não foi feito ontem ou possuem vários maus hábitos que impedem a produtividade.
 
O que este método faz: Transforma a lista tradicional de afazeres em sua cabeça a fim de olhar para a produtividade de uma nova maneira.
 
A lista de afazeres pode parecer um sabe tudo às vezes. Ele te lembra que você jurou que iria enviar todos os seus e-mails até o final do dia e gosta de lembrá-lo que você ainda tem uma grande tarefa que deveria ter sido feita semana passada. É fácil perder de vista todas as coisas que você fez.
 
É aí que entra a lista de coisas já feitas.
 
Para fazer uma lista de coisas feitas, fique atento ao que você já fez ao longo do dia. Em vez de se concentrar em tudo o que resta para fazer, mantenha seu foco em seu progresso.
Reveja a sua lista de coisas feitas no fim de cada dia.
Se você tentar e se sentir um pouco tolo, ignore o processo por um dia ou dois. Você perceber que realizou muito mais do que você pensou – e pesquisas mostram que o progresso (não importa o quão pequeno) é um grande motivador.
 
Se você tiver tentado a lista de coisas feitas, pode descobrir que pequenas tarefas (como responder e-mails sem importância) ainda estão entupindo seu dia, então você pode tentar a lista de coisas a não serem feitas.
 
É exatamente o que parece. Faça uma lista de atividades e maus hábitos que você deseja evitar e anote-os. Em seguida, analise cada um deles e veja qual é a melhor forma de evitá-los.
 
No começo, esta lista também pode parecer tola e um pouco óbvia. Você já sabe o que deve e não deve fazer com o seu tempo. Mas tente!. Você vai descobrir que o lembrete diário é uma maneira eficaz de se dar uma missão para o dia seguinte.
 
E quando você chegar ao final do dia, você terá uma maneira clara de saber se você foi produtivo. Você conseguiu evitar esses maus hábitos? Sucesso!
 
Quer saber mais?
 

Conclusão

Produtividade é algo que depende de muitos fatores, por isso é importante e válido conhecer diversos métodos, aumentando as chances de encontrar algum que melhor atenda a suas necessidades, que se adapte aos seus hábitos, sua forma de pensar.
Afinal, é possível que o método que seja mais ajustado à minha forma de pensar não seja adequado para você.
Espero que este levantamento seja útil e que você possa ser cada vez mais produtivo.
E se estiver buscando Objetivos Maiores de vida, grandes realizações (como ser mais produtivo), mas está se sentindo meio “perdido”, entre em contato que sei como e quem pode te ajudar a chegar lá!

20 horas de trabalho por semana bastam ?

20 horas de trabalho por semana bastam ?
Estou há um bom tempo pra escrever sobre este assunto que me intriga faz um tempinho já.
Larry Page, um dos fundadores do Google, disse em entrevista com Vinod Khosla, fundador da Khosla Ventures, que controla, entre muitas empresas, a Indie Gogo (crowdfunding), Cinemagram (app pra fazer vídeos) e o encurtador de URLs Bitly, que as pessoas estão trabalhando demais.
Na visão dele, não há necessidade de se trabalhar tanto pra atender as necessidades básicas do ser humano, e se você perguntar às pessoas, elas vão querer mais tempo pra férias e pra ficar com a família.
Assim, ele sugeriu a redução da jornada de trabalho, apontando que a jornada atual de 8 horas não é mais necessária, e indicando alternativas como reduzir a carga horária para 4 horas ou separar um emprego “full time” em vários empregos “part time“.
Ele alegou (sem explicar como) que é possível reduzir a carga horária sem prejudicar o emprego.
A opinião dele foi reforçada pela declaração de Carlos Slim, presidente da America Movil, de que as pessoas deveriam trabalhar 3 dias por semana, 8 horas.

Conclusão

A questão é bastante controversa, há muitos interesses envolvidos e, principalmente, questões graves de produtividade, especialmente quando se trata de Brasil.
É muito fácil para donos de empresas que têm condições de recrutar talentos extraordinários fazer declarações como estas, pois o nível de produtividade dos seus funcionários chave é altíssimo, e dar mais liberdade pra eles representa um incentivo a serem ainda mais produtivos, e portanto compensa.
Por outro lado, é inegável que o mercado de trabalho passa por uma enorme transformação, e o questionamento da carga horária de trabalho é apenas uma das questões a serem tratadas, juntamente com a estrutura hierárquica das empresas, as carreiras Y e a mais recente carreira W, dentre outros aspectos que exigem uma reformulação das relações entre empregado e empregador.
Além disso, nem tudo são flores, como demonstra o caso do LinkedIn, obrigado a indenizar em 6 milhões de dólares funcionários e ex-funcionários, por problemas na contabilização de horas trabalhadas, o que certamente é um grande desafio numa empresa em que mobilidade e flexibilidade fazem parte da filosofia da empresa.
Por tudo isso, entendo que há uma oportunidade a ser aproveitada pelas empresas e profissionais que conseguirem repensar suas relações de trabalho e potencializar sua capacidade de entregar os resultados que empresas e clientes esperam, independentemente de quantos e quais dias precisem trabalhar e produzir para isso.
Aliás, vale lembrar que estar no trabalho não é sinônimo de estar trabalhando, produzindo, não é mesmo ?
Você pode conferir a entrevista de Larry Page aqui.
E então ? O que pensa a respeito dessas questões ? Tem uma experiência pra compartilhar ? Fala aí!

#Mitos sobre #produtividade

Este texto é uma tradução livre do original do LifehackerMito 1 – É necessário acordar cedo para ser produtivoHá estudos que revelam que pessoas que acordam cedo tendem a ser pró-ativas, obter melhores notas na escola, o que as leva a melhores universidades, e melhores empregos. Por outro lado, pessoas que acordam mais tarde são mais criativas, espertas, têm mais senso de humor.Entretanto, outro estudo mostra que o mais importante é trabalhar nas horas certas, ou seja, nas horas em que você é mais produtivo, seja cedo ou tarde. Organize-se para fazer o “trabalho duro” nas horas produtivas, e deixar atividades menos complexas para outros horários.Mito 2 – Trabalhe além da exaustãoEstudos já desfizeram este mito há tempos, e deixam claro que, quando se sentir cansado, a melhor coisa é fazer uma pausa, “desligar um pouco”, ou se dedicar a outra tarefa, enfim, qualquer coisa que ajude a mudar o foco e recuperar energias para retomar seus objetivos e concluir aquele trabalho.Nossa força de vontade é limitada e deve ser usada com sabedoria.Mito 3 – Múltiplos monitores aumentam/diminuem a produtividadeUsar mais de um monitor pode ser mais produtivo ou não, mas tudo depende do seu perfil. Não se trata de verdade absoluta.Além disso, um dos estudos que apontava o uso de vários monitores como sinal de produtividade foi patrocinado pela Apple e coincidiu com o lançamento de seu Apple Cinema Display. Outro foi patrocinado pela NEC, fabricante de monitores.De todo modo, há estudos que indicam que o uso de mútiplos monitores, ou monitores maiores, pode aumentar a produtividade se o seu trabalho pode ser beneficiado por mais “espaço visual”. Minha experiência mostra que, quando precisamos lidar com várias tarefas ao mesmo tempo, como é o meu caso, mais de um monitor pode fazer bastante diferença.Mito 4 – O excesso de informação está nos tornando burros (desconecte da web para ser produtivo)A Internet pode nos fazer lembrar menos coisas, afinal basta lembrar como acessar o Google, né ? Mas isto não significa que estejamos ficando menos inteligentes, apenas mais preguiçosos, talvez.Por outro lado, a Internet traz, de um modo mais fácil do que nunca, uma infinidade de possibilidades de distração, o que pode fazer com que pessoas desorganizadas ou descontroladas “se percam” vagando pela web indefinidamente, destruindo completamente sua produtividade. Mas isto não é culpa da web, é culpa sua, que não consegue manter o foco. Se necessário, há inúmeras ferramentas na própria web que ajudam a manter o foco numa tarefa.Einstein dizia que não precisava saber “de cabeça” a velocidade da luz, pois esta informação estava disponível nos livros. É por aí.

Mito 5 – É impossível ser produtivo fora do ambiente de trabalho
“Se eu não puder te ver, você não vai trabalhar”. Tem muita gente por aí que ainda pensa assim. Pelo visto, nunca ouviram falar em metas. Estudos mostram aumento de produtividade com trabalho remoto. Sério. É perfeitamente possível produzir mais e melhor, trabalhando remotamente.
Cabe notar que há indicações confiáveis de que barulho demais nos torna menos produtivos. E isso é algo bem fácil de encontrar em muitos ambientes de trabalho. Por outro lado, a possibilidade de muito barulho em casa pode ser bem menor. A menos que você tenha filhos de férias, segundo soube 😛
Mas há atividades que demandam interação com clientes, como balcões de atendimento em lojas, restaurantes, e outras atividades correlatas, onde a necessidade de presença física em local específico existe. Para outros casos, o impedimento para o trabalho remoto é apenas uma questão de má vontade, desconfiança ou falta de informação mesmo.
Mito 6 – Ordenar e organizar é a solução para seus problemas com o e-mail
Confesso que essa me surpreendeu. Um estudo patrocinado pela IBM mostrou que marcar, arquivar e organizar e-mails pode torná-los mais difíceis de localizar depois (!). Mas o estudo tinha um foco bem direcionado a pastas, pelo que observei, o que significa que simplesmente pesquisar pela mensagem é mais rápido e produtivo que navegar entre pastas (marcadores ?) tentando achá-la.
Diante disso, o melhor a fazer é reduzir a quantidade de mensagens, eliminando o que não será aproveitado depois e mantendo o mínimo possível. Posso atestar que regras que enviam mensagens diretamente pra lixeira, mesmo que sejam mensagens que você vai ler, desde que não pretenda mantê-las para referência futura, funciona muito bem!
Mito 7 – Técnicas de produtividade vão resolver seus problemas
Não é que as técnicas de produtividade sejam ruins, elas apenas não servem para todos. Programadores preferem Pomodoro, gerentes de projeto GTD, administradores de sistemas vão de Kanban. Portanto, esteja atento para verificar a técnica que mais se adequa à sua profissão, perfil, etc. Ou descubra um meio de combinar as técnicas e criar uma que lhe caia bem.
O importante é não dedicar mais tempo a organizar as informações para o trabalho que para executar o trabalho em si.

Ferramentas para gerenciamento de projetos, especialmente criação de EAP

Recentemente precisei de uma ferramenta para construir EAPs (Estrutura Analítica de Projeto) para os projetos que gerencio, e foi difícil. Muito difícil! É incrível como algo relativamente simples não é suportado por ferramentas especializadas. Não há uma ferramenta sequer de gerenciamento de projetos que permita criar EAPs de forma satisfatória. Mas vamos às opções.Primeiro, obtive a indicação do WBS Chart Pro, um software especializado, que tem integração com o MS Project, e é bem completo. Mas é um software pago, e achava desnecessário mais este custo, considerando que uma boa ferramenta de gerenciamento de projetos deveria prover este recurso.Parti então para avaliar softwares de código aberto para gerenciamento de projetos. Restringi minha busca aos softwares desktop inicialmente. Testei Gantt Project, Planner, 2-Plan, OpenProj, Project Libre (praticamente igual ao Open Proj, fiquei até em dúvida se não era o mesmo que mudou de nome), e outros que nem lembro mais. Alguns até fazem o EAP/WBS, como o 2-Plan e o OpenProj (recomendo as duas!), mas nenhum permite exportar, ou mesmo exibir de forma adequada para capturar a tela e gerar uma imagem como a que ilustra este post.Quando já estava desistindo, eis que encontro o incrível, sensacional, espetacular, WBS Tool! Simples, acessível, com muitos recursos, e gratuito! Alguns dos recursos que merecem destaque:

  • Importa e exporta o EAP em formato XML do MS Project (suportado pelo Open Proj e outras ferramentas também);
  • Exporta em formato imagem (JPG e PNG) e até Word;
  • Permite “formatar” o EAP de várias maneiras, de forma a facilitar a visualização das tarefas;
  • Possui recurso copiar estilo, e traz uma infinidade de opções de preencimento para as “caixinhas” que representam as tarefas.
  • Permite o uso sem a necessidade de cadastro, e disponibiliza espaço para salvar seu trabalho na web mesmo, embora haja um grande risco de seu arquivo ser apagado, afinal o acesso é livre;
  • A única limitação é a inclusão do endereço do WBS Tool no rodapé do EAP, o que não chega a incomodar, inclusive porque é possível exportar em formato imagem e cortar o rodapé, se for o caso.

Espero que possam evitar todo o trabalho de pesquisar algo que não existe: uma ferramenta de gerenciamento de projetos que ofereça recursos adequados para criação, formatação e exportação de EAPs.

Curta nossa página no facebook!

16 extensões para tornar seu navegador mais seguro, rápido e produtivo #Chrome #Firefox

Twitter: escolha entre TweetDeck e Chromed Bird, duas excelentes opções para acessar o Twitter a partir do Chrome.

FastestChrome: turbine o navegador da Google com esta extensão que facilita o acesso a artigos em várias páginas, busca informações bastando selecionar o trecho do texto e acelera sua navegação na web.

Excelente captura de tela: capture, destaque, corte e ajuste imagens da web com esta fantástica extensão.

ActiveInbox: seja mais produtivo no GMail com esta extensão, e, de quebra, zere sua caixa de entrada!

ScribeFire: ótima extensão para blogueiros, facilita muito a postagem de conteúdos.

Zemanta: extensão muito útil para facilitar a localização de imagens, links e informações adicionais para ilustrar uma mensagem ou post.

NoScript: ótima extensão para diversos navegadores que aumenta a sua segurança inibindo o javascript.

GDocs: visualize vários tipos de arquivo automaticamente no Google Docs, sem precisar baixar.

WolphramAlfa: tenha sempre à mão esta excelente ferramenta de busca e análise estatística com esta extensão pra Firefox.

Produtividade: disfarce os sites (im)produtivos que você costuma visitar com esta extensão pro Chrome, e finja que está trabalhando.

Snooze: defina lembretes para mensagens no GMail (na versão gratuita o prazo mínimo é de 4 horas) com esta extensão pro Chrome.

Experimental: confira algumas das extensões experimentais do Mozilla Labs, como Snowl, Contacts, Ubiquity e Home Dash.

Multiplos monitores = mais produtividade ? Sim, mas há limites!

Receba dicas imperdíveis:     

    
Um excelente texto do Lifehacker aborda o mito da produtividade de múltiplos monitores, e traz uma conclusão muito interessante: não é a quantidade de monitores que importa mas de pixels! Ou seja, desde que você tenha uma certa “área” para trabalhar (será que vem daí o termo área de trabalho ? hehehe), não importa quantos monitores você utilize, não haverá maiores ganhos.

As conclusões foram baseadas em estudos patrocinados pela NEC (fabricante de monitores) que recomendavam a utilização de monitores maiores (e mais caros). Há um “número mágico” de pixels, que oscila em torno de 2500×1400, que seria o limite de produtividade, de modo que, se seu monitor já suporta resoluções próximas desta, você está no caminho certo. Acima deste limite, o estudo demonstrou que começa a haver perda de produtividade. Interessante, não ?

Eu confesso que percebi um bom ganho de produtividade quando passei a utilizar dois monitores, e não me imagino utilizando monitor único, mesmo com esta resolução toda. Acho que a idéia de múltiplos monitores facilita o “isolamento” de tarefas nas quais precisamos prestar atenção, especialmente tarefas demoradas, de modo que você pode fazer outras coisas sem perder de vista (literalmente) aquela tarefa longa que está em andamento. Por isso concordo em parte com o estudo, mas acredito que não deve haver exagero, e acredito que mais que 3 monitores seja muito complicado de gerenciar, por exemplo.

E vocês, o que acharam do estudo e das conclusões ?

Siga-nos no Twitter!
Receba os textos via e-mail ou RSS!