FISL 14

#FISL14: Antecipar oportunidades e gerar melhores resultados com Big Data Analysis

A palestra do Hamilton dos Santos Filho começou conceituando rapidamente Big Data, começando pela tríade volume, variedade e velocidade. Mostrou algumas estatísticas diárias da web. Sugeriu as ferramentas Weka (embarcado no Pentaho ou não), Hadoop e Mahout (algoritmos de inteligência artificial).Tentou mostrar a importância de integrar informações do ERP, CRM e redes sociais (facebook, twitter, foursquare, etc) através de uma análise de Big Data. Sugeriu também ferramentas de CRM como SugarCE, Vtiger e SaltOS.Criticou a app que a IBM criou pra minerar as hashtags durante a Copa das Confederações. Comentou sobre Analise de Sentimentos e Agrupamento de Textos, técnicas recentes de análise de dados que podem ser muito úteis.Por fim, demonstrou uma análise de dados do facebook usando a linguagem FQL, que pode ser usada para consultar a API em developpers.facebook.com, mediante identificação como desenvolvedor e obtenção de token de acesso para a rede social de Zuckerberg. Então, usando a Graph Explore API (token de acesso), é possível fazer consultas utilizando informações de permissão do próprio usuário e dos amigos, e assim minerar dados utilizando uma ferramenta de grafos.Achei a apresentação confusa e complexa, e o texto aqui é uma tentativa de traduzir o que consegui entender. Infelizmente, o Hamilton foi bem confuso na apresentação, e se atrapalhou nas demonstrações, o que comprometeu a palestra. Ainda assim, ele trouxe algumas informações  úteis.RSS   E-Mail  Icon Icon 

#FISL14: PostgreSQL Big Data

Na melhor palestra do dia, o Fábio Telles Rodrigues, da Timbira, a empresa brasileira de PostgreSQL (segundo ele), fez uma abordagem muito interessante sobre a utilização do PostgreSQL em ambientes com grande volume de dados, notadamente acima de 1TB.Ele contextualizou o cenário considerado para a buzzword Big Data e foi além, apresentando uma série de exemplos, dicas e informações muito úteis sobre banco de dados, que embora citados com referência ao PostgreSQL, são válidos independentemente da solução de SGBD utilizada, a exemplo da idéia (antiga) de particionamento de tabelas, criação de tabelas auxiliares para relatórios frequentes e pesados e muitas outras dicas de desempenho que valeram cada minuto da palestra.O Fábio demonstrou domínio, experiência e habilidade na condução da palestra, com informações relevantes, casos práticos e humor. A palestra não está disponível no site, mas pelo que pude observar é muito semelhante à apresentada no PGDay SP 2012 (abaixo).      

#FISL14: Juju, Devops destilado

A palestra do Sidnei da Silva, da Canonical, mostrou o estado atual da solução de automação para provisionamento de serviços da empresa de Mark Shuttleworth, que inclusive relatamos aqui no blog quando ainda se chamava ensemble. Ele falou sobre a tendência Devops, destacando que, embora haja quem entenda que é um novo papel da área de TI, o entendimento mais correto seria de que a tendência Devops é uma forma de melhorar a colaboração entre equipes de desenvolvimento e infraestrutura.Ele destacou ainda que o juju é uma solução diferenciada em relação a outras como cfengine, salt, puppet e outras, pois não se limita a automatizar configurações de arquivos e instalação de pacotes, focando em facilitar o provisionamento de serviços e suas relações de dependência, permitindo garantir não apenas agilidade na disponibilização de serviços, mas também escalabilidade através do incremento de instâncias conforme a necessidade.O Sidnei também destacou a utilização cada vez maior do juju em serviços críticos da Canonical, como o Ubuntu One, portal de download do Ubuntu e outros.